O que é Edge Computing? Tudo o que você precisa saber!

Com o surgimento da Internet das Coisas (IoT), vários dispositivos com conexão à internet (drones, smartohones, câmeras etc.) passaram a exigir uma maior necessidade de processamento de dados. Assim, o Edge Computing (computação de borda) foi um dos meios utilizados para otimizar o uso dessas ferramentas conectadas à Rede Mundial de Computadores.

Essa tecnologia melhora toda a conexão desses dispositivos com a internet, visto que busca aproximar a computação da fonte das informações coletadas. Isso permite que esse processamento aconteça próximo do ambiente do usuário ou da fonte de dados.

Um dos benefícios do Edge Computing é a redução da necessidade de entregar informações por longas distâncias entre dispositivo e servidor, diminuindo, dessa forma, a latência e exigindo menor largura de banda. Sendo assim, preparamos este texto para que você conheça tudo sobre o Edge Computing. Confira agora!

cloud-computing-infra-infraestrutura-nuvem-computacao

O que é Edge Computing?

Trata-se de uma tecnologia ligada à Internet das Coisas e sua constituição se baseia em uma rede de micro data centers que trabalham e alocam informações requisitadas de modo local. Você pode perceber que esse conceito não parece ser fácil, contudo, as vantagens do Edge Computing são muito simples de compreender.

Quando se trata de IoT, o recolhimento de informações é realizado por meio de dispositivos, os quais agrupam tudo aquilo que foi captado de acordo com cada tipo de equipamento — e, assim, os dados armazenados são repassados para uma central, ou nuvem de processamento.

O Edge Computing faz com que, em vez de levar esses dados para uma central ou cloud, ele classifica essas informações de maneira local e separa todas que possam ser processadas, a fim de reduzir o tráfego de dados. Essas informações são trabalhadas no limite de uma rede e somente parte delas são remetidas a diretórios centrais.

Ou seja, pode-se dizer que essa tecnologia surgiu com o objetivo de reduzir os problemas provocados pela sobrecarga de tráfego e pela largura de banda necessária para transportar informações para a nuvem. Essa ferramenta se encontra na borda da rede e auxilia no processamento de análise de dados de maneira local, além de filtrar e reunir o que realmente deve ser enviado para a cloud.

Qual a sua relação com a Internet das Coisas?

A IoT está relacionada com as tendências em que objetos comuns do dia a dia possam se tornar inteligentes por conta da conexão com a internet. Ou seja, diversos dispositivos são capazes de receber e enviar dados utilizando redes sem fio, sem a obrigação de que haja uma intervenção direta humana. Exemplos disso são os drones, carros autônomos e smartwatches.

Assim, essas são situações em que é fundamental contar com o Edge Computing, visto que elas são dependentes de um processamento e transmissão em tempo real, e não podem passar por períodos de lentidão ou erros na conexão, como acontece em determinados casos.

Com o Edge Computing, você pode administrar as informações de modo direto, fazendo com que os mecanismos de IoT adquiram capacidade computacional sem depender totalmente da cloud computing.

Quando utilizar essa tecnologia?

A transformação digital propiciou várias vantagens para quem a utilizar, seja empresas ou profissionais de TI. O Edge Computing pode ser aproveitado notadamente em ambientes em que a latência, que é o tempo necessário para que uma informação seja captada e processada em uma rede, deve ser bem menor.

A computação de borda otimiza o processamento de dados, fazendo com que eles sejam processados próximos do local em que foram captados. Ressalta-se que essa solução não foi criada com o objetivo de substituir ou acabar com a computação em nuvem, mas sim para trabalhar em conjunto com ela a fim de proporcionar maiores benefícios para todos que dela precisarem.

Veja, a seguir, alguns pontos que devem ser considerados no momento de utilizar o Edge Computing:

  • dimensão da infraestrutura;
  • largura de manda de internet;
  • modelo de serviço utilizado pelas empresas ou profissionais autônomos de TI;
  • energia;
  • capacidade de processamento;
  • custos de implantação.

Posto isso, você deve analisar corretamente essas questões para tomar uma decisão certeira, considerando sua rede existente e a simplicidade de contar com profissionais especializados para a manutenção, entre outros pontos para saber se realmente essa solução atende às suas necessidades.

Quais as vantagens do Edge Computing?

Essa solução apresenta uma função essencial no armazenamento, análise, filtro e envio de informações para sistemas cloud. Ela permite a diminuição da largura de banda ao trazer o poder de processamento para perto da fonte, em vez de mantê-lo na nuvem ou central.

Contudo, mesmo que sua maior vantagem seja considerado a redução de latência e de largura da banda, há outros benefícios fundamentais que podem ser extraídos do Edge Computing. Veja, a seguir, alguns deles.

Diminuição do tráfego nas redes

O micro data center de Edge Computing exerce o papel de um concentrador de informações e dispositivos. Ou seja, ele capta todos os dados de sensores, realiza o processamento e faz entrega utilizando os meios corretos para consumo dos clientes externos e internos de uma companhia, por exemplo.

Assim, essa ação faz com que haja uma redução de dados que trafegam pelas redes externas, além de inserir novos modelos de acesso padronizados, como os protocolos melhorados para que ocorra uma transmissão mais estruturada e veloz.

Redução de custos

O Edge Computing melhora o fluxo de dados entre o usuário e a cloud. É fato que nem todas essas informações apresentam o mesmo valor e importância para um determinado negócio. Com essa tecnologia, é possível optar por quais dados serão enviados, administrados e protegidos. Dessa forma, haverá uma redução da largura de banda e, consequentemente, uma diminuição de custos ao longo desse processo.

Integração entre equipamentos

Se um profissional de TI ou uma empresa do setor conta com equipamentos antigos, o Edge Computing faz com que isso deixe de ser um problema, visto que essa solução permite a conexão tanto com soluções físicas como com a nuvem.

Você pode iniciar projetos modernos, especialmente àqueles relacionados à Internet das Coisas, sem a necessidade de alteração de todos os equipamentos do seu negócio.

Eficiência em ocasiões de problemas na conexão

Um dos benefícios quando se fala em Edge Computing é a viabilidade de poder manter em pleno funcionamento mecanismos e ferramentas quando ocorrer problemas com a internet. Como o processamento e armazenamento de informações acontece de forma local, falhas na conexão não prejudica o trabalho de seus equipamentos.

Sendo assim, essa tecnologia disponibiliza opções interessantes quando tiver algum caso de instabilidade na conexão. Ou seja, é um método bastante eficiente para aquelas localidades remotas em que o acesso à rede é muito limitado.

Melhoria da segurança de dados

A segurança de dados é uma grande preocupação para quem atua no ramo da Tecnologia da Informação, já que se tornou bastante comum os ataques cibernéticos. A descentralização no armazenamento de informações em uma organização, por exemplo, auxilia na manutenção da privacidade e segurança dos dados. O Edge Computing disponibiliza, ainda, maior capacidade de monitoramento dessas informações.

Quais segmentos podem se beneficiar dessa tecnologia?

A redução de latência, que proporciona maior rapidez no processamento, pode ser utilizada para otimizar a produção em vários segmentos, como as indústrias em geral. O setor de saúde também pode tirar grandes benefícios do Edge Computing, além de outros como a telecomunicação e o financeiro.

A área de marketing, com a automação direcionada para e-commerces, pode usar redes com essa tecnologia para realizar pagamentos e processar dados muito mais rápido, quando comparado com tecnologias exclusivas de cloud computing.

Essas informações, com o objetivo de criar relatórios de dados em longo prazo, podem ser armazenadas e remetidas às centrais, uma vez que os processos já foram executados no Edge. Entenda que essa solução deve trabalhar em conjunto com a nuvem para que haja uma melhor segurança de dados e de processamento de informações.

Negócios em todo o mundo que necessitam de alta segurança de informações também tiram vantagens da computação de borda, porque pode ocorrer problemas na segurança no caso de esses dados serem processados apenas em plataformas cloud ou centrais.

Quais são seus principais riscos e desafios?

Há riscos na utilização de soluções baseadas em Edge Computing como qualquer outro sistema, notadamente quanto ao quesito segurança. Conheça os principais:

  • escalabilidade prejudicada por conta da instalação de endpoints de IoT;
  • ataques cibernéticos;
  • lentidão por causa da largura de banda;
  • custo de implantação e de administração os quais podem ultrapassar vantagens financeiras;
  • informações roteadas de modo ineficiente.

Contudo, o Edge Computing é uma inovação que pode ser largamente utilizada em pouco tempo. Alguns especialistas do setor trabalham para otimizar essa tecnologia focando na sua constante evolução.

Como essa tecnologia trabalha na prática?

Para que você entenda melhor como é o seu funcionamento, preparamos algumas situações que ela pode ser utilizada.

Internet das Coisas

A IoT é um dos periféricos que mais tira vantagem do Edge Computing. No momento em que os dispositivos apresentam a capacidade de processar e analisar informações, a latência e a usabilidade da banda acabam sendo menores, fazendo com que ocorra um menor processamento dessa solução em nuvem.

O Edge Computing pode promover ações como:

  • prevenção de obstáculos;
  • detecção de objetos;
  • processamento de linguagem;
  • reconhecimento facial.

Agora imagine uma casa que tenha uma geladeira com essa tecnologia. É possível detectar quando algum alimento está em falta, o que permite a você realizar a reposição de maneira fácil e simples comprando pela internet.

Veículos autônomos

O Edge Computing possibilita que carros transportem passageiros sem a necessidade de existir um condutor para isso. Segundo a empresa Intel, os veículos equipados com CPUs e GPUs de alto desempenho terão centenas de sensores capazes de gerar dados suficientes para promover essa empreitada.

Nesse caso, a tecnologia de computação de borda tem como meta processar esses dados de forma rápida ao serem captadas pelos sensores. Isso faz com que o veículo possa realizar uma ação instantânea na condução do carro, como evitar um obstáculo ou frear.

Câmeras de segurança

Um proprietário de uma residência que precisa instalar câmeras de segurança, por exemplo, se depara com um problema: os equipamentos armazenam imagens sem o uso de um filtro, fazendo com que apenas aquilo que tem pouca relevância seja salvo.

Isso faz com que o programa realize uma limpeza constante de dados para armazenar novas informações. Para que essa situação seja resolvida, a utilização da inteligência artificial do Edge Computing ajuda o sistema a armazenar somente aquilo que seja importante, o que reflete em economia de armazenamento e banda.

Enfim, é fundamental ressaltar que muitos profissionais de TI ainda não chegaram a uma conclusão sobre a verdadeira segurança que o Edge Computing apresenta. Alguns deles acreditam que há menor vulnerabilidade no sistema por conta de que certos dados não percorrem um longo percurso de entrega, o que reflete em uma menor possibilidade de ataques.

Outros especialistas falam que os gateways são menos seguros, uma vez que são dispositivos terminais. Além disso, eles dizem que essa tecnologia de borda tem menor segurança pelo fato de que conta com redes de menor custo e infraestrutura.

Porém, há tecnologias voltadas para a proteção do Edge Computing, como a utilização de VPN (Rede Privada Virtual), que deve inserida a fim de garantir uma maior segurança do sistema. Assim, é fundamental que o setor de TI analise e averígue a viabilidade da implementação dessa tecnologia, levando em conta toda a mudança que ela pode oferecer a negócios e a profissionais que trabalham na área de Tecnologia da Informação. A necessidade de segurança e manutenção, dentro outros pontos, são questões que precisam ser mensuradas.

Sendo assim, o Edge Computing é resultado da transformação digital que acontece em vários setores do mercado. Seu benefício mais importante é a possibilidade de otimizar o desempenho da rede, o que diminui consideravelmente a latência. Ou seja, os seus dispositivos processarão dados de forma local, fazendo com que essas informações não necessitem viajar por um longo caminho quando comparado com soluções baseadas em nuvem tradicional.

Gostou da explicação sobre o que é Edge Computing? Deixe seu comentário com suas dúvidas e impressões, será um prazer para nós respondê-lo!

Redação PTI

Mais artigos deste autor »

Portal dedicado ao compartilhamento de conteúdos relacionados a carreira em Tecnologia da Informação. Siga-nos nas redes sociais acima e acompanhe publicações diariamente :)


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">