Social commerce – Consumidor de volta às raízes

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Potencializada pela internet, a interação de usuários é grande influenciadora na hora das compras

Antes da internet, as redes de interação aconteciam entre pessoas com interesses em comum que se reuniam em lugar físico, para se relacionar, trocar ideias e se divertir. O mesmo acontecia na hora da compra, havia necessidade de ir até uma loja física e os consumidores sempre consultavam alguém mais influente, com informações relevantes, para dizer se a compra valia ou não a pena.

Atualmente, podemos notar que este comportamento do consumidor não mudou, continua intacto. A diferença é que agora as pessoas se encontram em um ambiente online, têm influências de outras que, muitas vezes nem se conhecem, e a velocidade que as informações se propagam é muito mais rápida.

Quem nunca consultou a opinião alheia antes de efetuar uma compra? A interação entre pessoas nunca esteve tão ativa e potente. As redes sociais possuem forte influência sobre milhares de consumidores em todo mundo. Saber o que é dito a respeito do produto e a reputação da marca é fator indispensável para finalizar qualquer compra.

O comércio eletrônico está ciente do poder das redes sociais e busca cada vez mais interagir com os usuários. A integração do comércio eletrônico e as redes sociais é o que chamamos de Social Commerce ou Comércio Social.

O Social Commerce ainda é novo no Brasil, mas é a grande aposta de 2011 e funciona de forma simples: sites oferecem ofertas de inúmeros produtos e os e-consumidores podem comprar, além de opinar a respeito de tudo. Ou seja, é um espaço que não se limita somente ao comércio, é extremamente interativo e funciona como parâmetros para compra.

Com o Social Commerce ficará ainda mais fácil de saber a qualidade do produto, da marca, novidades, aceitação etc. A briga de marcas para conquistar o consumidor promete ser acirrada.

Outros itens que caracterizam o sucesso que o social commerce fará no Brasil  estão ligados à paixão do brasileiro por mídias sociais. Cerca de 86% dos internautas no país estão conectados a essas redes. No ano passado, mais de 23 milhões de pessoas realizaram compras pela internet, e a tendência de crescimento é de 19% para este ano. Já somos o 8º país mais conectado do mundo, passando de 1h a 5h por dia na internet.

É muito curioso notar que a tecnologia se adapta ao comportamento do consumidor. Algo tão antigo e comum, como a consulta de outra opinião antes da compra, potencializada pela internet, toma proporções gigantescas em benefícios de milhares de usuários.

Por esta razão, podemos dizer que no Social Commerce o consumidor retorna às suas origens, isto é, ouvir e considerar o que está sendo dito a respeito de produtos e marcas, e só depois disso, efetua a compra, que possibilita a fidelização.

* Pedro Eugênio é sócio fundador do Busca Descontos, site com foco exclusivo em promoções que conglomera cupons de descontos das principais lojas virtuais do país.

Fontes:

http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/brasileiros-sao-internautas-mais-ficam-redes-sociais-570340
http://diariodemocratico.com.br/rede-social/14-noticias/969-e-commerce-se-torna-cada-vez-mais-um-habito-do-brasileiro

http://www.teoriascientificas.com/computacao/o-brasil-o-oitavo-pais-com-o-maior-numero-de-habitantes-conectados-a-internet

http://www.agenciadigitown.com.br/quanto-tempo-tempo-o-brasileiro-fica-na-internet-por-semana/

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Profissionais TI

Mais artigos deste autor »

Eventos, cursos, livros, certificações, empregos, notícias e muito mais do mundo da TI (Tecnologia da Informação).


1 Comentários

Andreia Ciqueira
1

Eu gosto muito de comprar pela internet, pois como trabalho de segunda a sábado, geralmente tenho pouco tempo para sair de compras.uma coisa que eu percebi é que há algumas páginas oferecendo cupons de descontos aparentemente muito interessantes. No entanto, observando bem estas páginas,se nota que os precos primeiro sobem antes do desconto, ou seja, o consumidor nao tem um desconto real. Alguém pode indicar uma página de descontos que nao use esse tipo de artimanha?

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">