Uma visão geral sobre os sistemas móveis – Parte 2

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Dando prosseguimento à primeira parte, vamos falar sobre o Windows Phone, que desde a sua versão 7.5 começou a disputar mercado diretamente com Android e iOS (as versões anteriores do Windows para dispositivos móveis, além de estarem obsoletas, se mostraram um fracasso em termos de usabilidade e experiência para o usuário).

O Windows Phone 8, lançado recentemente, promete entrar com tudo no mundo mobile oferecendo uma interface totalmente nova para o usuário se diferenciado bastante de seus dois principais concorrentes. As primeiras avaliações após seu lançamento apontam que a Microsoft desenvolveu um grande produto, apesar de ainda existirem ausências notáveis no sistema como, por exemplo, uma central de notificações. A plataforma utilizada para o desenvolvimento de aplicativos é o já conhecido Visual Studio e após a conclusão do processo eles também poderão ser disponibilizados numa Store provida pela Microsoft. A previsão é que o sistema tenha uma interface de desenvolvimento fechada com imposições bem parecidas com as encontradas no iOS.

Correndo na esteira dos sistemas móveis temos ainda o WebOS desenvolvido pela Palm, que foi recentemente adquirida pela HP e que agora é a responsável pela manutenção do mesmo e o BADA, sistema operacional dos celulares low-end da Samsung e que deve ser, em breve, substituído pelo Tizen. O Tizen está sendo desenvolvido pelos coreanos em parceria com a Panasonic e a Intel. É também baseado no Linux e teve recentemente lançada sua versão alpha 2.0.

Já entre os sistemas que devem cair no esquecimento em breve temos o Symbian OS, sistema da Nokia que foi sensação alguns anos atrás e era apontado por muitos como o futuro do mundo mobile. Ainda assim, o Symbian continua presente em muitos aparelhos, inclusive em lançamentos com sua mais recente versão Belle, no entanto, ele deve estar fadado a ser descontinuado, principalmente em virtude do apoio que a Nokia tem oferecido ao Windows Phone.

Outro forte candidato ao limbo é o BlackBerry OS da RIM, que equipa os aparelhos da fabricante. Apesar de ser um sistema mais voltado para nichos de mercado, mais especificamente o mercado executivo, o BlackBerry OS não acompanhou a inovação promovida principalmente pelo iPhone e tem perdido grande relevância no mercado, sendo  substituído na maioria das vezes pelo sistema da Apple. Apesar de estar trabalhando numa nova versão do seu sistema é bem improvável que a RIM consiga reverter sua perda de mercado e volte a crescer. O destino do BlackBerry OS deve mesmo ser diminuir até desaparecer.

Em se tratando de market share no mundo dos smartphones, o domínio de mercado pertence ao Android, com suas várias versões oficiais e customizadas e esse cenário deve permanecer inalterado por algum tempo, principalmente nos aparelhos de custo médio e baixo. Porém, quando se fala nas várias versões do Android é bom salientar que a grande fragmentação é o ponto mais criticado da plataforma, pois ao desenvolver um aplicativo o programador não tem garantias que o mesmo será executado de forma idêntica em todas as versões e o usuário comum tem dificuldades em decidir qual versão escolher entre um leque tão grande de opções.

Nos dispositivos high end a disputa com o iOS deve continuar acirrada e a entrada do Windows Phone 8 promete sacudir o segmento. Quanto aos outros sistemas, seu foco deve ser inicialmente fomentar a criação de um ecossistema em torno de sua plataforma para alcançar relevância e não desaparecer.

Nos tablet’s o iPad da Apple reina com uma margem considerável, mesmo com a ascenção dos tablet’s xing ling, que adotam o Android e tem custo mais acessível, e os recentes esforços do Google para lançar dispositivos topo de linha com o seu sistema. A previsão inclusive é que a Apple amplie seu domínio com o recém lançado iPad mini, uma versão menor e mais barata do iPad tradicional.

Uma nova tendência que surge no mundo mobile é a adoção dos sistemas utilizados nos smartphones e tablet’s em outros dispositivos. Um exemplo é a Nikon que, recentemente, adotou o Android 2.3 como sistema operacional da câmera digital S800c. Outro ponto em que o Android poderá ser uma opção no futuro é como middleware para TV Digital. No Brasil ele poderia substituir o Ginga que, apesar da qualidade, ainda não está presente na maioria dos televisores lançados recém-lançados. Sua substituição por uma plataforma já difundida poderia significar um grande impulso para a popularização e melhoria da interatividade da TV Digital. Obviamente para ser usado para esse fim seriam necessárias mudanças substanciais no sistema, mesmo assim esta opção pode ser considerada bastante plausível.

Não se esqueça de deixar nos comentários sua opinião sobre os sistemas mobile.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">