10 hábitos (negativos) que comprometem a produtividade dos profissionais e o impacto para as empresas

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Apesar da tecnologia ser uma alidada das empresas e dos profissionais, também pode se tornar a principal responsável pela queda de produtividade dos colaboradores nas empresas.

Uma recente pesquisa realizada pela CareerBuilder apontou que a internet e os celulares são os principais vilões quando falamos de queda de produtividade nas equipes. 75% das empresas estimam que seus colaboradores desperdicem duas ou mais horas de trabalho com distrações e atividades não produtivas na internet ou no celular.

Quando os profissionais trabalham conectados na internet ou próximos dos seus smathphones, ficam à um clique de distância de distrações tentadoras da sua vida pessoal, como conversar com amigos e familiares, acessar as redes sociais ou buscar conteúdos de interesse pessoal. Essa alta conectividade que a tecnologia oferece não é por si só negativa, mas precisa ser devidamente gerenciada, tanto pelo próprio profissional como pela empresa.

uso-celular-empresas-produtividade

Para resolver esse problema, os gestores precisam criar uma cultura de bom uso da internet no ambiente corporativo, primeiramente mantendo um diálogo aberto com os colaboradores sobre esses desperdício de tempo, utilizando ferramentas de gestão para controlar e otimizar o uso dos recursos de tecnologia e definir estratégias em conjunto com a equipe para que a produtividade se mantenha em alto nível.

Na pesquisa, 19% dos gestores informaram que acham que seus colaboradores são produtivos menos de 5 horas por dia, ou seja, apenas 62% do tempo de trabalho, aproximadamente. Ao definirem o principal culpado, 55% consideram que o principal hábito que leva ao desperdício do tempo dos colaboradores é o uso do celular para troca de mensagens pessoais. Veja a lista completa dos hábitos que mais prejudicam a produtividade:

  1. Uso do celular para troca de mensagens
  2. Navegação na internet
  3. Conversa e fofoca entre os colaboradores
  4. Acesso às redes sociais
  5. Distrações geradas pelos colegas de trabalho
  6. Intervalos para lanches ou cigarro
  7. Uso do e-mail pessoal
  8. Reuniões desnecessárias e improdutivas
  9. Excesso de barulho interno e externo
  10. Espaço de trabalho inadequado ou limitado
habiros-viloes-produtividade

10 hábitos que mais comprometem a produtividade dos profissionais no trabalho, segundo a pesquisa.

Impacto da baixa produtividade nas empresas

Nas empresas, considerando um mercado cada vem mais competitivo, onde muitas vezes a produtividade e eficiência podem fazer a diferença entre o saldo positivo ou negativo nos resultados, qualquer desperdício de recursos, principalmente em relação aos colaboradores, pode ter um forte impacto.

Para os gestores das empresas que participaram da pesquisa, esses hábitos e a redução na produtividade tem impacto bastante negativo nas empresas, vejamos os principais:

  1. Comprometimento na qualidade das tarefas realizadas: 48%
  2. Piora no relacionamento da equipe devido a tarefas não realizadas: 38%
  3. Desgaste na relação entre empresa e empregador: 28%
  4. Prazos das tarefas não cumpridos: 27%
  5. Redução nas receitas: 26%
  6. Relacionamento com o cliente prejudicado: 20%

Além desses problemas listados, ainda podem ocorrer outros mais, como problemas de segurança, perda de informações ou comprometimento dos recursos de tecnologia, como a velocidade de internet, devido ao uso indevido desses recursos.

A pesquisa também mostrou que 76% das empresas definiram regras ou limites para resolver esse problema, 36% das empresas passaram a controlar o acesso à internet, definindo o que pode ou não ser acessado pelos colaboradores e 25% proibiram o uso do celular para chamadas e atividades pessoais, sendo permitido somente em casos de emergência.

Claro que o impacto pode variar muito em cada empresa, por isso o mais importante é que os gestores monitorem a produtividade da sua equipe e reconheçam esse problema de desperdício de tempo como uma realidade, para que possam ser tomadas medidas no sentido de evitar qualquer impacto negativo nos resultados da empresa.

Esse é um tema sempre polêmico e exige muito bom senso na definição das estratégias para manter a equipe sempre produtiva, sem causar frustração nos colaboradores ou criar um ambiente de trabalho negativo.

Na sua empresa, como é tratada essa questão de desperdício de tempo e uso da internet e celulares pelos colaboradores? Compartilhe sua experiência e opinião nos comentários!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Cledison Fritzen

Mais artigos deste autor »

Formado em Sistemas de Informação, com experiência em desenvolvimento de sistemas e gestão de TI. MBA em Marketing e Vendas pela FGV e diretor de marketing e vendas no Lumiun Tecnologia.


3 Comentários

carlos castillo
1

Excelente tópico para debate. Parabéns!

Lembrei das palavras da minha mãe: “Se comer tudo, ganha tal sobremesa”… (eu entendia claramente que caso contrário… comunicação eficaz!)

Na minha opinião, assim como todos nós, já adultos e membros de uma sociedade, temos que nos adequar às leis de trânsito, por colocar um exemplo. Assim sendo, podemos nos adequar sim às ‘regras’ que determinada empresa, onde sejamos colaboradores, possa ter para manter a sua saúde e produtividade. Ou em outras palavras, filosofia da empresa. Ao final a razão de ser das pessoas numa organização é manter esta viva e saudável pelo maior tempo possível e se possível virar referência no mercado. Desta maneira, posso afirmar que é a organização (todos juntos) que deve estabelecer as regras do jogo, como é feito normalmente.

Yuri
2

Achei interessante a matéria, realmente é preciso(embora seja um trabalho árduo) criar uma cultura na empresa para evitar usos descabidos de internet no ambiente de trabalho. Além de ter uma produtividade real, custos com proxys, nagios e afins serão menores. Quanto ao gráfico só me atentei a parte de pausa para lanches e fumar, que (lógico) se não forem tão demoradas, por mais que o colaborador pare de trabalhar por um momento, acho melhor do que ficar trabalhando com fome/estressado que consequentemente produzem menos nestas condições, ainda mais em jornadas de trabalho maiores que 6 horas.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">