Carreira em TI: Currículo para Primeiro Estágio

Fazer um bom currículo é considerado uma tarefa difícil. Fazer um currículo para o primeiro estágio ou primeiro emprego é considerado por muitos uma tarefa impossível. Este post tem como objetivo apresentar algumas dicas para deixar essa tarefa mais fácil.

Mesmo em início de carreira, o estudante e o profissional recém-formado devem ter os mesmos cuidados de um profissional ao elaborar o seu currículo. Apesar de muitas vezes não ter atuado na área de interesse, ele deve enfatizar o seu potencial, mencionando os conhecimentos que adquiriu durante a fase de faculdade.

Um ponto importante é escrever o currículo em 3ª pessoa. Lembre-se que currículo é um documento, e não uma cartinha que está escrevendo.

Um bom currículo deve começar com seu nome seguido ou não dos seus dados pessoais (pode colocar no final do currículo). Pausa para explicação: dados pessoais são os seus dados de contato. Não coloque RG, CPF, endereço. Se o empregador quiser saber esses dados, ou vai te perguntar na entrevista ou vai pedir isso explicitamente no anúncio da vaga. Se o empregador não pedir explicitamente, não coloque. Só vai deixar o currículo mais feio. Coloque apenas nome, telefone de contato e email.

Logo após o seu nome ou dados pessoais, vem o sumário. O sumário é um resumo da sua carreira profissional. Por exemplo: Desenvolvedor Java com X anos de experiência, etc.

No próprio sumário (ou após ele), você deve colocar os seus conhecimentos técnicos:
Linguagens: Java, C++;
IDEs: Eclipse, Netbeans, etc.
Frameworks: JSF, Struts, Spring

Se for o seu primeiro currículo, ou seja, se você não tem nenhuma experiência, coloque as ferramentas e linguagens que viu/trabalhou na faculdade.

Após o sumário e conhecimento técnicos, coloque quais são as experiências/empresas pelas quais já passou. Além disso, coloque um resumo das suas responsabilidades e/ou projetos relevantes nos quais participou.

O que fazer se não tiver nenhuma experiência nesse caso?

A graduação, apesar de parecer ser apenas graduação, é uma fonte de oportunidades. Quem estudou, teve iniciativa, participou de ONGs ou outras atividades — até grêmio escolar — ou seja, se mexeu, tem boas chances de fazer um bom currículo e ter um bom diferencial. Quem nunca fez nada, vai ter um pouco de problema (essa é uma boa hora para começar a fazer e não ficar para trás).

Trabalhar em ONGs, projetos voluntários, grêmio estudantil, ser presidente/líder de turma é uma boa forma de mostrar que tem iniciativa, liderança e capacidade de comunicação, características que toda empresa procura em um profissional.

É importante destacar que não se deve fazer auto elogios no currículo: “Tenho espírito de equipe e liderança, etc”. Isso deve ficar implícito pelas atividades que descrever.

Os próximos itens são Formação Acadêmica e Idiomas. Algumas informações como escola de primeira linha e idiomas fluentes são utilizados como critério de seleção, portanto, são características que merecem destaque no currículo.

No item de formação, reforce seu desempenho nos estudos. Se tirava boas notas, deixe isso claro. Se seu resultado foi excepcional em uma determinada disciplina ou grupo de disciplinas, fale sobre este assunto e explique o que o motivou a ter este resultado exemplar. Por outro lado, se sua notas não são tão boas, não escreva no currículo, mas esteja preparado para ser questionado sobre o assunto na entrevista. Muitas empresas pedem para anexar o histórico/boletim. É bom estar preparado para isso.

Profiência em línguas estrangeiras. Ah, essa é uma parte importantíssima e que a maioria das pessoas não organizam muito bem.

Muitos colocam:

Inglês: leitura: intermediário; conversão: bom, escrita: bom

Não coloque isso no seu currículo profissional. Isso é para bolsas escolares ou outras posições acadêmicas (como professor). Para mercado de trabalho: NÃO!

Então como se deve colocar: existem 4 níveis de proficiência: básico, intermediário, avançado e fluente. Como cada um “acha” que está em um nível, muitas vezes, o empregador não sabe interpretar o que cada nível significa. Se quiser (e deve), é bom colocar uma legenda, assim, o empregador não terá dúvidas:

  • Fluente: está apto para trabalhar no exterior
  • Avançado: apto para viajar para o exterior desacompanhado
  • Intermediário: leitura e escrita com conhecimentos verbais limitados (apto para viajar para o exterior com um assistente)
  • Básico: capaz de se comunicar com pessoas de outros países a um nível mínimo.

Depois, se for necessário, pode colocar uma parte de outras informações/atividades complementares, como por exemplo: prêmios que ganhou, se tem experiência internacional (intercâmbio), se é palestrante, cursos que participou, etc.

Outros pontos importantes para primeiro currículo de estágio:

Seminários e congressos. Outro item importante para o primeiro currículo é a participação em seminários e congressos. Mesmo que não sejam diretamente ligados à vaga que está se candidatando, servem para mostrar que é uma pessoa interessada e ávida por conhecimento. Muitos congressos também oferecem mini-cursos que ser citados, desde que tenha participado deles.

Iniciação científica, monitoria, estágios e programas de trainee. Muitas pessoas com pouca experiência profissional já participaram de programas de estágio ou trainee. Outras fizeram iniciação científica ou monitoria de disciplinas durante o curso universitário. Se este é o seu caso, reforce sua participação, mesmo que tenha sido em uma área diferente da pretendida. Artigos publicados em congressos também são interessantes.

Cursos, Palestras, concursos do Academic Initiative ou outro programa acadêmico (ex: SAI): ótima oportunidade de adquirir novos conhecimentos, aumentar seu networking e um novo item para seu currículo!

Maratona de Programação ICPC: torneio de programação organizado pela SBC (Sociedade Brasileira de Computação) no Brasil, e pela ACM (Association for Computinger Machinery – um dos maiores órgãos de computação mundial) a nível mundial, além de ser patrocinado pela IBM. Uma atividade que vale outro para o currículo e que é super bem vista por grandes empresas, como IBM.

Ter um blog e escrever notas de aula, pequenos tutoriais sobre tópicos que está aprendendo ou até mesmo publicar a monografia/trabalhos acadêmicos é uma forma legal de mostrar seu desempenho acadêmico e que domina a linguagem ou tecnologia que citou no currículo. Após o contato, pode citar o link do seu blog/website.

E o mais importante de todos: Não minta. Nunca!

Outra dica valiosa: se for enviar seu currículo por email, nunca envie em formato .doc ou outro formato de editor de texto. Sempre envie em pdf, que é o formato de troca de arquivos mundialmente. Isso pode pegar mal, pois você pode enviar formato open office e o empregador que só usa o Micorosft Office não vai conseguir abrir. Já com pdf, seu documento poderá ser lido em qualquer plataforma.

E se quiser ter uma base, segue um modelo de currículo para primeiro estágio (fiz baseado em experiência própria):

Currículo para Primeiro Estágio em TI

Boa sorte e sucesso!

Post de referência: http://wp.me/pCF9v-of

Loiane Groner

Mais artigos deste autor »

Bacharel em Ciência da Computação, trabalha como Engenheira de Software Sr em uma instituição financeira em projetos internacionais, em São Paulo. Já trabalhou na IBM como IT Specialist e líder de equipe para projetos internacionais. Possui 6+ anos de experiência em Java EE. Expertise em Java, atuando como JUG Leader no CampinasJUG e coordenadora do ESJUG, além de co-fundadora do JDuchessBR, grupos de usuários java. Expertise em Ext JS, um framework JavaScript, sobre qual escreveu um livro em inglês (Ext JS 4 First Look) lançado mundialmente pela Packt Publishing. Nas horas vagas escreve artigos técnicos e sobre carreira em TI nos blogs http://loiane.com e http://loianegroner.com. No blog também é possível encontrar cursos online gratuitos sobre produtos Sencha.

2 Comentários

João Victor
1

Ótima materia, há pessoas com muitas dúvidas ainda sobre como montar um currículo para estágio, e vcs conseguiram resolver isso de uma forma excepcional , mas como sempre ainda há dúvidas, como por exemplos:

- O currículo não está muito grande, para o entrevistador ler ? por que muitas vezes basta apenas um currículo simples apenas de uma folha. mas isso depende muito do cargo e da empresa que deseja trabalhar.

Valeu!

Loiane
2

Olá João,
A idéia é justamente essa. Quem não tem experiência, não tem o que colocar no currículo, aí fica muito pobre. Colocando várias informações, mesmo que não sejam experiências, mostra que vc é dedicado a área.
E isso de currículo de apenas 1 página para TI é besteira. Eu nunca contrataria uma pessoa com um currículo de 1 página, não em TI. Tudo bem que o curriculo não precisa ter 10 páginas. Uma média de 3 páginas está de ótimo tamanho. Tudo vai depender de como vc organiza as informações. As informações mais importantes vem primeiro, caso o empregador se interessar, ele continua lendo o currículo para saber mais detalhes da carreira profissional da pessoa.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


8 × seis =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>