Generalista ou Especialista? Qual profissional é mais valorizado?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Saber de tudo um pouco ou saber muito sobre pouco?

São muitos cursos disponíveis, muito assunto sobre certificações em tecnologias, muitas carreiras a trilhar e se você não parar, respirar, contar até 10 e pensar calmamente, seus pensamentos ficarão ainda mais confusos.

Principalmente após alcançar o nível superior na área de TI, muitas pessoas passam por dúvidas de qual caminho trilhar na carreira: estudar muito sobre algum assunto para ser especialista ou estudar de tudo para ser um “generalista”? Como serei melhor reconhecido no mercado de trabalho?

sucesso-carreira-profissional-tecnologia

Imagem via Shutterstock

Muitas perguntas, muita subjetividade e poucas respostas concretas. O mercado de trabalho exige que haja ambos os perfis profissionais, por isso, vou deixar alguns comentários que talvez ajudem a esclarecer o motivo disso e quais as diferenças cruciais entre cada perfil.

O perfil chamado de Generalista as vezes é julgado como o profissional que não escolheu um rumo e acabou estudando de tudo, porém, nada com tanta profundidade para se tornar a solução de todos os problemas. Pensando bem, se você conhece alguém que conseguiu aprender profundamente cada ramo da TI, apresente-o por favor!

Este tipo de profissional pode ser muito desejado quando o perfil da vaga busca alguém que consiga gerenciar áreas técnicas de diferentes ramos. Exemplo, uma empresa que possui técnicos e analistas de Desenvolvimento, Banco de Dados e Infraestrutura. Para gerenciar pessoas de diferentes subáreas da TI, é necessário conhecimento mais vasto, porém, nada tão aprofundado. Quem ocupar este cargo precisará participar ativamente de todos os planos de solução e projetos de implementação e aprová-los, mas não será “a mão que o fará”. Além disso, será o elo principal para interação entre as equipes, por isso, será importante ter conhecimento em gestão de equipe (pessoas) e projetos. Geralmente uma ou outra certificação, como Cobit e ITIL e um MBA em gestão de projetos é o suficiente para estes profissionais serem reconhecidos como chefes ou gerentes (não vamos entrar no mérito de nível de profissionalismo e experiência). Além disso, possuir cursos comuns (não de certificações oficiais que exigem mais dedicação) é o suficiente para criar a base teórica necessária para os assuntos técnicos. Como o foco dele não é ter a solução de todos os problemas técnicos, deverá aprender com os componentes das equipes técnicas durante cada reunião e cada projeto; ele deve saber ouvir e perguntar com humildade sobre o assunto, entender e só então poder participar com mais propriedade.

Já o Especialista geralmente sabe muito de um assunto e quase nada de outros. Este é o perfil julgado como “O Limitado”. Você pode ser “O cara”  em redes, mas quando se trata de virtualização não poderá ajudar muito.

Não existe erro em ser um especialista, pois todas as vezes que alguém, como aquele Generalista citado acima, precisar de uma solução da área na qual você é o especialista, com certeza será a referência para ele e sempre será lembrado e requisitado para solução de problemas específicos. Terá de tomar as principais decisões e apresentar os principais planos de ação da sua área, portanto, continuará tendo grandes responsabilidades e sendo importante para o mercado de trabalho. Especialistas normalmente escolhem uma área principal para se especializarem, como infraestrutura, e uma secundária para não ficarem tão limitados na oferta de soluções. Para isso, será necessário investir mais em certificações técnicas oficiais e se atualizar com mas frequência que os demais colegas.

Para ambos os casos as certificações são importantes, ambos os tipos têm seu lugar no mercado de trabalho e ambos, as vezes, são mal julgados. O que muda então?

Um perfil nunca será melhor que o outro, não existe o melhor caminho e sim o SEU CAMINHO! Pense no que tem mais facilidade de lidar, qual sua preferência técnica ou se prefere saber um pouco de tudo e lidar com mais frequência com a gestão de pessoas. Qualquer que seja sua escolha, deverá se dedicar aos estudos. É importante que mesmo em áreas técnicas você desenvolva postura de líder, mesmo que não seja, pois a decisão de algo pode cair sobre o especialista e neste momento deverá saber como proceder, se portar e se impor da maneira correta. Acima de tudo, um especialista precisa ser assertivo.

E a valorização? Planeje sua carreira e se esforce para ser competente! Esse seu projeto definirá o profissional que será, então cumpra o acordo que fez consigo mesmo! Tenha suas metas e seja objetivo ao buscá-las. Seja paciente sobre os seus planos mais distantes, mas não passivo. Quando cumprir todas as já planejadas, sente e planeje as próximas.

Espero pelas opiniões e críticas dos colegas.

Abraços

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Lucas Alcântara

Mais artigos deste autor »

Profissional formado em Gestão de Redes de Computadores, MCP ( Microsoft Certified Professional), ITIL V3 2011 Foundation, Green IT Citizen - EXIN Certification, Certificado HDI Support Center Analyst e Especialista em Gestão da Segurança da Informação. Interessado e se aperfeiçoando na área de Segurança e Soluções de Infra.
"Levo o conhecimento muito a sério e com o pensamento de que o compartilhamento deve ser feito sempre que possível, pois sempre terá algo a aprender tanto quanto a ensinar."


23 Comentários

Lucas Ferreira
3

Parabéns pelo post xará, muito bom! Estou numa situação difícil na escolha da área pra começar a construir uma carreira, o tempo ta passando e um certo desespero toma conta, Ti é uma área que o cara tem que correr atrás das competências até mais que outras profissões ao meu ver.

Emerson Roberto Schamne
4

Excelente, pois já estou a 20 anos no ramos e sempre tive um pé atras, agora sei que sou Generalista com orgulho, parabens pela matéria.

Lucas Alcântara Autor do Post
6

Muito agradecido pelos comentários, Lucas Ferreira, Emerson Roberto e Carlos Stefan.

Lucas, isso é muito comum! Só não “enfie os pés pelas mãos” ou pode acabar se atrapalhando um pouco. Pense com calma, o mercado de TI não acabará antes de você se decidir. Trace sua meta ponto a ponto e vá com calma e dedicação, claro! Boa sorte e bons estudos.

Emerson, com certeza ambos os perfis são muito importantes e todos devem se orgulhar, até porque só nós da área sabemos do nosso esforço e dedicação diária em busca das nossas metas (nos dedicamos para que todos encontrem tudo pronto e fácil rsrs). Parabéns por ser um “Generalista” pois acho muito interessante quem possui facilidade tanto em liderança e gestão de equipes e ao mesmo tempo em TI. Você deve ser mais experiente do que eu, pelo que seu comentário mostra, mas permita-me deixar o que acho mais importante no perfil que escolheu: reconhecer esforços antes de mais nada! mesmo que algo dê errado para algum componente da sua equipe, pense se ele se esforçou, se dedicou (todos nós estamos sujeitos a erros). Li uma matéria muito interessante aqui no PTI que dizia algo de forma muito interessante: “Elogie em público e converse sobre pendências ou desvios em particular”. Tente manter a equipe sempre estimulada. Não acho que seja fácil rsrs. Boa Sorte!

Abraços!

Vinicius F Oliveira
7

Empresas onde o negócio é alta tecnologia, tanto de hardware como de software, precisa mais de especialistas. Se apenas é usuária de tecnologia, o generalista é mais importante. Algo a ser levado em conta quando candidatar-se a uma empresa. O sucesso na empresa indiretamente irá influenciar na escolha especialista X generalista.

Thiago Andre do Rozario
8

Caro, Lucas.

Primeiramente parabéns pelo artigo, como nosso amigo Emerson também estou no mercado de TI a um bom tempo aproximadamente uns 10 anos e já passei por diversas áreas. Lendo seu artigo, hoje posso me considerar um generalista, sempre busquei entender um pouco de cada coisa.

O importante é sempre ir em busca da excelência.

Sucesso

Lucas Alcântara Autor do Post
9

Obrigado pelo comentário, Thiago Rozario.

Concordo contigo. Sucesso na sua carreira. Abraços

Vinci
10

Especialista! Sem dúvidas! Siga a regra 80/20 e foque sua energia
nas 20% das suas atividades que você tem mais competência e paixão.
Todo o progresso da humanidade vem de nos tornarmos cada vez mais especialistas.
Quase sem querer você vai acabar por osmose sendo pelo menos razoavelmente generalista.
Generalista é desculpa pra quem ainda não se descobriu.
Note que um gerente não é necessariamente generalista.
Às vezes ele se especializou em gerenciar pessoas, tempo, dinheiro.
Um especialista, no mínimo, prova que foco e persistência.

Adalton David
11

Parabéns pela matéria.
Na minha opinião a principal atitude de um profissional em ti quanto ao seu perfil, é fazer o que realmente gosta. Procurar sempre se especializar nos assuntos relacionados a sua área de interesse e sendo humilde na aceitação quanto a troca de experiências com outros profissionais das demais áreas em TI. Geralmente o profissional evolui bastante com esta atitude.

Forte abraço!

Lucas Alcântara Autor do Post
12

Obrigado pelo comentário, Vinci. Respeito sua opinião.
Só para ressaltar: quando me referi à cargos de Gerência foi em relação aos chefes e gerentes na área de TI. Logicamente, em empresas com foco em uma área única de TI como de desenvolvimento por exemplo, podemos ver gerentes que são especialistas. Porém, o cargo e a tarefa de gerir pessoas demanda além de conhecimento técnico e o fato de sair da área técnica para tomar conhecimento em outras áreas já te faz, de certa forma, um generalista. Ser especialista não quer dizer que seu cargo sempre será menor que um generalista, pois existem cargos de chefia que exigem conhecimento máximo e específico em uma área. Para ser um CSO por exemplo.

Obrigado, Adalton David.
Com toda certeza essa é uma qualidade pessoal que é muito valorizada e não só na área de TI.

Abraços

Fabio de Salles
13

Há um bom tempo eu notei essa dualidade. E há pouco tempo eu achei outra vertente de conhecimento que lida com ela: Analista de Negócios. Procurem o livro Business Analysts: Best Practices, do Steven Blais. Lá ele discute as funções e o emprego de um Analista de Negócios nas empresas. Vocês verão que o BA nada mais é que o generalista de TI e negócios, e como ele é uma peça-chave. Do contrário, um especialista em TI que não sabe nada a fundo, no fundo não sabe nada. Um generalista não sabe programar, não sabe conduzir um projeto, não sabe desenhar requisitos… Ele é um pitaqueiro geral, sem capacidade específica para nada. Por outro lado, o super-especialista não dá conta de todas as tarefas e precisa ser pareado com outros especialistas, e conduzido por especialistas em gestão de projeto. Não dá para fazer algo bem (ou fazer muito a mesma coisa) se não souber bem o que fazer – se não for um especialista. Mas quando se muda o ponto de vista de TI ou Negócios para TI com Negócios, a figura do Analista de Negócios é o generalista-nato, que não é nem de TI, nem de Negócios. Arre, tô ficando confuso… Leiam o livro, verão que há mais generalismos entre o corner office e o chão-de-fábrica que supõe nosso vasto guia de certificações…

SneepS
14

Posso falar uma realidade que talvez deixem os especialistas desanimados?
É o seguinte piazada, o especialista estuda mais, não, não me venha com conversa mole que o generalista tem que estudar muito e lá lá lá, o estudo generalista é muito simples e pouco mensurável, e o pior/melhor é que são reconhecidos como “superiores” aos especialistas, eu reconheço que o trabalho difícil e pesado e menos remunerado fica com o especialista, por uma questão errônea que as empresas fazem de colocar o generalista acima deles na hierarquia.
O que eu quero é alertar a moçada que esta começando a caminhar na área é que fique claro essas coisas, se você prefere trabalhar como um especialista, você terá a ultima palavra no assunto técnico, ninguém vai discutir com você no que você é pago para fazer, vai ganhar menos que o generalista, mas será menos cobrado, pode ser feliz assim sem problemas.
Agora você quer ser generalista, você vai ganhar mais dinheiro que um especialista, e de forma mais fácil, menos estudo, mais conversa, terá que ter boa lábia, tem que agradar o chefe, saber lidar com as equipes, ou seja, é uma profissão diplomática acima dos especialistas, quando algo der errado, mesmo que seja culpa do especialista, a culpa será sua também pois você é quem deveria ter previsto o erro dele.

Ricardo
17

Lucas, parabéns pelo artigo eu atuei como Generalista por 3 anos, más após um tempo decidi ver o outro lado e ser um especialista, já faz um ano e meio que estou atuando como especialista não sei se é porque já estive do lado mais alto ou porque realmente não tenho vocação para ser um especialista ando muito desanimado, não consegui ver muitas vantagens em ser um especialista talvez a escada de crescimento seja mais longa e no mercado atual um especialista tem muito mais concorrência que um generalista.

Lucas Alcântara Autor do Post
18

Obrigado pelo comentário e por compartilhar sua experiência, Ricardo.

É verdade, muita gente acaba ficando indecisa em relação a área. As vezes ela só não encontrou a especialidade adequada às suas preferências ou as vezes realmente é um profissional que está, por histórico ou simplesmente gosto, mais disposto a área “geral” ou gestão. Se quiser, podemos trocar algumas ideias por e-mail.

Muito sucesso pra você. Abraços.

Leonardo
19

Lucas, te o prazer de ler o seu artigo e posso sem sombra de duvidas e com bastante humildade o classificar como um excelente conteúdo informativo e auxiliador para pessoas como eu que estão com muitas duvidas sobre o que fazer ou seguir nesses momentos de indecisão. Parabéns pelo seu post, muito bom mesmo.

Lucas Alcântara Autor do Post
20

Olá, Leonardo.

Fico muito contente ao ler comentários como o seu. Não sou um profissional de longa jornada no mercado de trabalho, mas por saber e ter passado por algumas dificuldades que encontramos, nas carreiras da área, tento compartilhar o máximo das minhas experiências com os colegas.

Muito sucesso para você!

Grande abraço

Maicon
21

Quem tudo quer, nada tem!
Um profissional sem foco em algo, que faz tudo em uma empresa … é substituível. E “provavelmente” na hora do aperto, na hora do grande desafio, um especialista ou uma consultoria especializada será a solução.

Acredito que devemos ser bons em algo, e ter um conhecimento superficial nas tecnologias que rodeiam apenas o seu dia a Dia.

Exemplo, sou especialista em SQL Server … se não conhecesse conceitos básicos de desenvolvimento, não seria possível discutir ou trocar informações com os desenvolvedores.

Parabéns pelo texto, bem escrito.

Adriano Aguiar
23

Sou especialista em infraestrutura (generalista) e concordo com você em partes.

Pois já realizei trabalhos com especialistas em determinados assuntos e na maioria dos casos eu conhecia o mesmo ou mais do que o cara.

Seja em MS, Linux,redes ou cloud aws e conheço vários especialistas(generalista) que sabe muitos mãis que o especialista de um único produto.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">