Preciso de faculdade para trabalhar com T.I?

Neste artigo quero falar um pouco sobre um cenário comum em nossos dias na área de tecnologia. Graduar ou não graduar, eis a questão.

Se você quer trabalhar na área de tecnologia, você encontrará oportunidades mesmo não sendo graduado no ensino superior, você pode optar por cursos técnicos, ou aprender sozinho e mesmo assim entrar para o mercado.

Vale analisar o motivo pelo qual você não deseja iniciar uma faculdade e quais seus objetivos. É importante que você se autoconheça para não perder tempo por não fazer faculdade ou perder tempo fazendo uma. Minha intenção é fazer uma reflexão sobre um assunto que considero importante, pois, se trata do futuro da nossa vida profissional.

Iniciei na tecnologia fazendo cursos técnicos, duas vezes fiz manutenção de hardware, depois fiz redes e programação com VB.Net. Após decidir trabalhar com desenvolvimento de software, senti a necessidade de fazer um curso superior, por que senti que o que eu tinha aprendido não era o suficiente, porém, não queria demorar quatro anos numa faculdade, eu achava muito tempo. Foi então que pela primeira vez ouvi falar de cursos superiores de curta duração, os tecnólogos.

Logo fiquei entusiasmado, iniciei o curso e com apenas dois meses na faculdade consegui meu primeiro estágio. Quando iniciei a faculdade, a graduação era mais exigida do que hoje no mercado. Então, hoje não preciso mais de curso superior? Mais uma vez digo que você precisa se autoconhecer e se avaliar. De fato, na área de T.I há muitas vagas, mesmo para quem não tem curso superior. Vagas para programadores mobile, UX/UI Designers, Front-End, Back-End, Full-Stacks, até mesmo arquitetos de soluções sem curso superior eu vi, e bons profissionais. Isso não significa que as empresas estejam contratando “qualquer um“. É claro que vão exigir alguma experiência comprovada, e algumas dão o treinamento necessário.

Vale a pena ouvir e considerar o que dizem alguns especialistas de T.I sobre esse assunto. Seria esse o futuro de algumas áreas da tecnologia? Seria uma tendência o trabalho em T.I sem necessidade de ensino superior? A maioria dos entrevistados concorda que sim.

Lucas Longo foi o primeiro a trazer para o Brasil o curso de desenvolvimento iOS, fundador e CEO do iai? (Instituto de Artes Interativas), ele tem diversos artigos sobre o assunto e diz: não sei se é tendência, mas certamente é possível, mas exige muita dedicação e alguma forma de mentoria, ou direcionamento dos estudos.

Henrique Ribeiro foi professor universitário, coordenou toda a área de infra e sistemas da Rip Curl Brasil e hoje é sócio-diretor da ZAPTRADE. Ele acredita que realmente é uma tendência. “Sim. O ensino superior está bem depreciado, principalmente em cursos de tecnologia, logo cursos de curta duração e mais técnicos são muito mais eficazes.

Paula Lanza Macedo tem vasta experiência em contratação, é especialista em contratar profissionais de TI, com experiência em contratar para todo o Brasil e em projetos internacionais, pós graduada em Gestão de Negócios com Foco em Competências Comportamentais. Ela salienta que os profissionais de tecnologia são muito conhecidos por aprenderem “sozinhos” ou através de cursos rápidos/práticos e não cursos delongados e teóricos como faculdades. Muitos deles aprendem através de bootcamps, hackathons, meetups.. através de comunidades open source.

Conversamos com João Carlos Martins que é professor de pós-graduação e coordenador de cursos de tecnologia da UNIP, leciona em universidade a mais de dez anos, Mestre em Engenharia Mecânica, Consultor e auditor em sistemas de informação. Ele também está entre os que acham ser uma tendência, e diz que o diploma de ensino superior é complementar aos dias atuais.

Kelly Biazi é formada em Psicologia e pós-graduada pela Mackenzie em Avaliação Psicológica, possui ampla experiência em Recrutamento e Seleção de vagas de Tecnologia, e não concorda que seja tendência. “Não. Os hard’s skills como graduação, pós e principalmente certificações estão sendo cada vez mais exigidos”.

Há muito tempo o mercado de T.I tem se mantido aquecido. A demanda por profissionais é grande e isso é muito bom. Empresas tem buscado desesperadamente por bons profissionais para preencher as vagas e conseguir atender seus clientes. Diante desse cenário surgiu uma dúvida. Seria a alta demanda por profissionais de T.I e a necessidade de rápida contratação um fator que desvalorizou a faculdade reforçando a tendência de profissional sem graduação? É unânime entre os especialistas que as faculdades estão deixando a desejar quanto a sua evolução. Não acompanharam as demandas do mercado.

Kelly Biazi considera essa hipótese e Lucas afirma que não pensa que um seja a causa do outro, mas a desvalorização da faculdade se dá mais porque ela não consegue acompanhar a evolução da área de TI no material didático. A necessidade de profissionais pode ter estimulado o autodidata sim – mas tenho certeza que todo autodidata adoraria ter um professor ao lado para fazer perguntas de vez em quando. Nas palavras de Henrique, ele acredita que as faculdades é que estão aquém das demandas do mercado e isso acontece com as instituições de ensino, em geral. João Carlos diz não haver desvalorização e sim necessidades para crescimento futuro, ou seja, diferencial em relação aos demais.

Se realmente estiver se tornando uma realidade a não exigência por nível superior em alguns cargos na área de tecnologia, o mercado ganha com isso ou perde?

Do ponto de vista do Professor João Carlos o mercado ganha, pois, desvaloriza a mão de obra. Paga menos que pagaria a um profissional com ensino superior. Na visão de Henrique o mercado ganha desde que saiba contratar por competências técnicas e emocionais.

Bom… mas o foco é o profissional. Pode ser que exista algo de positivo para o mercado, mas e quanto ao profissional? Também seria vantajoso não possuir nível superior? Se considerarmos profissionais com o mesmo tempo de experiência no mercado, um profissional graduado oferece algo a mais do que um não graduado ou vice-versa? Faria diferença em sua carreira e evolução ou não?

João Carlos, Paula e Kelly possuem opiniões muito semelhantes. Paula responde que é claro que a graduação contribui para um profissional, não há dúvidas. Um profissional graduado geralmente tem um raciocínio mais estruturado, mais lógico.. sabe se comunicar melhor.. tem mais facilidade de resolver problemas complexos.

Segundo Kelly, um profissional graduado tem mais probabilidade de ter mindset de crescimento e João afirma que um graduado sem dúvida oferece mais, pois a teoria dá uma base melhor para as ações gerenciais. Henrique acredita que na área de Tecnologia um graduado não oferece algo a mais considerando mesmo tempo de experiência. Ele diz: “Contudo, tenho uma opinião relacionada á perfil de profissional, quanto mais a pessoa investe na sua capacitação seja em cursos técnicos ou administrativos expande o intelecto do profissional capacitando-o para assumir outras funções na empresa”.

Lucas Longo comenta que na área de programação não acha que um profissional graduado tenha muita vantagem sobre um outro após alguns anos de experiência – o que se formou poder ter uma base conceitual melhor, mas não significa que é um programador melhor. Agora, eu nunca contrataria um “engenheiro” sem graduação.

Os especialistas consideram ser necessário nível superior em cargos como supervisores, gerentes, diretores, cargos acima do nível pleno ou que tem algum tipo de órgão regulador. Dentre os entrevistados, a maioria não concorda que nível superior em T.I é mera formalidade, mas nem todos concordam e afirmam ser mera formalidade! Fetiche por “papel”, por um título!

É isso aí! Volto a dizer que você deve se autoconhecer e saber o que deseja para sua carreira, e acredito que sucesso está mais relacionado a um bom planejamento. Se deseja ingressar na área de tecnologia sem graduação há espaço, desde que comprove capacidade naquilo que vai fazer. E se você está indeciso e quer o conselho dos entrevistados, segue abaixo!

João Carlos Martins“Faça um curso superior de curta duração.”

Henrique Ribeiro: “Não faça! Procure cursos de curta duração, tanto técnicos quanto de gestão. Leia muito (porém diversifique sua leitura). A única exceção é se você deseja entrar em algum programa de Trainee de um banco, por exemplo, neste caso é mandatório.”

Paula Lanza: “Sugiro fazer o curso superior. A graduação ira contribuir com vários aspectos para a sua formação como profissional.”

Kelly Biazi: “Aconselho cursar graduação e focar em tirar certificações em nível fundamentos para iniciar e posteriormente em arquitetura.”

Lucas Longo: “Avalie o custo do curso superior e se há bolsas. Avalie se você se encaixa no perfil de autodidata – uma pessoa disciplinada, organizada, e dedicada. O curso superior te dá o caminho das pedras, a motivação para continuar, e as pessoas para perguntar e dialogar sobre o assunto.”

Bom… como eu disse no começo do artigo, no meu caso, eu achei necessário entrar numa faculdade para ir mais longe, eu me sinto mais seguro. Porém, conheço pessoas que mesmo sem nível superior tem capacidades técnicas, administrativas e um excelente mindset.

Minha opinião, é que se você deseja longevidade, tenha curso superior, e uma ótima opção são os de curta duração, são rápidos e mais diretos ao ponto. Em paralelo procure cursos técnicos, hoje na internet existem muitos gratuitos, e faça de acordo com sua disponibilidade.

colaboradores-artigo-faculdade-ti

Lucas Rodrigues

Mais artigos deste autor »

Analista Desenvolvedor Sênior formado em Análise e desenvolvimento de sistemas e atua como desenvolvedor Android.

Trabalhei em projetos com equipes de metodologia SCRUM e hoje estou focado no desenvolvimento de aplicações Android nativo.

Conheço java e kotlin, tenho conhecimento de Restul, serviços em segundo plano(background), GIT, MVC, MVVM, Clean Architecture, Firebase, bibliotecas do google, life cycle, material Design.

Hoje estou ampliando meus conhecimentos em testes automatizados e CI/CD.

Em minha experiência com desenvolvimento web trabalhei bastante tempo com PHP conheci frameworks CodeIgniter e Drupal.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">