Complexidade da nuvem: Você está pronto para esse desafio?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Pode até soar estranho, mas algumas pessoas ainda tem a impressão de que, migrar um ambiente convencional para a nuvem é simplesmente uma questão de escolher o provedor preferido, o modelo de cloud a ser adotado e fazer um Ctrl+C Ctrl+V das informações e plim! Em um passe de mágica, tudo vai estar na troposfera digital funcionando perfeitamente!

Na verdade, o processo não é bem assim. A nuvem permite a qualquer empresa adotar uma gama de recursos que parece não ter fim: É possível escolher desde software como serviço, usar uma estrutura bare metal, ter diversas opções para integração de aplicações, empregar interfaces de programação de aplicações (APIs), escolher múltiplos tipos de containers, até adotar um modelo serverless.

cloud-migrate-migracao-nuvem-ccm

Na prática, é possível ter uma infraestrutura de cloud combinando todas essas (e muitas outras) opções simultaneamente, e isso nos leva a um dos grandes desafios que toda organização provavelmente vai enfrentar nos próximos anos:

Lidar com a complexidade do ambiente de nuvem.

Um outro fator muito importante, e que precisa ser compreendido claramente, é que vivemos em um em um mundo multi-cloud. Muito tempo atrás, quando a nuvem ainda estava se estabelecendo, uma grande parte da discussão era tentar entender o conceito de nuvem pública (como AWS, Microsoft, Google, OpenCloud) e nuvem privada (exclusiva para um único cliente, normalmente on-premise). Bem, não levou muito tempo para que as organizações compreendessem que a abordagem mais efetiva era usar o melhor dos dois mundos, criando um ambiente combinando a nuvem pública, com vantagens como otimização de uso de recursos/custos, elasticidade, e capacidade de crescimento virtualmente infinita, e a nuvem privada, que permite um controle maior de toda a infraestrutura, facilitando questões associadas a governança, regulamentações ou a proteção de arquivos confidenciais/sensíveis.

Essa abordagem ficou conhecida como nuvem hibrida, e é bastante razoável imaginarmos que, em um futuro bem próximo, será o modelo adotado por essencialmente todas as organizações. Novamente, um dos maiores desafios será lidar com a complexidade desse ambiente que agrega múltiplas tecnologias, passando por diferentes provedores de cloud e infraestrutura local.

hybrid-cloud-nuvem-hibrida

Mas o que isso quer dizer? Seria melhor não adotar a nuvem e evitar que a sua complexidade impacte na efetividade da TI? Será que a saída é contratar mais e mais pessoas, efetivamente aumentando custos, para poder fazer uso adequado da nuvem?

Calma! A resposta é bem mais simples do que você imagina, é tudo uma questão de estar consciente desse desafio e se preparar adequadamente para gerenciar a complexidade da nuvem de uma forma saudável.

Nesse ambiente onde cada dia nos trás uma nova tendência, podemos dizer que se 2018 foi o ano do multi-cloud/nuvem hibrida, 2019 será o ano em que vamos ouvir falar cada vez mais de uma nova disciplina que vem ganhando cada vez mais destaque: CCM, Gestão de Complexidade na Nuvem (Cloud Complexity Management).

cloud-computing2

Lidar com a complexidade de um ambiente hibrido-multi-cloud requer uma boa estratégia, incluindo aspectos como cibersegurança, governança, privacidade, tratamento de dados e aplicações em um ambiente AnyOps, e é justamente ai que entra a CCM, organizando tudo isso em diferentes domínios, efetivamente simplificando toda a complexidade da nuvem a um nível em que é possível combinar todas as tecnologias existentes e as muitas que estão por vir.

É claro: Tudo isso vai ter que ser tratado por profissionais de cloud devidamente qualificados, indo dos níveis operacionais, passando pelos táticos e chegando finalmente aos estratégicos, a demanda por especialistas vai crescer de uma maneira formidável.

É claro x 2: o melhor momento para se preparar é agora :)

Fontes:

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Cláudio Dodt - claudiododt.com

Mais artigos deste autor »

Evangelista em Segurança da Informação e Cloud, consultor, instrutor e palestrante, atua na área de tecnologia há mais de 15 anos, exercendo atividades como Analista de Suporte, Analista de Segurança Sr., Security Officer e Supervisor de Infraestrutura e Segurança.

Desenvolveu atividades em empresas brasileiras e multinacionais, tendo participando no Brasil e no exterior em projetos de segurança de diversos segmentos como Educacional, Financeiro, Telecomunicações, Saúde, Agroindústria, Indústria Alimentícia, Naval, Metal-Mecânica e Têxtil.

ITIL® Expert;
Certified Information Systems Security Professional (CISSP®);
Certified Information Security Manager (CISM);
Certified Information Systems Auditor (CISA);
Certified in Risk and Information Systems Control (CRISC);
ISO 27001 Lead Auditor;
ISO/IEC 20000 Foundation;
Information Security Foundation (ISFS) based on ISO/IEC 27002;
Information Security Management Advanced based on ISO/IEC 27002;
CobiT 4 Foundation;
CobiT 5 Foundation;
EXIN Cloud Computing Foundation;
EXIN Certified Integrator Secure Cloud Services;
EXIN Accredited Trainer – (ITIL Foundation; ISO 20000 Foundation, ISFS, ISMAS, Cloud Foundation).

Geek convicto, mergulhador autônomo, amante incondicional da leitura, cinema e dos videogames.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">