Como gerenciar processos via PowerShell no Windows 10

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Olá, pessoal!

Como sabemos, o PowerShell é um shell robusto e poderoso destinado a administradores de sistemas para se trabalhar via linha de comando (CMDLET) ou via scripts que podem ser criados no PowerShell ISE. Este shell é utilizado tanto para as tarefas mais simples como também para as mais complexas. Esta ferramenta vinha antes somente nas edições do Windows Server, mas agora já está incorporada também no Windows 10.

Neste artigo, irei demonstrar como gerenciar processos via linha de comando no Windows 10. Um dos princípios básicos para um bom técnico de TI é saber gerenciar processos, saber quais processos estão ocupando muita memória e processamento e também como eliminá-los.

Então vamos aos procedimentos básicos necessários.

Para abrir o PowerShell, iremos clicar com o botão direito do mouse no botão do Windows situado no canto inferior esquerdo da área de trabalho e depois clicar com o botão esquerdo em “Windows PowerShell (Admin)”, para abrirmos com permissões administrativas.

PowerShell_CMDLET_01

Ou podemos também digitar PowerShell no campo de busca do cortana e aparecerá tanto o Windows PowerShell ISE (que serve para criação de scripts), como também a segunda opção que é o Windows Powershell que iremos utilizar.

PowerShell_CMDLET_02

Com o Windows PowerShell aberto, o primeiro passo que devemos fazer é atualizar o módulo help para consultas que possam ser necessárias.

Para isso iremos digitar o command-let (CMDLET) “update-help” e apertar a tecla <enter> para fazer a atualização da base de dados. 

PowerShell_CMDLET_03

Agora, que o módulo Help está atualizado, podemos prosseguir com a utilização do PowerShell.

Para gerenciarmos os processos que estão sendo executados, iremos digitar o comando “get-process” <enter>.

PowerShell_CMDLET_04

Aparecerá todos os processos que estão sendo executados no momento. Normalmente, para gerenciar algum processo em específico precisamos saber o ID deste processo ou o nome inteiro dele. Na imagem a seguir não aparece o título de cada coluna devido ter mostrado muitos processos sendo executado, mas se utilizar a scroolbar da lateral, conseguirá ver o título das colunas.

A coluna que se refere ao ID do processo é a sexta coluna contando da direita para a esquerda e o nome do processo é a última o qual podemos notar. 

PowerShell_CMDLET_05

Se quisermos verificar um processo em específico, podemos estar digitando o comando “get-process -name nome_do_processo” <enter> que mostrará só este service na janela do PowerShell. No exemplo da imagem abaixo, foi digitado “get-process -name teamviewer_service” <enter>, ou neste caso podemos tirar a instrução -name ficando “get-process teamviewer_service” <enter> e agora podemos notar o título das colunas. Também podemos estar filtrando por um parte do nome do processo ficando como exemplo do Teamviewer desta forma “get-process -name *team*”. A parte do nome da busca fica entre asteriscos.

PowerShell_CMDLET_06

Supondo que necessitamos parar o processo em execução do Teamviewer, então digitaremos o comando “stop-process 2576″<enter>, onde o número 2576 é o Id do processo referente a este processo. Podemos também estar parando  este serviço digitando seu nome como aparece na coluna ProcessName, ficando da seguinte forma: “stop-process -name “teamviewer_service”<enter> (neste caso tem que colocar a instrução -name). 

Outro comando para parar um serviço em execução e que é muito utilizado no linux é o comando kill podendo ser pela Id (kill 2576) ou pelo nome do processo (“kill -name teamviewer_service).

Na sequência é só confirmar a parada do serviço apenas apertanco <enter> ou colocando S seguido de <enter>

PowerShell_CMDLET_09

Se depois tentarmos localizar o comando pelo get-process, iremos notar que aparecerá uma informações na tela informando que não encontrou o processo em execução.

PowerShell_CMDLET_10

É muito prazeroso trabalhar com o PowerShell, pois oferece centenas de CMDLETS que podem ser usados, além dos comandos padrões usados no Shell, como no caso do Prompt de Comando.

Espero que este artigo seja de grande ajuda. Até o próximo!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Luciano Gusso

Mais artigos deste autor »

Formado em Analise e Desenvolvimento de Sistemas, com MBA em Gestão de Projetos.
Trabalhando há mais de 20 anos na área de TI, prestando suporte técnico e consultoria à empresas e usuários finais.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">