8 maiores erros ao contratar uma melhor hospedagem de site

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Quando vamos começar um projeto online é comum ficarmos um pouco perdidos na hora de contratar a melhor hospedagem de site para nosso projeto. São tantos pontos para analisar que acabamos deixando passar informações relevantes que implicam no sucesso do site.

Isso ocorre principalmente em nosso primeiro site, onde as dúvidas são sempre muitas. Existe uma infinidade de serviços de hospedagem e diversos planos com recursos e capacidade diferentes.

Na matéria de hoje vamos abordar os erros mais cometidos na contratação de uma melhor hospedagem de site e também vamos passar algumas dicas para que você não caia em algumas “tentações” que só fazem perder dinheiro.

hospedagem-datacenter-site-nuvem

1 – Contratar o serviço mais caro

Esse é o erro mais comum e que costuma gerar um bom prejuízo no final do mês. É comum contratar o plano mais caro achando que ele garante o site mais rápido, com um melhor desempenho.

Se você acha que planos mais caros são sinônimo de sites mais rápidos, sinto em informar que muitas vezes isso não é verdade. Muitos planos podem oferecer uma quantidade diferente de recursos, mas nem sempre esses recursos influenciam na capacidade do servidor em receber visitas ou na velocidade de acesso ao site.

Alguns serviços podem oferecer mais espaço em disco, quantidade de domínios, contas de e-mails e etc. Porém isso de forma alguma influencia na capacidade do seu site receber acessos, muitos menos influencia no desempenho do mesmo.

O que aumenta a capacidade do servidor em processar solicitações é memória e CPU. Se não houver diferença entre a memória e o CPU oferecidos em cada plano significa que os planos vão oferecer a mesma velocidade de acesso.

Ou seja, mesmo o plano mais caro, se ele não oferece estes dois recursos a mais, não existe diferença na capacidade de processar as solicitações dos usuários.

Portanto, não há necessidade de contratar um plano mais caro se não há nenhum tipo de incremento na memória ou CPU disponibilizada. Então o único motivo para contratar um plano com maior valor é quando ele oferece recursos que você precisa e não estão disponíveis em planos mais básicos.

Não esqueça de avaliar o limite de transferência mensal por que, apesar dele não alterar a capacidade do servidor em processar visitas, ele age como “limitador” de acessos.

Agora vamos recapitular alguns pontos:

  • Memória e CPU: Influencia na capacidade do servidor processar visitas, sendo assim uma quantidade maior pode garantir mais velocidade no acesso ao site. Você pode contratar serviços mais caros se o objetivo for oferecer mais velocidade;
  • Transferência mensal: Age como fator limitante do número de visitas. Não garante mais velocidade, porém permite que o servidor receba mais acessos. Contrate apenas um plano com maior transferência mensal se realmente os planos mais baratos não lhe atenderem.

Seguindo essas dicas é possível evitar o desperdício de dinheiro contratando planos mais caros que não trazem retorno algum para o site.

2 – Não levar em conta custos adicionais

Quando se fala em criar um site a primeira coisa que vem a mente é o registro de domínio e depois a hospedagem de site. Mas é preciso levar em conta que pode ser necessário contratar serviços adicionais que podem alterar significativamente o valor final do plano.

É preciso colocar tudo na ponta do lápis para se chegar a um denominador comum. O plano mais barato nem sempre vai ser o mais vantajoso se calcularmos os serviços adicionais que precisamos contratar ao usarmos o plano básico.

Alguns serviços de hospedagem já incluem domínio e certificado SSL grátis. Esses são dois itens muito importantes que devem ser levados em conta na hora de contratar a melhor hospedagem de sites.

O certificado SSL, por exemplo, pode ter um peso bem grande no orçamento quando contratado como serviço adicional. E como todos os sites hoje em dia precisam de um certificado, é interessante optar por empresas que ofereçam um certificado SSL grátis.

No caso do certificado SSL, é possível utilizar soluções grátis como o Let’s Encrypt. Se você tem acesso Root – no caso de uma hospedagem VPS, Cloud ou Dedicada – ou a hospedagem compartilhada oferecer suporte, pode ser usada esta solução de certificado SSL grátis.

3 – Escolher o tipo de hospedagem de site errado

Quando se fala em hospedagem existem muitas opções de planos, mas não apenas isto. Existe também diferentes tipos de hospedagem de sites que são projetadas para atender diferentes demandas e projetos

Na matéria de hoje vamos falar dos principais tipos de hospedagem do mercado.

Hospedagem compartilhada

Tem o menor valor entre todos os tipos e é a mais simples de usar. Suporta pelo menos 40 mil acessos por mês e pode chegar até 60 mil em um site bem otimizado e que possui sistemas de cache. Esse é um valor de visitas estimado, mas geralmente fica dentro desta faixa de valores, podendo até superar em alguns casos.

Na hospedagem compartilhada vários clientes compartilham o mesmo servidor e IP. E alguns serviços possuem também isolamento de recursos para limitar a quantidade de memória disponível para cada cliente.

Hospedagem VPS

Quando a hospedagem compartilhada não suporta o número de acessos ou há necessidade de instalar alguma aplicação ou fazer alguma personalização no servidor, a hospedagem VPS é a opção mais em conta para estes casos.

A hospedagem VPS é a hospedagem mais barata a permitir o acesso Root (de administrador). Além disso ela também é mais segura e confiável pelo fato de os recursos do servidor não serem compartilhados entre os clientes, nem mesmo o IP é compartilhado.

Hospedagem cloud

Este tipo de hospedagem é bastante semelhante a hospedagem VPS, porém tem o diferencial de usar a arquitetura baseada nas nuvens, o que confere uma maior confiabilidade ao serviço.

Serviços cloud são mais indicados para quem deseja criar aplicações de alta disponibilidade, onde qualquer minuto fora do ar pode resultar em grande perda financeira.

Hospedagem dedicada

Essa tem o valor bastante elevado, mas conta com a vantagem de ter um servidor exclusivo a disposição do cliente. O preço é bem superior a todos os outros tipos de hospedagem, mas o desempenho de um servidor dedicado também é muito maior. Este tipo de hospedagem é indicado para aplicações com alto volume de tráfego.

4 – Preço como indicador de qualidade

Definitivamente preço não é sinônimo de qualidade quando se trata de hospedagem de site. Existem muito provedor de hospedagem bom em promoção, enquanto existem serviços ruins e caros.

Assim como ocorre na questão da contratação de planos mais caros, é um grande erro achar que seu site vai ser rápido ao contratar uma hospedagem de site mais cara.

É comum recebermos muitas perguntas sobre quanto custa ter um site. Geralmente não custa mais que R$ 20 reais por mês podendo custar até bem menos em alguns casos. A hospedagem compartilhada tem um valor bem atrativo.

Mesmo utilizando os serviços mais baratos do mercado é possível ter um serviço de hospedagem de site estável, confiável e que oferece uma boa velocidade de acesso ao seu site.

5 – Adquirir serviços de empresas desconhecidas

Contratar um serviço de hospedagem é confiar seu site a uma empresa. É por esse motivo que deve existir uma relação de confiança com a empresa que você pretende utilizar para hospedar o site.

Antes de fechar com uma empresa é importante ter referências ou indicações de pessoas que já utilizam o serviço e que podem opinar sobre a qualidade da mesma.

É claro que mesmo sem conhecer uma empresa é possível contratá-la com segurança através de indicações (confiáveis claro) de clientes que podem atestar a qualidade do serviço de hospedagem.

6 – Não avaliar os requisitos do projeto

Para contratar a melhor hospedagem de site é preciso fazer uma avaliação do seu projeto a fim de saber o quanto de espaço em disco, contas de e-mails e todos os recursos adicionais que serão necessários para o funcionamento do seu site, blog ou loja virtual.

É interessante fazer uma lista de todos os requisitos das aplicações que serão utilizadas no servidor. Por exemplo o WordPress não tem requisitos significativos, geralmente ele é compatível com qualquer empresa de hospedagem, mas ainda assim ele precisa de um banco de dados MySQL/MariaDB, PHP versão 5.6 ou superior.

Toda aplicação, por mais simples que seja, possui requisitos. E uma aplicação mais complexa pode exigir recursos que não estão disponíveis por padrão numa hospedagem de site.

Além disso, é preciso levar em consideração a quantidade de acessos caso você tenha um site com um bom número de visitas ou pretende investir em publicidade (o que pode elevar rapidamente o número de acessos ao site).

Todas essas características devem ser levadas em consideração ao escolher um melhor site de hospedagem para dimensionar corretamente os recursos necessários do servidor.

Os requisitos da aplicação, número de acessos, contas de e-mails, espaço em disco, tudo isso deve ser previsto para que seja possível escolher uma melhor hospedagem de sites.

7 – Pagar por serviços desnecessários

As empresas de hospedagens de sites costumam oferecer vários serviços adicionais. Essa é uma prática bastante comum. Esses “opcionais” até são bem interessantes, não dá para dizer que serviços como backup e CDN são desnecessários.

Porém, se você está começando agora um projeto pequeno, é interessante verificar a existência de alternativas gratuitas. Para CDN, por exemplo, existe o CloudFlare que é muito bom e oferece conta grátis. Já o backup pode ser feito através de plugins próprios para isso.

Se for um projeto grande, com um bom orçamento, eu diria que é uma boa ideia contratar estes opcionais. Agora se o projeto é pequeno talvez seja interessante pensar nestas alternativas gratuitas e realocar estes custos para outras áreas do projeto.

Antes de contratar qualquer opcional certifique-se de que não existam alternativas gratuitas que lhe atendam.

8 – Não avaliar os canais de atendimento

Sempre que vamos contratar uma hospedagem de site é interessante entrar em contato com a empresa para tirar alguma dúvida e também avaliar os canais de atendimento que a mesma oferece.

Pode não parecer, mas existem empresas que conseguem tornar “dramática” a missão de obter uma simples informação (e não é algo raro viu!). Então imagina como é o suporte pós-venda dessas empresas…

É importante verificar também a existência de canais de atendimento por telefone ou chat. É indispensável contratar um serviço que ofereça um meio de comunicação onde o contato flua melhor que em tickets ou e-mails.

Conclusão

Na matéria de hoje você conheceu os 8 maiores erros na hora de contratar uma melhor hospedagem de site. Agora basta seguir essas dicas para contratar um bom serviço de hospedagem, compatível com seu projeto e com um melhor custo-benefício.

Escolher um bom site de hospedagem não é uma tarefa difícil, mas é preciso ficar atento a certo “detalhes” que geralmente não são divulgados pelas empresas de hospedagem de sites.

Eu diria que o primeiro erro é o mais cometido, a grande maioria das pessoas não fazem ideia que muitas vezes os planos mais caros não vão trazer diferença prática para o desempenho em alguns casos. Algumas empresas oferecem mais memória e CPU de acordo com o plano, outras não, então é importante verificar antes para saber se vale a pena pagar mais por um plano.

Esta matéria foi criada em parceria com a equipe do site melhoreshospedagemdesites.com. Se você quer saber mais sobre o que é hospedagem de site, conferir dicas, reviews e o ranking das melhores hospedagem de sites, não deixe de conferir este site que é especialista em hospedagem de sites.

Espero que tenham gostado dessas dicas. Caso tenha alguma dúvida, não esqueça de deixar seu comentário abaixo.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Redação PTI

Mais artigos deste autor »

Portal dedicado ao compartilhamento de conteúdos relacionados a carreira em Tecnologia da Informação. Siga-nos nas redes sociais acima e acompanhe publicações diariamente :)


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">