Gerenciamento de reputação de pessoas e empresas na Internet

A popularização da Internet trouxe um novo tipo de preocupação para pessoas e empresas, como mostra o caso recente de divulgação das fotos da atriz Carolina Dieckman. Agora, uma vez que uma informação caiu na rede, ficará disponível para praticamente qualquer um acessá-la, elevando a fofoca e o boca-a-boca a um novo patamar, tanto para o bem quanto para o mal. A preocupação passa a ser com o tipo de imagem que aparece a seu respeito quando se faz uma busca na Internet.

O que fazer para evitar que a percepção que se tem de você ou de sua empresa seja negativa na Internet ? Ou se informações indesejáveis aparecem como resultado de uma busca em mecanismos como o Google ou o Bing?

O gerenciamento de reputação de pessoas e empresas foi tema de um post no Blog Oficial do Google em 2009. Apesar de serem baseadas puramente no bom senso, as dicas listadas são muito valiosas tanto para quem quer evitar ter uma imagem negativa de si na Internet quanto para quem já está com ela ruim e queira reverter a situação.

A primeira dica listada lá é também a mais óbvia : não publique na Internet informações pessoais suas das quais possa se arrepender mais tarde. A premissa é que mesmo que a informação possa parecer inofensiva no contexto em que você a publicou – uma rede social, por exemplo -, mecanismos de busca podem listá-la fora de contexto e continuará listando-a tempos depois que você a removeu.

E o que fazer se uma informação que você julga negativa aparecer publicada? No caso de ter sido você mesmo quem publicou, simplesmente a remova. Isso vale para sites controlados diretamente por você e também para alguns sites de terceiros nos quais é sua a responsabilidade de fazer o upload das informações. Por exemplo, se você colocou uma foto no Orkut, Facebook ou outro site similar e essa foto aparece de forma pejorativa ou constrangedora em certas buscas online, você pode apagá-la do endereço original.

Infelizmente, a busca pode continuar retornando sua foto (ou outra informação) por algum tempo, até que o mecanismo de busca atualize a referência ao site em que ela se encontrava e passe a retornar o novo conteúdo. O Google disponibiliza uma ferramenta para agilizar esse trâmite mas há muitos outros mecanismos de busca na Internet e pode levar um bom tempo até que todos eles deixem de listar o conteúdo indesejado.

Se você não tiver condições de retirar por você mesmo a informação indesejada, veja se é possível entrar em contato com quem gerencia o site e peça que o conteúdo seja removido. Caso um contato não seja possível ou haja recusa em fazer a remoção, você ainda pode agir proativamente de diversas maneiras para tentar ao menos minimizar o estrago. No caso de empresas, uma situação típica de recusa para eliminar um texto desfavorável são os sites de reclamações, tais como o Reclame Aqui, onde consumidores que se sintem lesados têm espaço para divulgar suas más experiências.

Veja abaixo uma lista com alguns exemplos de ações proativas que você pode executar:

Crie um perfil público seu ou de sua empresa em ferramentas como o Google Profile ou LinkedIn e inclua nele informações que proporcionem uma imagem positiva. É muito provável que pesquisas feitas diretamente pelo seu nome listem o endereço desse perfil nos primeiros lugares e, ao seguirem esse link, as pessoas se depararão com as informações positivas antes de qualquer outra.

Se alguém publicou fotos suas das quais você não gosta, escolha algumas que você goste e as publique. Isso ajuda a minimizar o impacto negativo que a foto original possa acarretar.

Se algum cliente registrou reclamação a respeito de sua empresa, encontre clientes que estejam satisfeitos e peça a eles que também publiquem as experiências deles, realçando a satisfação de serem seus clientes. Isso oferece um contraponto ao impacto negativo das reclamações.

Se saiu no site de algum jornal ou revista uma notícia desfavorável sobre um assunto que depois se mostrou infundado ou que sofreu uma reviravolta favorável (um processo que sua empresa ganhou, por exemplo) solicite ao veículo que atualize o conteúdo da matéria original, incluindo nela um link para a nova matéria que trata do desdobramento favorável.

Fonte: Balaio Tecnologico

Luís Gustavo Fabbro

Mais artigos deste autor »

Bacharel em Ciências da Computação, formado pela Unesp Bauru. Foi responsável pelos módulos da área industrial do ERP da ABC71 Soluções em Informática entre 1993 e 1998. Em 2002, passou a ser responsável pela então nascente área de Pesquisa & Desenvolvimento da empresa. É profissional certificado pela Microsoft, com especialização na arquitetura do Sistema Operacional Windows e mantem o blog Balaio Tecnológico, dedicado a tecnologia.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


− três = 1

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>