7 linguagens de programação para aprender em 2018

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

O desenvolvimento de software é um campo de trabalho extremamente dinâmico, e isso se reflete nas habilidades que o mercado requer dos programadores. Linguagens de programação e ferramentas podem nascer, evoluir, chegar ao ápice e depois perder relevância em apenas alguns anos. Há também linguagens e ferramentas que se consolidam e atravessam décadas com forte presença no mercado e na academia.

Acompanhar a popularidade das linguagens de programação e quais são as mais demandadas pelo mercado é fundamental para profissionais e desenvolvedores de software. Aprender uma nova linguagem demanda tempo e esforço, portanto, deve ser uma escolha bem fundamentada e com relevância para sua carreira.

A forma de medir o quão importante ou popular é uma linguagem de programação não é única. Os índices Tiobe e PYPL, por exemplo, avaliam o número de pesquisas em ferramentas de buscas como o Google. O Redmonk avalia as linguagens mais discutidas e estudadas no Stackoverflow e Github. Em pesquisa recente, a CodingDojo fez um levantamento baseado nas linguagens mais requisitadas em ofertas de trabalho anunciadas no Indeed.com.

Apesar das várias métricas diferentes, em geral, é possível ver uma certa convergência em relação às linguagens principais. Mas fica a ressalva e dica para você: Sempre que ler um ranking de linguagens de programação, leia também quais as métricas utilizadas pela pesquisa. Se você quer saber qual linguagem pode te ajudar a ter uma recolocação ou mudança profissional, a abordagem do CodingDojo é mais interessante do que a abordagem do Índice Redmonk, por exemplo, mesmo que por vezes haja uma certa convergência.

As linguagens mais relevantes para 2018

A compilação abaixo não é um ranking, mas sim um apanhado das linguagens que mais se repetem no top 5 dos principais índices de popularidade. Ou seja, as 7 linguagens abaixo estão sempre presentes nos índices mais importantes de popularidade. O Tiobe e PYPL utilizados foram os referentes a fevereiro de 2018. O último ranking do Redmonk disponível é de junho de 2017, e junto com o da CodingDojo de novembro de 2017, formam os quatro índices que usamos para compilar as 7 linguagens abaixo, que são as que mais apareceram no top 5 de cada ranking.

Demos atenção especial ao ranking da CodingDojo, por ter um foco mais claro no mercado de trabalho.

Linguagem Java. Créditos: J.Sa13D032 , CC BY-SA 4.0 via Wikimedia Commons

Linguagem Java. Créditos: J.Sa13D032 , CC BY-SA 4.0 via Wikimedia Commons

1 – Java

Java está presente em todos os rankings de popularidade na primeira, e eventualmente segunda posição. Em termos de oportunidades de trabalho, também é a linguagem que mais tem demanda por profissionais. Com mais de 20 de anos de idade, é consolidada, muito conhecida e ensinada nas universidades e treinamentos em todo o mundo.

A publicação da CodingDojo aponta que 90% de todos sistemas back-end das empresas da Fortune 500 usam Java como linguagem base. O Java 9 foi lançado em setembro de 2017, e é a versão mais atual. Certamente a linguagem de programação mais demandada e popular do mundo.

Linguagem Python

Linguagem Python. Créditos: By Benjamin Hell , via Wikimedia Commons

2 – Python 

Python também é figura constante nos Top 5 dos principais índices de popularidade. Em termos de oportunidades de trabalho no Indeed.com, a linguagem vem crescendo em popularidade, com cerca de 5 mil postos de trabalho em 2017, de acordo com a CodingDojo. No Tiobe Index ela é a 4º colocada. No PYPL a segunda e no Redmonk a terceira. É muito usada nas universidades também em pesquisas e desenvolvimento de programas para dissertações e teses.

É uma ótima linguagem para se aprender tanto pela demanda de mercado como pelo diferencial no mundo acadêmico.

Linguagem JavaScript

Linguagem JavaScript

3 – JavaScript

Primeiro colocado no último ranking Redmonk, JavaScript manteve sua popularidade e demanda em alta nos últimos anos. É a principal linguagem de desenvolvimento front-end e os frameworks AngularJS e React tendem a se tornar mais populares ainda com o avança da Internet das Coisas.

É a terceira colocada no ranking da CodingDjo, atrás de Java e Python, e certamente é um diferencial importante para aprender.

Linguagem C#. Créditos: By Andres15alvarez, via Wikimedia Commons

Linguagem C#. Créditos: By Andres15alvarez, via Wikimedia Commons

4 – C#

O C#, linguagem desenhada pela Microsoft para rodar na plataforma Microsoft’s .NET, também é figura constante no Top 5 de qualquer índice de popularidade e demanda. A última versão é o C#7.2. Tal como C++, é especialmente demandada para desenvolvimento de games, o que a torna uma habilidade importante no CV de quem deseja se enveredar por esse área.

Linguagem PHM. Créditos: Colin Viebrock - http://php.net/logos

Linguagem PHM. Créditos: Colin Viebrock – http://php.net/logos

5 – PHP

PHP é amplamente usada no desenvolvimento Web. O WordPress é, em especial, uma plataforma cuja popularidade alavancou e muito a utilização e demanda por desenvolvedores PHP. No Tiobe e no CodingDojo ela não está no Top 5 , mas no PYPL e no Redmonk está em 3º e 4º lugar, respectivametne. 

Linguagem C++

Linguagem C++

6 – C++

C++ é uma linguagem velha de guerra. Desenvolvida como uma evolução do C, tem se mantido como uma das mais usadas e estudadas desde a década de 80. As principais áreas de aplicação são: Desenvolvimento de games, drivers, aplicações cliente-servidor e software embarcado.

É conhecida como uma linguagem relativamente complexa e mais difícil, mas continua presente nos principais rankings e é uma das mais consolidadas e velhas de casa. No Tiobe Index, ela aparece em 3º lugar.

Linguagem C. Créditos: By Rezonansowy [Public domain], via Wikimedia Commons

Linguagem C. Créditos: By Rezonansowy [Public domain], via Wikimedia Commons

7 – C

A linguagem C é conhecida como “old-scholl”. De fato, foi criada nos idos de 1972 e é uma linguagem de baixo nível, ideal para trabalhar próximo das interfaces de hardware e “escovar bits”. Mesmo 40 anos depois, ainda é uma das mais populares do mundo, principalmente na área de sistemas embarcados, onde é disparado a principal linguagem de programação utilizada. É muito comum em universidades e cursos técnicos que C seja ensinada no primeiro curso de linguagens de programação.

Não é tão demandada pelo mercado de software e aplicações alto nível, mas é a segunda colocada no Tiobe Index, por exemplo. 

Mais do que linguagens, aprenda a “programar”

Antes de terminar o artigo, um ponto muito importante. Existem centenas de linguagens de programação em uso, e muitas delas são importantes para o mercado. Mais do que se tornar “fera” em algumas delas, é preciso não esquecer dos conteúdos fundamentais de algoritmos e estruturas de dados, paradigmas de linguagens de programação e lógica de programação. Em última instância, todo software se resume a um algoritmo e a execução determinada lógica. Assim, ter uma boa base nesses conteúdos com certeza faz a diferença na hora de aprender e aplicar na prática novas linguagens de programação.

Deixe seu comentário abaixo e não se esqueça de conferir os links dos índices Tiobe, Redmonk, PYPL e CodingDojo. Alguns deles são atualizados mensalmente e são um bom termômetro sobre a popularidade e importância de cada linguagem.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Vitor Vidal

Mais artigos deste autor »

Engenheiro eletricista apaixonado por eletrônica e desenvolvimento de sistemas de hardware e software. Mestrando em Engenharia Elétrica no CEFET-MG. Produtor de conteúdo e redator na área de tecnologia. Escritor e poeta nas horas vagas.


11 Comentários

Irani
1

Bastante relevante o artigo. Esclarece sem deixar dúvidas que, mais importante que conhecer profundamente uma linguagem, é necessário embasamento técnico-teórico.

Pablo Ruan
2

Estou começando aprender programação. Estive conversando com um amigo formado em ciencia da computação e ele me disse que as linguagens de programação mais relevantes, são as que são voltadas para internet, ou seja, onde podemos acessar o “servidor” de qualquer lugar no mundo. As linguagens estáticas, por assim dizer, onde só podemos acessar os dados em casa ou no escritório, estão cada vez mais em baixa. Estes links que as linguagens fazem entre o homem e os dados ganham cada vez mais importância. É excelente você poder acessar o seu ou qualquer outro banco de dados a partir de um smartphone!

Ewerton
3

Legal a tabela fazer este resumo.
E um comentário a mais sobre uma linguagem em especial que estou me aprofundando, o c#, principalmente relacionado para desenvolvimento mobile com xamarin. A MS está dando sopa, porque ela dá a ferramenta, por exemplo o xamarin.forms e complica a criação de interface (designer). Já se você usar o xamarin (c#) e usar o designer nativo você pode criar interface gráfica com drop and drag ou vice versa não lembro agora. Aí pergunto usar o xamarin.forms complicado ou o xamarin nativo?
Comentário mesmo só para alertar quem queira começar a desenvolver em xamarin. Logo que vi esta opção pensei vou usar xamarin(c#) para desenvolver para Android que ganho mais em vez de usar o xamarin.forms!

Felipe Costa
4

Acho que faltou ai um Ruby e o Go lang. São ferramentas muito mais atuais e mais requeridas do que o próprio C talvez. Acho que vale a pena dar uma conferida nas 2 ;) abraço!

andre
8

O artigo fala que o mercado de trabalho é extremamente dinâmico, e, ao mesmo tempo, cita 7 linguagens de programação que já estão aí a bastante tempo (média de 28 anos de idade!), o que é incoerente. A dinâmica esta muito mais associada a necessidade de se acompanhar a evolução das linguagens e bibliotecas existentes, do que aprender novas linguagens.

Python(1991), Java(1995), JavaScript(1995), PHP(1995), C#(2000), são linguagens interpretadas, e, como tal, lentas; Ao contrário de C(1972) e C++(1980) que são compiladas e extremamente rápidas.

Isto significa que se você pretende desenvolver um aplicativo que demande eficiência computacional, a escolha é C/C++ e eventualmente até Fortran. Se pretende desenvolver um protótipo de software pode até usar uma linguagem interpretada e lenta, mas se pretende desenvolver um produto de engenharia eficiente/rápido, após a fase inicial de prototipagem migre para C se usar programação estruturada ou C++ se usar orientação a objeto. Outra opção, adotada por quem já tem um pouco de experiência, é fazer o protótipo já em C ou C++. lembro que a maior parte das questões de modelagem, em orientação a objeto, são resolvidas usando UML, o que independe da linguagem escolhida.

Notem que nossos “comentaristas/especialistas” sempre falam de C++ como uma linguagem velha e Python como algo novo, uma mentira deslavada, pois Python é quase tão antiga quando C++. O que importa é saber se a linguagem esta sendo efetivamente utilizada e se esta sendo constantemente atualizada. Por este critério todas as linguagens citadas são relevantes, e vale o ditado – a melhor é a que você sabe utilizar…

Nossos comentaristas também estão o tempo todo vendendo a ideia de que C/C++ são complexas, outra grande mentira. Se você usa uma linguagem interpretada e tem de lidar com problemas de desempenho, daí sim você tem um problema complexo de resolver, pois vai ter de usar mecanismos avançados de programação, como processamento paralelo, para aumentar um pouco o desempenho de seu software. Então, cuidado com esta idéia mal explicada de complexidade.

No Tiobe, o indicador mais antigo e respeitado, temos a seguinte ordem Java/C/C++/Python/C#, sendo que Java/C/C# tem uma sintaxe muito próxima de C++, daí decorre que quem aprende C++, aprende todas estas outras linguagens em muito pouco tempo. Ou seja, aprenda C++, inicie com exemplos simples, didáticos, focados em questões de sintaxe e lógica (algoritmos), depois vá fazendo exercícios com graus de dificuldade maior. O fundamental é entender que o aprendizado das ciências da computação é um processo longo e demorado; não compre a ideia de simplicidade ou simplismo muitas vezes vendida como justificativa para escolha de linguagens de baixo desempenho.

Notem que minha crítica é quanto a forma como se colocam estes artigos, não se discute a relevância e importância das linguagens interpretadas para uma enorme variedade de sistemas relacionados ao uso da internet, bancos da dados, smartphones, etc. Só não se deve simplificar e fazer comparações muitas vezes inadequadas.

Carlos Zudoski
9

A linguagem que mais se ganha dinheiro é C++, principalmente que não entra menino, pra ser programador em C++ o nível tem que ser alto.

Além disso existe o mercado de games, que está em toda as plataformas. C++ faz a diferença nesse escopo , além dos sistemas embarcados.

Por fim, quer ser um excelente profissional, aprenda C++

JALLISSON JALLIS OLIVEIRA BANDEIRA
10

Boa reportagem, sou desenvolvedor e estou no mercado de trabalho por saber desenvolver em java, e ainda uso o Swing que já está ultrapassado mais ainda me ajuda muito, ainda estou estudando java mobile e web para me atualizar abaixo alguns projetos meus:

http://sistemainformacaoprocesso.blogspot.com.br

http://car-ar.blogspot.com.br/2013/10/car-controle-de-autoridade-de-registro.html

http://gestordeocorrencia.blogspot.com.br/

Atualmente estou trabalhando com o Sip.

Cyntia
11

Como identificar um bom curso de linguagem de programação no mercado. Alguém indica algum curso à distância?

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">