Quando o desemprego bate à porta…

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Após receber o comentário de um leitor desempregado há pouco mais de três meses, dizendo da sua angústia, tristeza e do seu desespero por não ter o retorno das suas entrevistas, me senti comovida e resolvi compartilhar com vocês o momento no qual estou vivendo.

Enfrento o maior período desempregada de toda minha trajetória profissional, e, como Analista de Requisitos nunca havia enfrentado tamanha dificuldade para realocar-me no mercado. Quando conquistei minha certificação de gerenciamento de projetos cheguei a crer que teria ainda mais facilidade para encontrar novas oportunidades. Ledo engano. Desde quando fui desligada da empresa onde atuava por conta de corte de custo (a crise econômica já começava a dar sinais de vida) eu fiz mais de quinze entrevistas sem sucesso.

Imagem via Shutterstock

Imagem via Shutterstock

Ora se quer recebo um retorno. Ora sou taxada como “boa demais”, “super qualificada”, “muito mais do que a vaga requer” e tantas outras desculpas usadas pelos recrutadores para tentar justificar o injustificável, a perda de tempo da entrevista. Vocês podem ver no meu perfil do LinkedIn toda a minha trajetória, sem mais nem menos, lá descrevo com exatidão tudo que já vivenciei, cursos, conhecimentos, projetos e clientes. Sendo possível verificar o meu perfil profissional em detalhes. Portanto, não é compreensível chamar-me para uma entrevista e depois usar o subterfúgio de “acima das expectativas”.

Resolvi compartilhar esse meu cenário para que vocês possam ver que nem um bom currículo, uma carreira bem construída, boas certificações, bons cursos, ampla experiência, ótimas recomendações nada disso nos impede de ficarmos desempregados, de encontrar dificuldades na realocação, de não receber o retorno das entrevistas.

Muitas pessoas me questionam como consigo lidar com isso e a resposta que tenho é a seguinte: não depende só de mim, tenho que fazer a minha parte e esperar o outro lado (leia-se o empregador). O desespero se apresenta? Sim, em alguns momentos, principalmente, quando as contas chegam. A tristeza surge? Sim, muitas vezes após um retorno frustrado de uma entrevista (ou a ausência dele). Só que nós não podemos nos deixar fragilizar ao ponto de não estarmos bem física e psicologicamente, pois, quando a oportunidade chegar precisamos estar preparados para abraça-la. Eu, particularmente, não conheço nenhum profissional da área de gerenciamento de projetos, análise de requisitos ou negócios desempregado, mas acho que deve existir alguém além de mim na mesma situação.

Um dos conselhos mais recorrentes que escuto das pessoas próximas é para tentar outra coisa, me reinventar e, sinceramente, acho um excelente conselho. Só que não é nada simples, nem fácil mudar. Talvez migrar para a área de desenvolvimento (onde vejo diariamente diversas vagas) ou para infraestrutura, quisá suporte, quem sabe? São possibilidades factíveis a quem tem interesse, vontade ou necessidade de aprender. A dica que quero deixar é que você tenha consciência dessa mudança e a faça com o seu melhor.

Pense que essa crise não estará para sempre em nossa economia, esse seu desvio de percurso na carreira também não precisa ser perene, ele pode retornar ao caminho original quando a oportunidade chegar. O que você não pode deixar é se abater pelo desespero, desânimo, comodismo e depressão.

Quando o desemprego bater à porta, é claro que nós não iremos abrir, mas ele entra pelas frestas. Então, o melhor a fazer é estar preparado para quando essa visita indesejada lhe encontrar: economize, controle seus gastos, estude, mantenha seu networking, não mude de emprego sem avaliar muito bem para onde está indo, avalie todas as possibilidades e siga com passos firmes.

Boa sorte a todos nós.

Sucesso. E persevere sempre.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Carolina Souza

Mais artigos deste autor »

Especialista em Gestão de Carreira Empresarial, em Gerenciamento de Projetos [PMP] e Engenharia de Requisitos [CPRE-FL] com 14 anos de vivência no mundo corporativo, atua como consultora, palestrante e mentora nas áreas de gestão, liderança, processos operacionais e desempenho de equipes. Colunista de revista e site especializados em TI. Autora do Blog Conversas Inteligentes, que aborda temas acerca do desenvolvimento humano.


35 Comentários

Vitor Melo
1

Poxa Carolina, eu realmente precisava ler ou ouvir as palavras que você colocou em seu texto. Recentemente fui demitido da empresa, onde eles alegaram que era corte de custos e estou passando exatamente por tudo que você comentou.

Começamos a ficar confusos, sem saber o que fazer, se muda de área ou não, o cérebro não para de borbulhar…

Mas, seguindo em frente, não desistindo, vai chegar uma hora que a maré vai mudar de lado e com certeza tiraremos uma lição de tudo isso.

Valeu e até a próxima!

Henrique Mata
2

Bom dia Carolina,

Realmente fico muito triste em vê nossa economia e profissionais muito bem qualificados em uma situação como essa…

Nós empregados ficamos com muito medo do desemprego, vendo amigos de trabalho se despedindo pelo corte mensal que acontece nas empresas. Sou da área de Gestão e Projetos em uma grande empresa varejista, e vejo que a visão de processos e gestão estão fora de cogitação dos empregadores. A área de requisitos e processos visto por bons olhos, é a área que faz a empresa crescer e arrumar a casa em tempo de crise (esse é meu ponto de vista!).

Tenha fé e foco, que o melhor está para chegar em sua vida. A porta do sucesso para você já chegou, mais ainda não foi descoberta…

Boa Sorte!

Adriano
4

Bom dia prezada Carolina,

Parabéns pelo artigo, estava precisando ler algo desse tipo, infelizmente eu também fui mais uma vítima do corte de custos(Março do ano passado) onde a empresa na qual trabalhava por ser de médio porte já tomava suas providências para suportar a crise que estava surgindo. Desde então estou desempregado e tentando uma vaga no mercado de trabalho, no meu caso é mais complicado pois não tenho tantas certificações e experiência como você, no momento estou sem cursar nenhum curso superior, mesmo assim eu estudo por conta própria os assuntos do meu interesse tais como: Lógica de programação,C++, Inglês, ERP-Totvs), tenho vários certificados de treinamentos online nesses assuntos e em breve desejo ingressar na faculdade de ADS(Analise de Sistemas) o momento é dificil para todos, mas como você mesmo disse devemos estar preparados para receber as oportunidades futuras, enfim que sejamos todos nós comtemplados brevemente com uma boa oportunidade.
Um abraço.
Att.

Leonardo
5

Chega a ser cômico um entrevistador falar que você é boa de mais para esta vaga, como assim? VOCÊ PRECISA DE UM PROFISSIONAL E EU PRECISO DE UM EMPREGO….
Realmente é triste isso pois já aconteceu comigo também e me revolta quando eles dão esta desculpa;
Gosto quando falam que não tenho capacidade pois ai sei que devo me empenhar mais…. essa crise ta complicada, mas estou torcendo por você , keep calm que tudo vai da certo!
Um Abraço

Fernando Palhares
6

Ótimo texto Carolina!

Estou na mesma situação que você e entendo cada palavra que você colocou no texto sobre animo, foco, fé entre outras coisas que precisamos ter. Entendo que estamos em crise e que será passageiro, mas precisamos honrar as contas e o conselho de correr atras todos os dias faz parte do nosso cotidiano.

Precisamos reinventar o uso de ferramentas como esta (Linkedin) que permite acesso as oportunidades das empresas, mas que muitas vezes não conseguimos utiliza-la em sua totalidade em virtude de não existirem movimentos como esses. O networking nesse momento é o que faz a diferença e na minha opinião se ele fosse feito com mais intensidade (não por nós, mas pelos que ainda estão empregados em realizar indicações para suas conexões), nós já estaríamos recolocados no mercado.

Boa sorte! Tenha fé que logo voltaremos ao mercado.

Daniel
7

Estou assim as 6 meses, so faço entrevista, passo nas provas, e nada de trabalho . So perda de tempo e dinheiro de passagem.

Rodrigo Araújo
8

Fico imaginando a profissional acima morando no EUA, com o currículo e experiência que tem, estaria com um ótimo salário, uma bela casa e um belo carro, pena que ela está no Brasil.
Este país que não investe em educação de qualidade, que sufoca a liberdade econômica, o empreendedorismo, a inovação, o esforço, enfim, o trabalho.
Onde para abrir uma empresa demora-se 4 meses, a famosa estratégia de criar dificuldades para vender facilidades, ou seja, antes de comercializar, temos que pagar o carimbador, o alvará, a licença, o escambau a quatro. Depois? Aí se começa a pagar várias taxas, impostos, se for contratar, ter que assinar carteira, e aí mais encargos, impossibilitando o crescimento, a expansão do seu empreendimento.
Se a profissional acima está com dificuldades de arranjar emprego, imagine eu, que me formarei tecnólogo no fim do ano, espero com uma certificação Linux, sem experiência, com 35 anos, e que fez uma faculdade depois dos 30 por que não teve a oportunidade de fazer com 20 anos e achava que com estudo a vida melhoraria. Ledo engano, no país onde a meta de vida é fazer concurso público e se garantir pelo resto da vida as custas do Estado. Meu maior sonho é cair fora do Brasil.

Eduardo
9

Carolina,

Acabo de conhecê-la e já a considero muito, sério este problema eu sofri por 6 Meses após me formar na faculdade, as condições do meu curriculo não eram favoráveis mas, por 6 meses não encontrar algo na área de TI?, bem tive que me “rebaixar” escolher outras vagas de menores valores e assim encontrei uma como digitador, numa empresa de documentação, não era muuuito TI mas era o mais próximo que consegui, saindo desta empresa, também por cortes de gastos em fevereiro de 2014, consegui outro emprego somente em 08/12/2014, sim passei exatos 10 meses procurando algo na área (pois não queria mais trabalhar fora da minha área que escolhi) e não encontrava, encontrei uma vaga também próxima mas não exatamente o que esperava, “analista de sistemas” como fui contratado mas fiz serviço de CallCenter, nada a se reclamar pois a empresa em si era totalmente de TI logo aprendi algumas coisas sobre os aparelhos que utilizavamos, além de estar atualmente nesta que também está fazendo cortes, temo novamente permanecer mais 10 meses sem emprego.

agrego ainda que uma amiga, que fez faculdade comigo, atualmente está a 2 anos sem trabalho, esta trabalhava como Analista de Banco de Dados, e até o momento, ela disse que se rebaixou também para outra área que paga menos…porém sem sucesso. fico triste somente pois o modo como tratam a TI ainda no Brasil é muito…. diria preconceituosa, como se a TI de uma empresa fosse descartável o que não se asemelha com a verdade. Bem esta é somente minha opnião.

Força TI, teremos nosso reconhecimento em breve

Nobre
10

Situação complicada, porém passageira. Todo momento é um momento de transição. Escolhas são feitas e temos que arcar com as consequências. Minha situação foi um pouco diferente, tenho 20 anos e recém-formado. Trabalho desde dos 18 anos como Analista de Requisitos. Acabei optando por seguir a linha de concursos públicos, este que por sua vez oferece:
1 – Remuneração Alta,
2 – A famigerada Estabilidade,
3 – Plano de Carreira.
Sempre fui empreendedor, acreditava na livre iniciativa, economia de mercado, a vida profissionnal dimânica do mundo privado… Nunca imaginei que direcionaria meus esforços para trabalhar para o serviço público, no entanto a realidade dos fatos se impõe. E digo companheiros, estudem para concursos. Tenho bons resultados, ainda não fui nomeado em nenhum, sigo em frente.
Sucesso à todos, que suportemos e que tenhamos aquela boa e velha, paciência estratégica.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
11

Queridos Colegas e Leitores,

Dessa vez além de responder individualmente a todos que comentaram, vou fazer um pouco diferente. Antes de respondê-los, quero fazer um agradecimento geral a todos que dedicaram seu tempo me enviando palavras de motivação.

Alguns de vocês me adicionaram no Linkedin e viram o meu depoimento lá, outros não, por isso, escreverei aqui também. Eu consegui retornar ao mercado de trabalho – tem até um novo texto a ser publicado aqui sobre o que mudou em mim depois desse período desempregada – e quero aproveitar para registrar a minha torcida para os colegas que ainda continuam na luta, não desanimem!

Quando estiverem esmorecendo pensem que não estão sozinhos.

Hoje, 19 de outubro, Dia dos Profissionais de TI, deixo meu carinho, minha gratidão e a esperança que todos sejamos reconhecidos e valorizados pelo nosso profissionalismo.

Forte abraço na Família PTI!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
12

Olá Nobre,

A carreira pública também pode ser criativa, empreendedora e inovadora. Basta ser resiliente, perseverar nos seus objetivos, naquilo que você acredita e seguir em frente. Talvez não seja tão fácil, nem tão rápido, porém, se faz sentido para você e lhe inspira a fazer melhor, persista.

Como você mesmo disse “escolhas são feitas…” continue escolhendo sua verdade.

Boa sorte em sua carreira e seus estudos.

Obrigada pelo comentário.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
13

Olá Eduardo,

Obrigada por compartilhar conosco sua experiência.

Desde o ano passado o mercado de TI no Brasil vem enfrentando uma grave crise, poucas vagas, muita exigência, baixos salários tudo isso só dificulta a conquista de um emprego em todos os níveis (de trainee a sênior).

Não encare a sua alocação como Digitador ou qualquer outra como um rebaixamento, essa é uma forma muito cruel consigo mesmo. Se esta foi a oportunidade que apareceu, assim como a de Analista de Sistemas abrace-a com afinco e dedique o melhor de si. Mas não pare de buscar o que realmente deseja, através do seu desempenho você pode ser bem visto na empresa e talvez novas oportunidades se abram em seu caminho. Portanto, olhe sempre para o seu trabalho com orgulho, pois, o mesmo é feito com honestidade e dedicação.

Aprimore seus estudos (com cursos gratuitos, leituras, aplicativos gratuitos de idiomas) e não pare de se aprimorar. Esteja preparado para quando a oportunidade que tanto busca aparecer.

Recomendo as mesmas orientações a sua amiga, Analista de Banco de Dados.

Boa sorte a vocês.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
14

Olá Rodrigo,

Obrigada pelo comentário.

Realmente, no Brasil temos muita burocracia para incentivar o empreendedorismo, altos encargos trabalhistas e para iniciar o próprio negócio é necessário antes ter um ótimo planejamento e um bom capital para o investimento.

Mas, não sei se nos EUA eu estaria tão bem quanto você imagina, lá o desemprego também está em alta e a crise econômica existe.

Todavia, gostaria de compartilhar com você um relato pessoal: meu pai só finalizou seu ensino médio aos 47 anos, ingressou na faculdade com 49 e terminou sua especialização agora com 57. Ele se formou em fisioterapia. Começou a trabalhar com 16 anos no comércio, era balconista de farmácia, por isso, nunca viu necessidade de investir na educação até que ficou desempregado aos 45 anos e viu o tempo passar e a exigência do mercado em ter pelo menos o ensino médio completo como uma barreira para se realocar. E, como já descrevi, somente em torno dos 50 anos que foi retomar seus estudos. Hoje ele atua como autônomo e está feliz com as portas que a educação abriu em sua carreira.

Quis compartilhar isso com você para mostrar que seus 35 anos não são impeditivos para realizar nenhum de seus objetivos. Você pode atuar no Brasil ou fora dele, tudo depende do seu planejamento, da sua qualificação, do seu networking e seu empenho. Não deixe que o desânimo por ter realizado sua faculdade fora da “escala comum de idade” e que a burocracia que há no país, bloqueie seus sonhos. Corra atrás dos seus objetivos crendo sempre que é capaz!

Você é o seu maior incentivador e desmotivador também. Tudo depende de como encara o que tem pela frente. Vá firme rumo aos seus objetivos!

Boa sorte e muito sucesso!

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
15

Olá Daniel.

Fiquei um ano desempregada e sei o quanto é difícil essa situação, mas deixo uma lição que aprendi: “Não desanime” porque quando paramos de acreditar em nós mesmos e perdemos a esperança tudo fica mais complicado.

Assista a webnarios gratuitos, palestras online, faça cursos online gratuitos, estude inglês pelos aplicativos gratuitos no celular, mantenha seu networking ciente da sua busca por realocação, fique atento as oportunidades, atualize seu currículo com todos os cursos que concluir e acredite, uma hora a porta de um novo emprego também se abrirá para você.

Boa sorte.
Sucesso!!!

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
16

Olá Vitor,

Lamento muito.

Espero que logo você retorne ao mercado.

Como você disse, não desista, uma hora a maré ruim vai passar e bons e novos mares surgirão para você.

Não se esqueça de manter os estudos em casa, a leitura de artigos, de avisar ao seu networking que está buscando realocação, cursos e palestras também são essenciais para nos manter antenados e não nos deixar desanimar.

Boa sorte!!

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
18

Olá Adriano,

Obrigada pelo comentário.

Você está no caminho certo, continuando seus estudos, outra dica que gostaria de lhe dar é (caso seja possível) procure um evento presencial workshop ou palestra que tenha relação com a área de atuação que deseja e vá preparado com alguns currículos ou cartão pessoal para fazer um novo networking. Essa abordagem mais ativa também pode ser útil.

Tem alguns eventos gratuitos que são oferecidos pela ProjectLab e no Infnet (todos aqui no Rio) que oferecem boas chances para esse networking. Não sei da onde você escreve, mas se for daqui procure nos sites a agenda destes eventos. E, caso não seja, procure em faculdades ou cursos da sua cidade.

Reveja seu currículo, analise se ele está bem objetivo, deixando claro ao recrutador o seu objetivo profissional, se for atuar em áreas distintas é legal ter um currículo específico para cada área.

Não desanime. A sua hora de retornar ao mercado também vai chegar!

Boa sorte!

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
19

Olá Leonardo,

É realmente desanimador essa situação.

Graças a Deus, estou de volta ao mercado.

Obrigada pela torcida.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
20

Olá Fernando,

Obrigada pelo comentário.

De fato, só entende essa situação quem já passou por isso, concordo que o bom uso das ferramentas de networking poderiam facilitar o encontro de oportunidades. É uma pena não ser utilizada como poderia.

Talvez nós mesmos pudéssemos pensar em como aprimorar essa rede, divulgando vagas, quem sabe?

Assim como eu, tenho certeza que você logo estará de volta ao mercado.

Fico aqui na torcida.

Boa sorte.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
21

Olá Henrique,

Muito obrigada pelas palavras.

Eu conheci em um processo seletivo três analistas de processos e requisitos que também estavam há um bom tempo desempregados. Acredito que essas áreas não estejam mesmo sendo valorizadas no mercado, pela maioria das empresas, onde me parece que o foco é mais no desenvolvimento. Talvez porque este gere o entregável em si, o produto final, o software ou sistema solicitado e passível de faturamento. Enfim, está complicado compreender o mercado.

Graças a Deus estou de volta.

Boa sorte para nós.

Abraços.

Marcel
22

Boa tarde Carolina! Parabéns pelo post e mais ainda pela sua realocação ao mercado de trabalho! Compartilho do sentimento que passou, desde meio de março estou fora do mercado de trabalho. Eu era Adm Redes Linux/Infra. A empresa em si não passava por uma crise mas a utilizou para “reorganizar a casa”. Deve me entender.
Passei pelas mesmas situações que mencionou e muitos outros aqui também, tais como “seu perfil é acima, excesso de qualificações…” e por aí vai. Também outras tantas, ahn, estranhas por assim dizer “tem total disponibilidade por 24×7?” Outra grande empresa de tecnologia ainda me perguntou “Por que tanto tempo desempregado?” Quase respondi “Sério?”.
É desgastante entrevistas e retornos negativos. É mais desgastante quando não se tem retorno, e eu cobro feedback. Acho o mínimo para com aquele que empregou tempo e dinheiro indo à empresa.
Mas continuo fazendo cursos online, estudando para certificação, me aprimorando. Não tenho o menor receio de trabalhar em uma oportunidade melhor. Aliás, já fui indagado em entrevista o porque estar me candidatando para uma vaga de menor nível…

Todos nós conseguiremos uma oportunidade, basta não desistir. Manter a mente ocupada, afastada de negatividades e perseverança, sempre. E quando a oportunidade bater à porta, agarrá-la com toda a força.

Parabéns pelo portal e conquista!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
23

Olá Marcel.

Muito obrigada pelo comentário e por compartilhar conosco sua vivência. Seu exemplo de resiliência, disciplina, perseverança e confiança é muito importante e inspirador para mim e tantos colegas que estão enfrentando essa situação.

Você está corretíssimo em continuar seus estudos, deixar o desânimo nos abater é a pior escolha que podemos fazer.

A falta de retorno é uma atitude desumana. Infelizmente, continuamos vendo colegas como você relatando essa prática.

Sua hora chegará, não desanime. Acredite em si e no seu potencial!

Muito boa sorte!!!

Forte abraço.

Flavia
24

Olá Carolina, vi seu artigo e me senti estou cheia de dúvidas a respeito da minha futura carreira. Aprendi um pouco de linguagem (mas não programei nada ainda) e fiquei curiosa p/ me aprofundar mais. Portanto, pretendo iniciar minha graduação de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e tenho aquele medo de não conseguir acompanhar a metodologia de ensino, já que não sei quase nada. Vi aqui, que uma pessoa deve no mínimo saber o básico e me deixa receosa quanto ao grau de dificuldade para acompanhar a metodologia e o conteúdo (partindo do “zero”).. Obviamente levo em consideração que o esforço e empenho individual também influencia no meu desempenho, mas ainda assim, gostaria de uma opinião de maneira geral de quem tem embasamento pra se posicionar, já que vejo que o mercado de trabalho está escasso e com falta de profissionais completos. Por isso gostaria de saber se alguém sem muito conhecimento poderá aprender em uma graduação tecnológica ou seria melhor fazer um bacharelado, já que teria mais tempo para aprender. Agradeço desdo já a você!! :)

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
25

Oi Flavia,

Suas dúvidas e o seu receio são compreensíveis. A minha formação acadêmica é em graduação tecnológica e posso lhe dizer que não ter estudado um curso de bacharel não influenciou em nada minha carreira. Porque a graduação nos passa muita teoria, a prática e o aprofundamento no segmento escolhido para atuar conquistamos em cursos extracurriculares.

Eu ao optar pela área de Engenharia de Requisitos iniciei vários cursos na PUC dentro deste segmento e alinhando a prática consegui evoluir e amadurecer tecnicamente.

Então, baseada na minha experiência, posso lhe dizer que não importa se sua graduação será de 3 ou 5 anos, o que vai ser determinante para o seu sucesso é seu empenho, sua disciplina e o desejo de se superar a cada novo desafio encontrado. Opte pela graduação a qual seu gosto pela grade curricular mais se motivar, aquele curso que você sinta vontade de estudar todo o conteúdo, que lhe inspire a querer saber sempre mais. Acho que mora aí o segredo para a escolha do curso apropriado.

E se tiver mais alguma dúvida pode me enviar uma mensagem pelo linkedin.

Sucesso!
Abraços.

Giancarlo
26

Olá Carolina,

Boa noite!
De grande valia a sua mensagem. Bom sobre imaginar que apenas você de gestão de projetos estaria no mercado.
Sou de projetos com tempo de experiência de 6 para 7 anos. Pós em faculdade de renome e estou a 8 meses em casa. Pensei que duraria uns 3 meses…Mas nem muitos motivos tenho para comemorar o natal…
Mas é isso, vamos planejando alternativas b e c.
A carreira em TI tem dessas…
Empreender em muitos casos pode ser a solução, visto que gerir projetos e pessoas em ti, tem lá muita similaridade…

Rodolfo
27

In a nutshell 10 years experience in sharepoint. Net technologies and unemployed for the past 9 months. ..minha secunda crise em menos de 6 anos. ..sendo que peguei a da europa também trabalhava em TI. ..resumindo inglês fluente experiência internacional 10 anos de experiência com sharepoint e .Net e desempregado

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
28

Olá Rodolfo,

Sinto muito por essa situação. Você tem ótima formação e inglês fluente, o que ainda é difícil de encontrar no mercado brasileiro, mas ainda sim enfrenta a crise do desemprego. Não sei se você já pensou sobre isso: fazer um coaching de realocação profissional. Penso, que talvez esse processo possa lhe auxiliar a vislumbrar alguma outra alternativa que possa contribuir para o seu retorno ao mercado.

Obrigada por compartilhar conosco sua experiência.

Boa Sorte!

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
29

Olá Giancarlo,

Espero que você já tenha retornado ao mercado.

Quero agradecer por compartilhar conosco sua experiência com essa crise e por nos mostrar que a resiliência precisa ser uma constante. De fato, empreender pode ser um excelente caminho nesses tempos difíceis. Estima-se que nesse ano o número de empreededores cresça consideravelmente, por conta do desemprego que o país enfrenta.

A sua experiência sem dúvida pode contribuir para que você seja bem sucedido nessa nova alternativa. Desde já fico aqui na torcida pelo seu sucesso!

Boa sorte!

Abraços.

Glaucia Lemos
30

Wow…. saiu na hora certa essa matéria!!! Estou na situação de desemprego na área de Desenvolvimento (olha que até o mês de 02/2016 estava indo super bem), mas agora…. parece que as vagas para Desenvolvedor .NET simplesmente sumiram aqui no Rio de Janeiro.
Resultado? Estou indo para o 3º mês que estou indo em busca de trabalho… quando surge uma entrevista é pingado. Quando faço a entrevista, realizo os famosos desafios de programação e depois quando vem o retorno… (quando temos o retorno) recebo a resposta de que contrataram uma pessoa mais técnica para a vaga em questão… e fico meio… wow… que preciso fazer mais??? Retornei recentemente da Argentina, Buenos Aires (por motivos de doença na família) e a situação econômica na Argentina é muito pior e nem se compara com a situação econômica do Brasil. E mesmo assim, não vivendo mais lá e nem mesmo colocando currículos mais lá… continuo recebendo diversas propostas de lá!!!

Sabe uma coisa quem eu venho observando? As empresas, aproveitando que a procura está maior que a oferta, estão “catalogando” as vagas. Eles estão apercebendo que tem muita gente boa disponível no mercado e querem contratar esses com um valor de salário ilusório. E com o desespero de um pai de família por exemplo (um Senior que tem uma boa formação acaba tendo que aceitar a proposta com um valor super inferior – desvalorizando o serviço e
experiência do mesmo). E infelizmente isso está acontecendo isso.

As vagas existem. Sabe por quê? Como é que explica eu estar recebendo ainda propostas muito boas para trabalhar na Argentina e nem estou morando mais lá e a situação econômica do país está muito pior que aqui (inflação gerando em torno dos 40%, aumento de luz em mais de 600%, aumento de água em mais de 300% e sem contar aumento das passagens em mais de 100%?) tenho conversado com amigos meus que a crise no Brasil nem chega perto do que os Argentinos estão sofrendo lá com o governo Macri…. PORÉM, me disseram que estão sendo sempre questionados e assediados pelas empresas para trabalhar???? Como explica isso????

Assim que… Isso é um pensamento meu… Eles (as empresas) estão rindo demais dessa situação atual uma vez que agora eles estão se sentindo que houve uma mudança no quadro político/econômico do país, ou seja a procura está maior que a oferta. E estão catalogando vagas e mandando embora gente com muita experiencia para poder contratar estagiários e Juniores (se vocês observarem como explodiu a quantidade de vagas para estagiários. ..) Mas eles estão se esquecendo de uma coisa:

# 1 – o Brasil esta sofrendo uma crise econômica não porque não tem dinheiro, mas devido a situação politica interna. Assim que se estabilizar por um pouco a situação aqui as coisas voltarão a normalidade em um piscar de olhos. Diferentes de outros países em que bancos quebraram e dinheiros ficaram presos nos bancos e as pessoas nem puderam nem mesmo sacar o seu dinheiro (Espanha, Grecia, Portugal, por exemplo….)

# 2 – a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de Tecnologia perderão seus status devido a falta de profissionais bons na empresa. Na hora de obter um contrato com alguma empresa para desenvolver algum sistema a estimativa aumentará, devido o seniority da equipe atual, que será muito baixaq, tornando o projeto mais longo, caro e sem qualidade. E perderão para outros países esses contratos onde podem desenvolver seus projetos em uma escala muito menor e em pouco tempo por obterem uma equipe bem balanceada e equilibrada de diferentes seniorities (India, EUA, Argentina, Chile, por exemplo…) Agora eles estão rindo e demitindo os bons. Mas pode ter certeza que pagarão um preço muito alto em poucos meses. Quando eles notarem que estão dando um tiro no próprio pé e vendo que as receitas nas empresas de tecnologia já não estão mais sendo como era antes… Ai quando eles forem tentar contratar os bons de novo…. Já será tarde demais.

Fazendo uma analogia: É que nem time que foi rebaixado para a série B… Se tu fizer contratação só de pessoas sem experiência a probabilidade de você não voltar para a serie A diminui…. E é isso que vai acontecer com essas empresas de T.I aqui no Brasil.

Enfim…. como você mesmo disse… para aqueles que estão no mesmo barco que eu (desempregados) é procurar não se desesperar, evitar gastos, cair dentro em cursos online e gratuitos (é uma das coisas que estou fazendo) e continuar realizando buscas de trabalho sem desânimo e sem perder o foco.

Parabéns pelo excelente artigo Carol!!! E parabéns!! Merecido a sua recontratação…. se não tivesse acontecido até agora…. iria me juntar no Linkedin para fazer uma petição em prol de te ajudar: vc é uma profissional com um nível de experiência e técnico muito alto e profissionais como você precisamos mantê-los aqui no nosso país para não perdemos para outros países!!!

Abraços,

Glaucia Lemos

Linkedin: https://br.linkedin.com/in/glaucialemos
Site Técnico: http://www.code4coders.wordpress.com

Juliana
31

Ao ler seu artigo é me vi em cada linha, em cada frase. Até cheguei a pensar:” ou foi eu quem escreveu isso e, graças a Deus não estou só.” Conforme seus relato, acho uma falta de respeito e consideração por parte das empresas, Rh´s convidar-nos para uma entrevista e dar-nos como resposta ( quanto há uma) que superamos a expectativas. Penso nos seguinte:

1-Ou os RH´s saem colocando tudo que eles acham legal , bonitinho em uma vaga de TI e não se atentam para o que realmente necessitam ;

2- Atualmente, manto mais preguiço e desinteressado ( no sentido de não se qualificar, reciclar) formos, maiores serão as chances de conseguirmos uma oportunidade: ou seja o poste urinando no cachorro;

3 -Ainda há uma enorme exclusão e desrespeito em refação as mulheres em TI.

Tive convicção da profissão que escolhi. Invisto constantemente qualificação e conhecimento,
só que ao invés de progresso, tenho a sensação de regresso, frustração, e de que a saía realmente será buscar outro rumo.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
32

Olá Juliana,

Infelizmente essa situação é uma realidade para nós e muitos outros colegas. Mas, sabemos que deixar de investir em nosso crescimento profissional não diminuirá as dificuldades que enfrentamos. Portanto, o melhor caminho é continuar buscando algo que nos faça feliz e nos dê vontade de evoluir sempre.

Abraços.

Marcelo
34

Excelente artigo !! Estou a 2 anos desempregado, sou da área de TI suporte e infra estrutura. Tenho notado que as empresas estão MUITO, mas MUITO seletivas por conta da abundancias de profissionais em busca de recolocação. Muitas vezes nossa área de TI é ingrata, pois temos que investir muito se qualificando, buscando certificações e cursos, porem querem pagar baixo salários. Esses tempos vi um comentário exemplar que alguem deixou em uma máteria no site do G1 relacionada ao desemprego.” Nível de Exigencia das empresas: Profissional que saiba montar um foguete e já tenha pisado na lua por conta PRÓPRIA”.

E dai quanto entramos nessas empresas, de fato constatamos que existem pessoas normais, e até mesmo muito menos qualificadas que você. Muitas vezes em funções bitoladas, viciadas em apenas uma realidade.

Hoje ainda tento voltar ao mercado de TI, porem com maior vontade de sair e seguir outros rumos, se reinventar agregando as experiencias do passado. Quem sabe focar na criatividade com a criação de conteúdo de mídia ou até mesmo abrir um negocio, uma loja de produtos comercio,etc

Enfim, devemos seguir adiante o “keep going”. O mundo da voltas, as coisas se reinventam a vida recomeça e assim seguimos a vida. Boa sorte a todos !!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
35

Olá Marcelo,

É verdade, com a quantidade de pessoas disponíveis no mercado, as empresas estão exigindo cada vez mais e pagando menos.

Se você já se sente esgotado de TI, acho muito válida a ideia de buscar novos caminhos. Procurar aquilo que realmente lhe faça viver com sentido e felicidade.

O mercado das mídias digitais está bem aquecido e tem muito curso gratuito online que pode fazer e ir se preparando.

Desejo muito sucesso e fico na torcida.

Abraços.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">