Mudança de carreira – até quando é possível mudar?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Conheço muitos profissionais saturados de suas carreiras que almejam virar na curva da vida e recomeçar por outra estrada, mas sentem-se inseguros devido a idade ou ao longo tempo de carreira que possuem na profissão atual.

Antes de falar a minha opinião a respeito disto, quero comentar brevemente a história do meu pai.

Aos quarenta e sete anos, com apenas a quarta-série do antigo primário e dois anos de desemprego acumulados, ele percebeu que havia a necessidade de mudar e recomeçar. Meu pai contabilizava vinte e sete anos de carreira como balconista de farmácia e tinha tentado de tudo para retornar (e se manter) ao mercado: artesão, camelô, auxiliar de almoxarifado e nada dava certo. Sabe por quê? Porque o mercado exige o mínimo de escolaridade para oferecer condições básicas de remuneração e colocação, o famoso ensino médio, que trazem algumas oportunidades (bem poucas). Na realidade, a maioria das vagas no mercado exige o ensino superior completo como condição mínima de empregabilidade sólida no mercado brasileiro. Então, com quase cinquenta anos meu pai virou na curva rumo a uma nova estrada. Ele cursou supletivo, ingressou no curso técnico de massoterapia e terapias holísticas, em paralelo começou a faculdade de fisioterapia; após sua conclusão engrenou no curso de especialização em geriatria. Hoje, com quase sessenta anos ele tem uma nova carreira – admiração e reconhecimento são uma constante – e o seu sorriso e sua disposição diárias ao sair para o trabalho às 05h40min e retornar após as 23h não escondem que ele vive do seu propósito de vida. Empreendedor. Fisioterapeuta. Especialista em Geriatria. Massoterapeuta. Terapeuta holístico. Mentor. Essa foi a nova estrada que ele construiu com muito esforço, empenho e bom humor.

Retomando então para minha opinião sobre a questão que abriu o texto de hoje, acho que você já tem ideia do que eu penso sobre ter limite para mudar, certo?

tempo-estimativa-carreira

Para mim NÃO EXISTE LIMITE para você construir a vida que lhe fará feliz e dará propósito/sentido ao seu dia a dia (desde que você tenha saúde e disposição).

Vejo profissionais de 30, 35, 45 anos que tem mais de uma década de carreira que não se identificam mais naquele lugar onde estão e acham que já passou o tempo deles. Eu pergunto: “como assim, passou o tempo de ser feliz!?” – não, não existe esse tempo.

Há sempre uma nova chance de recomeçar, de cursar uma nova formação, de fazer aquele intercâmbio que sempre sonhou, de abandonar essa vida que já não lhe cabe e criar um novo chão a ser sedimentado por novas esperanças e novos desafios. Se você tem saúde e garra, tudo é possível, fácil nem sempre, mas possível sim.

Uma dica? Planeje-se. Busque orientação de especialistas para traçar o seu plano de ação e executar sem medo de falhar – afinal de contas, errar significa que você está tentando e aprendendo.

Não ache que o tempo passou. A reforma da previdência está aí para nos mostrar que o nosso tempo se prolongou. E uma vida para valer a pena ser vivida, requer que seja feita com propósito, com viço, esperança e aquele friozinho na barriga a cada novo obstáculo superado.

Você está pensando em mudar?
Não sabe por onde começar?

Deixe seu comentário e conte um pouco da sua história, quem sabe eu não possa lhe ajudar a dar o passo inicial dessa virada?

SUCESSO.
Coragem.

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Carolina Souza

Mais artigos deste autor »

Especialista em Gestão de Carreira Empresarial, em Gerenciamento de Projetos [PMP] e Engenharia de Requisitos [CPRE-FL] com 13 anos de vivência no mundo corporativo, atua como consultora, palestrante e mentora nas áreas de gestão, liderança, processos operacionais e desempenho de equipes. Colunista de revista e site especializados em TI. Autora do Blog Conversas Inteligentes, que aborda temas acerca do desenvolvimento humano.


15 Comentários

RODRIGO RODRIGUES SOARES
1

Muito bom o texto. Tenho 40 anos e estou enfrentando essa crise. Estou desempregado há 9 meses e várias dúvidas pairam.

Jonathan
2

Trabalho com TI, tenho 25 anos, cursei sistemas, conclui, mas nunca trabalhei na área. Trabalho com suporte, não me identifico com a área de TI, gosto mesmo de publicidade, tentei um coaching, mas não deu muito certo, não sei nem por onde começar rsrs…

Claudio P.
3

Ótima leitura. Tenho 22 anos e decidi mudar meu rumo em 2016. Após quase concluir o bacharelado em relações internacionais, mas sem qualquer emprego na área, e uns 5 anos dando aula de inglês, tomei uma das decisões mais importantes até hoje: larguei o curso, entrei de novo na federal para fazer Sistemas de Informação, me inscrevi numa EaD em Análise de Sistemas e este semestre deve ser meu último como professor; consegui uma bolsa para estudar um semestre de Engenharia Informática em Portugal. Dando tudo certo, embarco em agosto.
Foi uma decisão que me tomou tempo e alguns anos de curso que não valerão por eu não ter me formado. Mas tenho comigo que foi uma das decisões mais acertadas que fiz. Nada paga a felicidade e esperança que ela me trouxe.
Compartilho com vocês a frase que mais me ajudou a, de fato, embarcar nessa empreitada: “a dor do recomeço nunca será maior do que a dor do arrependimento”.

Fernanda
4

Olá. Muito bom o texto! Sou Administradora, 38 anos e trabalho numa empresa pública na minha área de formação, mas não me sinto realizada nem satisfeita. No momento estou pensando seriamente em fazer um curso de graduação na área de Informática / Desenvolvimento de Sistemas que me permita novas oportunidades de trabalho. Confesso que já pensei em mudar para diversas outras áreas, mas acabo sempre me questionando sobre o que me faria mais feliz e não consigo chegar a uma conclusão! Será que você pode me ajudar? :) Obrigada.

Roberson
5

Quero mesmo e mudar de país. Brasil tem milhões de desempregados, incluindo a mim e inumeras empresas fechadas. Agora, eu não vejo falar em crise la no congresso, onde para os parlamentares estão ganhando além do salário extraordinariamente alto, ainda ganham em propinas, subornos. Mas e aquela questão, comigo esta tudo ok, estou andando de carrão, jatinho, melhores restaurantes e lugares para passar férias, faculdade dos filhos particular, até mesmo no exterior. Eles pensam no umbido deles mesmo é a população brasileira morrendo a mingua sem os beneficios básicos oferecidos a elas, vemos ai na midia. País é violento, leis deterioradas, justiça amiga do bandido inclusive dos senhores de palito. Menores inflatores que comemtem crime deveria mofar na cadeia e não ser solto como se fosse um coitado. Se um policial mata um vagabundo, vem os direitos humanos que serve apenas para defender indigentes do que o cidadão de bem, gente bandido não precisa ser defendido não, quem precisa é o cidadão de bem, trabalhador honesto que faz de tudo para sustentar sua familia, sai de madrugada para trabalhar, paga seus impostos super faturados que tem no país e ainda não pode contar com serviço de qualidade bom, como sáude, educação, segurança.

Sei que fuji do assunto, mas queira ser mais realista e não viver em contos de fadas, se eu for mencionar aqui tudo de ruim que acontece no nosso dia a dia, dá um jornal de muitas paginas. É quanto a mudar de carreira, nem todos tem essa sorte, pois mesmo coma mudança da lei para se aposentar, ainda assim, tem o preconceito quanto a idade para entrar no mercado de trabalho. Isso é perceptivo.

Mencionei no começo sobre mudar, mas mudar de país. Bom, eu tentei deixar este país no momento em que vivemos, cheguei a tirar passport, mas nem isso foi possível, pois até para deixar país, tem suas burocracias. Custa super caro e ainda pode ter VISA reprovado.

Lhe pergunto, com esses 12 milhões ou mais que a midia menciona de desempregados, o que estas pessoas vão fazer quando ver sua familia passando necessidades, contas atrasadas ? roubar, saquear ?

País tem solução, primeiro é acabar com a mordomia desses politicos com altos salários e serem vigiados igual e na porcaria do BBB e ainda assim não é suficiente. Veja exemplos da Suécia, para mais detalhes dê uma lida neste exemplo de politicos que ão eleitos para servir e não para tirar dos eleitores que os colocam no poder.

http://g1.globo.com/pop-arte/blog/maquina-de-escrever/post/sem-corrupcao-nem-mordomias-os-politicos-suecos-sao-eleitos-para-servir.html

Luis Augusto
6

Muito boa sua visão. Acredito que a maior barreira é descobrir qual atividade profissional propicia afinidade. Muitas vezes, não descobrimos por apego ao emprego atual: é o medo de mudar. Eu mesmo só descobri quando me aposentei: mercado financeiro. Tenho o tempo livre para estudar essa matéria e nunca me canso com isso.

Robson
7

Eu to nessa situação….de não saber pra onde ir…..tenho 35 anos, trabalhei 8 anos como mo mecânico de refrigeração. Quando entrei na faculdade de análise de sistemas, meu sogro me chamou pra trabalhar com ele…..e já se vão 9 anos em que tenho registro numa coisa q nem sei o que eh, não consigo comprovar experiência na área e me, tenho tanto conhecimento assim, já que a faculdade não eh lá essas coisas ( sim, eu sei q uns 60% eh de culpa minha,porque é não ter me esforçado mais).
Mas, como brasileiro, desistir nunca……por mais difícil que seja, continuo tentando, mesmo porque agora a empresa não tá bem das pernas e as contas continuam chegando.
Ótimo texto, sua história me inspirou muito.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
8

Olá Rodrigo,

Nesse momento, quando estamos desalocados do mercado, é natural que vários questionamentos se apresentem. E isso não é ruim, pois, nos convida a refletir sobre o que realmente queremos em nossas vidas e a buscarmos aprofundar o nosso conhecimento sobre as escolhas que faremos a partir de agora.

Minha sugestão: continue produzindo, mesmo que de maneira independente (artigos no Pulse do seu perfil do Linkedin), participe de grupos do seu interesse no Linkedin, faça cursos online gratuitos e mantenha-se em movimento. A criatividade é um ótimo refúgio para os nossos medos e nossas inquietudes, foi a ela que recorri quando enfrentei um longo período desempregada.

Sucesso!
Siga em frente.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
9

Olá Jonathan,

Primeiramente, deixo um pedido: não desista do coaching.

Busque outro profissional e invista nesse processo de autoconhecimento porque é fundamental ampliar o conhecimento sobre si, seus valores, seu propósito, suas forças e a como mitigar os riscos mediantes as suas fraquezas. Tudo isso é empoderador para a mudança de área que você deseja (considerando que hoje atua com algo que não se identifica).

Minha dica: comece por retomar o coaching e busque uma vida com propósito.

O convido a ler o meu artigo:

https://www.profissionaisti.com.br/2015/11/sua-carreira-esta-alinhada-com-seu-proposito-de-vida/

Ali encontrará algumas perguntas que poderão lhe ajudar a retomar essa investigação acerca de si mesmo e suas escolhas futuras.

Sucesso!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
10

Olá Claudio,

Obrigada pelo comentário e por compartilhar conosco a sua história inspiradora de recomeço.

Eu adorei a frase! Fez muito sentido para mim e a partir de hoje está na coleção das minhas frases de empoderamento.

Acredito também que a dor do recomeçar é intensa, porém, é muito mais suportável do que a do arrependimento.

Estou por aqui, na torcida pelo seu sucesso nessa nova empreitada!

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
11

Olá Fernanda,

Obrigada pelo comentário.

Eu recomendo você a ler esse meu artigo:

https://www.profissionaisti.com.br/2015/11/sua-carreira-esta-alinhada-com-seu-proposito-de-vida/

Nele trago alguns questionamentos que poderão lhe ajudar a começar a se pensar e descobrir o que realmente importa para você. Uma vez que descobrimos o que nos move, passamos a ter mais clareza e motivação para buscar o nosso caminhar.

E esse outro:

https://www.profissionaisti.com.br/2015/05/carreira-falando-sobre-coaching/

Para que você possa entender um pouco melhor como o coaching talvez possa ser um caminho para lhe ajudar a descobrir o seu propósito.

A área de TI é interessante se considerar a empregabilidade, mas, como qualquer outra, se ela não for aquilo que lhe dará satisfação e sentimento de plenitude dificilmente resolverá a sua questão de atuar em algo que não traz cor a sua vida.

Desejo sorte na sua caminhada.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
12

Olá Roberson,

Obrigada pelo comentário.

Realmente vivemos em uma situação complicada no país. Mas, não acho que a mudança relatada no texto deve-se a sorte. Percebo muito mais relacionada com resiliência e perseverança.

Abraços.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
13

Olá Luis Augusto,

Obrigada pelo comentário.

O medo do desconhecido pode nos prender a uma situação de insatisfação e precisamos ficar atentos a isso para não perder a oportunidade de ter uma vida com propósito. Fico feliz que você tenha descoberto o seu e que continue investindo no autodesenvolvimento nessa nova fase da sua vida.

Sucesso.
Abraços.

Fabiano
15

Gostei muito do artigo, venho nestes 22 anos de carreira em T.I e desempregado só posso lhe dizer que tento de várias formas buscar uma (luz no fim do túnel), mas tenho muitas dificuldades em decidir qual caminho seguir.

Abs,

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">