Porque você precisa entender que programar não é o bastante?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Você alguma vez já parou para refletir sobre os paradoxos do mercado de TI?

Como é possível uma atividade que inicialmente nos atrai por curiosidade, muitas vezes quando ainda somos crianças, se transformar em uma profissão tão estressante que pode chegar até nos fazer desistir da área?

Em algum momento, o sonho de ganhar dinheiro fazendo o que gostamos colide com uma realidade hostil repleta de incontáveis horas-extras, projetos atrasados e clientes insatisfeitos. A nossa sensação é de frustração. Nos sentimos cansados e sem perspectivas, como se precisássemos ter 10 braços para poder entregar o resultado esperado – que já sabemos que não dará tempo!

programar-nao-e-o-bastante

Ainda assim, trabalhamos duro, lutamos contra a burocracia excessiva e deixamos de lado momentos importantes da nossa vida pessoal, tudo isso para entregarmos projetos recheados funcionalidades que ninguém usa. Um desperdício absurdo que acaba fazendo os outros setores da empresa nos tratarem como um custo inconveniente no final do processo do negócio. Uma área sempre atrasada, que nunca entrega o que foi pedido no tempo necessário.

Mas será que existe uma forma de combater essa visão equivocada? O primeiro passo para isso é nos reposicionarmos. Precisamos abandonar o comportamento de meros executores de demandas e nos posicionarmos como verdadeiros solucionadores de problemas. O programador profissional não pode só pensar na execução de uma atividade, ele tem que pensar em como essas atividades se conectam com o todo.

Então, qual o verdadeiro trabalho do programador?

Estamos em 2017 e muita gente ainda acredita que o trabalho do programador é simplesmente escrever códigos e entregar funcionalidades. Às vezes, até nós mesmos nos definimos como “máquinas de transformar café em código”.

Na verdade, programadores são profissionais capazes de gerar riqueza através de códigos. Capazes de solucionar problemas complexos de pessoas reais.

O momento para este reposicionamento não poderia ser melhor. Vivemos uma época onde com um notebook e uma conexão de Internet, a pessoa com habilidade de programar consegue impactar o mundo.

Para isso, é importante compreender que o valor do trabalho do programador não está no código, mas sim na solução do problema do cliente obtida com a execução do código. Há uma distância entre o que o programador faz e o porque o programador faz. Superar essa distância é fundamental e para isso é preciso não apenas dominar a tecnologia, mas ir além da programação.

Por isso, precisamos desenvolver nossa autonomia para que não sejamos reduzidos a meros digitadores.

Como você pode ir além da programação?

Muitas vezes conhecemos milhares ferramentas, pesquisamos sobre várias técnicas e conceitos e acabamos não colocando nada do que foi aprendido em prática. A rotina não permite, o mercado não aceita e nós acabamos presos no ciclo vicioso que nos desconecta do valor do nosso trabalho.

Para nos ajudar com isso, o Henrique Bastos do site Welcome to the Django lançou “Como ser protagonista da sua carreira na programação” – Uma série gratuita de vídeos, onde ele compartilha conosco estratégias e técnicas que vão ajudar você a deixar o seu cliente feliz, sem abrir mão de programar do jeito certo.

No primeiro vídeo, lançado hoje, ele fala sobre o mindset que você precisa desenvolver para programar sem ser programado. É com essa mentalidade que você vai eliminar os cenários que te tornam um executor de demandas e se posicionar como um verdadeiro solucionador de problemas.

Confira o que você vai encontrar nessa série de vídeos:

1) Vídeo #1: Programe sem ser programado
Aprenda a desenvolver seus projetos sem atrasos e retrabalhos.

2) Vídeo #2: Crie a solução certa na hora certa
Domine as técnicas para entregar valor ao cliente todos os dias.

3) Vídeo #3: Autonomize-se
Descubra como ser protagonista da sua carreira na programação.

Esta série de vídeos é um projeto de um programador para outros programadores. Foi feito para você e estará disponível por tempo limitado. Por isso, não perca tempo! Se inscreva gratuitamente agora mesmo neste link e descubra como você pode ir muito além da programação.

Referência da imagem: walldevil.com

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

3 Comentários

Tiago
2

Muito bom o texto, realmente precisamos pensar mais na solução do problema em vez de acreditar que saber mais sobre códigos é a solução para tudo.
Faltou mencionar no texto a característica de relação interpessoal que muitos programadores deixam de lado, também cegamente achando que somente saber codificar basta. Já encontrei gente que tinha boa relação interpessoal coordenando equipes de programadores e recebendo muito bem sem saber nada de programação, mas nunca encontrei um programador sem bom relacionamento interpessoal em uma posição melhor do que a de um programador e ganhando como tal.

Miguel Ferreira da Silva
3

Boa Noite a todos!!! Gostaria de começar por dizer que por vezes as pessoas têm uma visão bastante limitada das funções de um programador. Como é do conhecimento de todos penso eu, as responsabilidades de um Engenheiro de Computação devem se estender mais além do que apenas um pedaço de código, trechos de código ou até mesmo um aplicativo no seu todo.
Muitas vezes até nos esquecemos de que quem está por de trás do uso desses pedaços de código são usuários que não têm noções de conceitos sobre algoritmia e programação.
Quem produz um aplicativo deve trabalhar com uma equipe que desempenha diferentes funções no processo de concepção da ideia até à estrega do produto final na mão do cliente.
Um Programador deve ser multitarefa e deve ter a habilidade de analisar falhas e problemas no desenvolvimento e concepção do projecto até à sua fase final e corrigi-los.
Programar não deve ser encarado como uma tarefa chata e rotineira mas a cada etapa um desafio e um modo e aperfeiçoarmos as nossas capacidades pessoais e nos testarmos constantemente a cada novo projecto.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">