O que é DevSecOps? Tudo o que você precisa saber!

Novos conceitos, tendências e tecnologia surgem no mercado a todo momento. Em relação ao setor de TI, está cada vez mais comum se deparar com o surgimento de alguns termos, como o DevSecOps. A segurança é um dos principais pontos que garantem o sucesso dos negócios, e, por isso, é importante entender essa metodologia que integra todas as formas de segurança dos processos online. 

Nossa economia é moldada pela tecnologia e as empresas enfrentam grandes desafios com lançamentos de novas versões de softwares, bugs, entre outros que precisam ser solucionados rapidamente. Tudo isso confronta aqueles que atuam no ramo de desenvolvimento de aplicações, sejam desenvolvedores ou especialistas em segurança da informação. 

Para isso, é essencial planejar o desenvolvimento a fim de diminuir as falhas organizacionais. O DevSecOps surgiu para isso, pois seu objetivo é simplificar o desenvolvimento de softwares de forma rápida alinhada aos bons métodos de segurança

Sendo assim, preparamos este conteúdo para detalhar essa metodologia e como ela é importante para os processos nos dias de hoje. Continue lendo!

O que é DevSecOps?

DevSecOps significa Desenvolvimento, Segurança e Operação. A união dessas três palavras cria o conceito da expressão, de maneira que essa metodologia se baseia na junção desses processos. Esse modelo de sistema faz com que todas as fases de um mesmo procedimento sejam feitas de modo muito seguro, facilitando a integração de todas as etapas com módulos de segurança avançados. 

devsecops-seguranca-desenvolvimento-projeto-softwareImagem retirada do site www.dynatrace.com/news/blog/what-is-devsecops/

O termo DevOps se trata se uma união de várias fases de um projeto. Isso quer dizer que os profissionais, a tecnologia usada, os segmentos de hardware e softwares, por exemplo, estão incluídos. 

O DevSecOps apresenta a mesma premissa do DevOps, no entanto tudo é realizado de modo a operar o sistema com maior segurança. Essa é um dos principais motivos pelas quais as fases do processo são integradas. Tudo é realizado para que o projeto inicial e final esteja seguro contra potenciais ameaças. 

Essa metodologia representa uma evolução natural e necessária no modo como as empresas abordam a segurança. No passado, a segurança era acrescentada ao programa no final do ciclo de desenvolvimento por uma equipe e era testada por outro time para garantir a qualidade. 

Isso era admissível quando as atualizações de software eram lançadas somente uma ou duas vezes ao ano. Contudo, conforme os desenvolvedores de soluções adotaram práticas Agile e DevOps, com o intuito de diminuir os ciclos de desenvolvimento, a abordagem tradicional de segurança criou um gargalo inaceitável. 

Assim, o DevSecOps integra a segurança do software e da infraestrutura aos processos e ferramentas Agile e DevOps. Esse conceito aborda os problemas de segurança à medida que nascem, quando são mais fáceis, rápidos e baratos de consertar. Além do mais, o DevSecOps torna a segurança de aplicativos e infraestrutura uma responsabilidade compartilhada dos times de desenvolvimento, operações e segurança de TI

Qual a sua importância?

A grande importância sobre o DevSecOps se relaciona com o seu modo de funcionamento. Basicamente, sua função é gerar agilidade dos processos. Se antes era necessário de bastante tempo com fases de verificação de segurança, hoje isso é feito com muito mais velocidade e precisão por meio dessa metodologia. 

Outra questão que valida o uso do DevSecOps é o aumento da demanda por sistemas de segurança que sejam eficazes para a proteção das informações nos negócios. Isso quer dizer que ocorrerá maior adequação dos projetos aos mais novos métodos de proteção e segurança das soluções. 

Existe um grande volume de ameaças digitais, o que fez com que o DevSecOps se tornasse fundamental entre as companhias, notadamente as que trabalham com dados de consumidores, parceiros e colaboradores. 

Entre os tipos mais comuns de ameaças se encontram potenciais invasões de sistemas, dificuldade para acessar dados, perda de arquivos por falta de backup etc. Além do mais, esse conceito ajuda os desenvolvedores a estarem integrados com todos os outros colaboradores, de maneira que o projeto em geral passa a ser criado muito mais rápido. 

Como o DevSecOps se diferencia da criação de um software tradicional?

Os principais desenvolvedores de soluções lançavam novas versões de seus aplicativos em alguns meses ou até anos. Isso propiciou tempo mais do que suficiente para que o código passasse por testes de garantia de qualidade e segurança, por exemplo.

No entanto, nos últimos anos, surgiram as nuvens públicas e o modelo de micro serviço em que aplicativos monolíticos são divididos em partes menores para funcionarem de forma independente. Essa quebra também tem um impacto direto na forma como o software é desenvolvido, levando a lançamentos e ações de desenvolvimento ágil, em que novos recursos e códigos são constantemente inseridos em produção de forma bastante acelerada.

Vários desses processos se tornaram automatizados com a utilização das inovações e ferramentas tecnológicas, fazendo com que as organizações inovassem de forma ágil. O avanço da cloud e dos micros serviços também acarretou o surgimento do que o segmento chama de cultura DevOps, em que os desenvolvedores são capazes de escalar a infraestrutura necessária sem precisar que um tome de infraestrutura separada realize isso por eles. 

Todos os mais importantes provedores de nuvem agora fornecem APIs e soluções de configuração capazes de promover uma infraestrutura como código a partir do uso de modelos de implantação. Apesar de a cultura DevOps oferecer diversas inovações para a criação de softwares, o quesito segurança não podia acompanhar a velocidade de criação que ocorria com os códigos. 

Assim, DevSecOps é a metodologia que surgiu para sanar e integrar por completo os testes de segurança nos pipelines de continuous integration (CI) e continuous delivery (CD), e estruturar o conhecimento e as habilidades fundamentais no time de desenvolvimento para que os resultados dos testes e da correção sejam capazes de ser criados internamente.

Três pontos principais fazem com que o DevSecOps seja efetivo, que são:

  • as falhas encontradas no decorrer do teste são administradas pela equipe de desenvolvimento;
  • o teste de segurança é realizado pelo time de desenvolvimento;
  • a correção desses problemas é de responsabilidade dos colaboradores de desenvolvimento.

Quais são os benefícios do DevSecOps?

As duas principais vantagens do DevSecOps são velocidade e segurança. As equipes de desenvolvimento entregam códigos melhores e mais seguros com mais rapidez e, portanto, mais baratos. Veja, a seguir, quais os principais benefícios dessa metodologia.

Entrega de software rápida e econômica

Quando um software é criado em um ambiente não DevSecOps, os problemas de segurança podem levar a grandes atrasos. A estruturação do código e os problemas de segurança podem demandar muito tempo e dinheiro. A entrega rápida e eficiente de DevSecOps economiza prazos e diminui gastos, amenizando a precisão de repetir um processo a fim de resolver problemas de segurança após o ocorrido.

Isso se torna mais eficiente e econômico, pois a segurança integrada acaba com as revisões duplicadas e reconstruções imprecisas, criando, assim, um código mais seguro.

Segurança aprimorada e proativa

DevSecOps apresenta processos de segurança cibernética desde o início do ciclo de desenvolvimento. Ao longo dessa etapa, o código é revisado, auditado, verificado e testado quanto a problemas de segurança. Esses contratempos são solucionados assim que forem identificados. 

Além disso, os problemas de segurança são corrigidos antes que dependências adicionais sejam introduzidas. Problemas de segurança tornam-se menos caros para consertar quando a tecnologia de proteção é identificada e implementada no início do ciclo. Uma melhor colaboração entre os times de desenvolvimento, segurança e operações otimiza a resposta de uma companhia a problemas e a imprevistos quando eles acontecerem. 

As práticas de DevSecOps diminuem o tempo para corrigir vulnerabilidades e possibilitam as equipes de segurança focarem em atividades de maior valor. Essas ações também garantem e simplificam os processos, evitando que os projetos de desenvolvimento de aplicativos tenham que ser adaptados para segurança.

Atualizações de vulnerabilidade aceleradas

Um dos principais benefícios do DevSecOps é a rapidez com que ele gerencia vulnerabilidades de segurança quando são identificadas. Como essa tecnologia une a procura de vulnerabilidade e a correção no ciclo de lançamento, a capacidade de identificar e corrigir problemas é diminuída. Isso limita a janela que um criminoso virtual tem para tirar proveito das vulnerabilidades nos sistemas.

Automação compatível com o desenvolvimento atual

Os testes de segurança cibernética podem ser integrados a um conjunto automatizado para equipes de operações se uma empresa usar um pipeline de integração contínua. A automação das verificações de segurança depende fortemente do projeto e das metas organizacionais.

O teste automatizado pode garantir que as dependências de software incorporadas estejam em níveis de atualização apropriados, além de confirmar se o software passou no teste da unidade de segurança. Ele pode testar e proteger o código com análise estática e dinâmica antes que a atualização final seja promovida para produção.

Adaptação de processos 

Conforme as organizações evoluem, seus métodos de segurança melhoram. O DevSecOps garante que a segurança seja aplicada de forma consistente em todo o local, na proporção em que ambiente modifica e se adapta a novos requisitos. Uma implementação consistente de DevSecOps terá uma automação sólida e uma infraestrutura imutável.

Principais práticas e ferramentas DevSecOps

Confira, agora, quais são as melhores práticas DevSecOps.

Verificação de vulnerabilidade

A varredura em busca de vulnerabilidades é uma primeira etapa para proteger seus dados. Integrar a varredura de vulnerabilidade em seu processo de CI / CD é um ponto muito importante quando se fala em implementação de DevSecOps.

Isso quer dizer que você garante que o código seja verificado quanto às vulnerabilidades em todos os estágios principais do pipeline de entrega — desde o momento em que é escrito até quando é implantado na produção. 

Para atingir esse nível de integração, será preciso garantir que as partes responsáveis ​​por esses estágios do pipeline tenham o treinamento e as ferramentas de que precisam para detectar vulnerabilidades em seu código.

As tecnologias relevantes são SAST (Static Application Security Testing) para detectar vulnerabilidades em seu código proprietário e ferramentas SCA (Software Composition Analysis) para detectar componentes de código aberto com vulnerabilidades conhecidas. 

Proteção de tempo de execução

A proteção em tempo de execução é outro processo de segurança crítico que deve ser integrado ao pipeline de CI / CD como parte de uma ação DevSecOps. Essa proteção quer dizer que haverá proteção ao software contra ameaças que podem surgir quando seu aplicativo começa a ser executado. 

Embora as discussões sobre a segurança do tempo de execução tenham tradicionalmente centrado na proteção do software apenas quando ele estiver em produção, as ameaças de tempo de execução também podem existir durante os estágios anteriores do pipeline.

As ferramentas e estratégias específicas que você usa para detecção de tempo de execução variam de acordo com suas necessidades específicas. Contudo, você precisa garantir o monitoramento do seu aplicativo para buscar algum comportamento incomum que indique alguma violação. 

Você também deve estar ciente de quais variáveis ​​de ambiente ou definições de configuração podem criar vulnerabilidades de segurança em tempo de execução e ter um processo em vigor para identificar esses riscos.

Padrões e políticas

Determinar padrões e políticas de segurança é em grande parte um trabalho prático. Você pode verificar o código-fonte e a infraestrutura em busca de vulnerabilidades, mas o processo de decidir quais devem ser suas prioridades de segurança e como elas podem ser implementadas ainda requer muita análise. Isso também se aplica à construção de padrões de segurança nos níveis de design e código.

Gerenciamento de contêineres e serviços

Ferramentas de orquestração de contêineres tornaram-se quase uma necessidade quando se trata de implantar grandes aplicativos baseados nessa metodologia. As malhas de serviço, que podem funcionar com ferramentas de orquestração, bem como o relacionamento entre usuários, aplicativos baseados em contêiner e serviços externos, estão se tornando cada vez mais importantes por si só.

Ferramentas como essas são um elemento-chave do DevSecOps no nível de implantação. Elas agem como camadas altamente escalonáveis ​​de isolamento entre contêineres e o mundo externo e podem cuidar de tarefas como autenticação, autorização e criptografia. E elas são projetadas para automação desde o início.

Ainda mais do que com as ferramentas de segurança, no entanto, você deve estar ciente dos recursos que as soluções de orquestração e malhas de serviço fornecem. É preciso habilitá-las e configurá-las. A estruturação de acesso deve ser um elemento-chave do DevSecOps na maioria das circunstâncias, mas geralmente não é habilitado por padrão.

Em resumo, DevSecOps é uma metodologia que pensa na segurança da aplicação e infraestrutura desde a concepção do projeto de software. É fundamental implementar uma cultura de responsabilidade compartilhada nas empresas e aplicar novas tecnologias para otimizar suas operações.

Redação PTI

Mais artigos deste autor »

Portal dedicado ao compartilhamento de conteúdos relacionados a carreira em Tecnologia da Informação. Siga-nos nas redes sociais acima e acompanhe publicações diariamente :)


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">