Profissionais de TI e o aprendizado em inglês

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Por conta da famigerada globalização houve a necessidade de adotar uma linguagem eficiente para a comunicação entre as nações e a língua adotada foi o inglês, já que a mesma é conhecida e falada nos quatro cantos do mundo.

Profissionais de TI e o Inglês!

Como o mercado de trabalho vem se tornando cada vez mais competitivo, e as empresas, principalmente as de médio e grande porte, possuem filiais e clientes em diversas partes do mundo, os candidatos às vagas dessas empresas precisam ter um conhecimento da língua inglesa para poderem ter alguma chance de conquistar a vaga.

Todos nós sabemos o quanto é importante o domínio da língua inglesa para o profissional de TI. Observamos essa necessidade durante o dia-a-dia desse profissional. Grande parte do material referente a TI (documentações técnicas, linguagens de programação, bons livros, fóruns de discussões e etc) estão em inglês. Como escrevi anteriormente, a maioria das grandes empresas exigem que se tenha um conhecimento em inglês, e só para lembrar e salientar aqui que, grande parte dessas empresas são do ramo de tecnologia, e é claro que não podemos esquecer o nosso queridinho GOOGLE.

Mas vontando ao assunto do inglês, antigamente bastava o cara falar que trabalhava com “informática” que era alvo de inúmeras propostas de trabalho, mas como todos sabemos o mundo muda e como diria Tim Maia: ” Nada do que foi será De novo do jeito que já foi um dia. Tudo passa, tudo sempre passará”, então relembrando em ordem cronológica essas mudanças:

  1. Profissional de informática era o rei. Bastava saber word, excel, alguns comandos de Ms dos e instalar e/ou formatar o Windows.
  2. Surge a Internet, saber HTML é essencial, quem sabe está com o burro na sombra.
  3. A internet evolui e torna-se dinâmica, surgem programadores juntamente com diversas linguagens de servidor.
  4. Aparece a tal web 2.0, saber HTML e arranhar em ASP ou PHP é coisa para amadores, queremos desenvolvedores de linguagens de alto padrão, C++, java, Delphi, DOT.NET, etc…
  5. Paralelamente dão as caras as linguagens OPEN SOURCE, e empresas querem cada vez mais fortalecer seus sistemas de redes, profissionais que conhecem redes são os “CARAS”.
  6. Vendo isso, jovens mergulham em livros e cursos para aprender tecnologias, em consequência o mercado fica saturado de profissionais. É uma questão de oferta e procura: mais profissionais = menos vagas.

Pois é estamos vivendo nesse atual patamar, empresas precisam saber qual cara escolher, entre tantos profissionais dessa área precisa-se de um diferencial que torne o escolhido mais adaptado as necessidades das empresas do que os outros candidatos.

Lembrando que maioria das empresas de tecnologias são estrangeiras, lembram-se?

Então amigos levantem essa bunda da cadeira, dêem um chega pra lá na preguiça e vão aprender inglês, saber somente linguagens de programação não basta mais.

Para entender melhor o que digo entre no site do Google e veja suas exigências para contratação de funcionários.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Rafael Zanini Francucci

Mais artigos deste autor »

Um cara que descobriu e/ou ainda está descobrindo esse gigante universo do mundo de desenvolvimento.
Começou como programador de interface e passando gradativamente para desenvolvimento.
Com formação recente em .NET partilharei de experiências, dúvidas e descobertas novas nessa área, que como muitos sou novato.


6 Comentários

Gustavo
1

Realmente inglês é uma premissa básica na profissão. O problema é achar tempo para se dedicar já que sempre estamos com deadline estourados ou nosso chefe pede as coisas para ontem….

Luis Marcos Leite
2

Parabéns pelo artigo, inclusive serviu como referência para que eu pudesse realizar parte da atividade de uma das disciplinas do curso de Gestão em TI que estou fazendo na faculdade.
Abraço!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">