Os segredos das grandes realizações na Web – Tomando decisões

Vendo a dificuldade que muitos empreendedores estão tendo para tomar algumas decisões, me propus a criar um pequeno artigo dentro dessa série de artigos para aliviar  algumas das tensões desse processo. Claro que, para trazer a tona todos os casos que podem ocorrer demandaria um livro de 1000 páginas ou mais, porém, como temos poucas linhas, vou me ater em detalhes críticos dos quais considero importantes na hora de empreender e tomar decisões.

Decidir algo está intimamente ligado com definir algo sobre condição de incerteza, ou seja, não se pode dizer que se tem controle absoluto sobre o mercado ao qual está exposto. Claro que há casos que se podem mensurar com mais precisão os riscos, só que nem sempre é assim, uma boa parte das decisões requerem visão e sempre uma capacidade superior de assumir riscos.

Assumir riscos não é necessariamente assumir algo totalmente improvável, isso é presunção e falta de profissionalismo. Assumir riscos é sim a capacidade de avaliar a situação e encontrar em meio há um oceano de possibilidades a mais eficaz no momento para que o sucesso esperado do projeto possa ser alcançado. Saber que algo pode dar errado faz com que se tenha mais cuidado, esse medo faz com que decisões desastrosas não comprometam o projeto. Por outro lado, o excesso de medo ou receio (como preferir) faz com que o espírito empreendedor vá por ralo a baixo, e cria controvérsias e desgosto por parte dos empregados e também muitas vezes de seus clientes. Seus clientes querem algo inovador, desejam coisas diferentes e que possam fazê-los felizes, satisfeitos.

Manter vivo o empreendedor que há em você é manter a capacidade de explorar o desconhecido quando há necessidade ou uma nova oportunidade. Na Internet isso é questão de sobrevivência, não adianta apenas ser empreendedor para iniciar um negócio, tem-se a necessidade de ser empreendedor para dar continuidade ao projeto. Sim, é verdade, basta entender que a tecnologia se modifica a cada instante, é uma mutação constante, ao mesmo tempo em que estou digitando este artigo existem novas idéias e tecnologias sendo aperfeiçoadas/criadas no mercado, portanto, há uma real necessidade de acompanhar a rápida mutação que o mercado sofre, principalmente para quem deseja se destacar como um projeto inovador. Ser inovador hoje é estar no mínimo dois passos a frente da concorrência. Pra que dois passos? Digo dois, porque o primeiro é estar com a tecnologia de ponta aplicada ao projeto e o segundo é estar se preparando para aplicar a tecnologia futura em teste no mercado. Consegue perceber como é o processo de desenvolvimento tecnológico? Nada do que temos hoje terá muita utilidade no futuro, pois tudo se recriado. Recria-se tanto que os modos de vida são afetados de forma que geram padrões de comportamentos muitas vezes de difícil interpretação e isso gera novas necessidades e novas oportunidades de empreendedorismo.

É disso que vive o mercado financeiro:

Novas necessidades + Novas soluções + Novos produtos + Clientes = Lucro.

Não é fácil tomar decisões, sei disso, porém existem regras das quais procuro aplicar para que essa dificuldade não se estenda a ponto de que minha visão profissional e meu feeling não possam me auxiliar nesse processo em parceria com outros profissionais de aconselhamento.

Boas decisões são essenciais para que o projeto crie vida e tenha sucesso, portanto nada pode opor-se a esse desfecho. Para isso, temos que eliminar as possibilidades de que sejam tomadas decisões desastrosas.

Eliminando riscos para tomar decisões inteligentes:

  • Minha forma de eliminar riscos é simples, porém, com regras claras e imutáveis.
  • Para facilitar o processo de decisão procure criar uma equipe que contenha pessoas com habilidades distintas. Isso faz com que diferentes opiniões possam norteá-lo em uma direção correta, mostrando as possibilidades e riscos naquele momento.
  • Reúna sempre um número suficiente de pessoas para discutir as possibilidades, nunca reúna muitas pessoas no mesmo ambiente, pois isso fará a reunião ficar cansativa, já que todos terão que opinar. Seria incoerente não ouvir todos.
  • Tomar decisões requer profissionalismo, nada pior do que misturar sentimentos pessoais nessas horas. Creio que a melhor forma de eliminar esse risco é criar equipes que não contenham amigos ou parentes, pois o ser humano tende a tomar decisões baseadas no relacionamento pessoal. Se sua equipe de reuniões estratégicas e de inovação possui alguma pessoa que condiz com uma relação pessoal faça um favor a si mesmo, troque-a de função, não estou dizendo – Elimine-a – e sim estou dizendo que muito provavelmente suas decisões estarão ligadas por sentimentos e não com a racionalidade.
  • Você precisa de recomendações sólidas, aplicáveis e gerenciáveis, por isso invista seu tempo em manter profissionais (in)formados ao seu lado como conselheiros. Coloquei propositalmente o (in) como a função de destacar que um profissional informado vale mais do que um profissional somente formado. Ser formado no Brasil de hoje não é sinônimo de profissional qualificado, mais ser informado sobre o mercado que se atua mostra desejo pelo que esse profissional faz.
  • Ouça até mesmo os argumentos contrários ao seu desejo, muitas vezes são eles os responsáveis de não permitir que seu projeto vá pelo ralo.
  • Aprenda a testar antes de se arriscar por completo. Você não pode saber se dará certo se não tentar, porém não deve se lançar por completo sendo que tudo é teórico até então. Mais vale reconhecer quando está perdendo e quando o mercado não irá se restaurar para poder sair de campo a tempo ao invés de tentar jogar todas as fichas de uma só vez e arriscar a sorte. Existe diferença entre testar um projeto e se arriscar um projeto.
  • Estipule metas atingíveis para medir e avaliar as decisões que foram tomadas.
  • Beneficie aqueles que permitiram uma boa decisão, pois assim você terá uma equipe de conselheiros com um apelo financeiro para prestar um melhor trabalho nestas horas. Recompensa gera resultados.
  • Contrate pessoas com espírito empreendedor.

Essas regras que uso no meu dia-a-dia podem ser aplicadas tanto em uma pequena empresa quanto em uma empresa que apresenta certo desafio para administrá-la. Principalmente a característica de separar o pessoal do profissional.

Até a próxima.

Não se esqueça de enviar assuntos para meu e-mail de contato (contato@alpisconsultoria.com), terei prazer em fazer um Artigo sobre o assunto desejado.

Luiz Castro Junior

Mais artigos deste autor »

Diretor da Alpis Consultoria.
Consultor Certificado 8 Ps - Marketing Digital, Planejamento Estratégico digital, Gestor de Projetos.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


oito − 4 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>