XOps: apenas mais um termo da TI ou uma tendência?

Os rápidos avanços tecnológicos e o surgimento de ferramentas e infraestruturas baseadas em nuvem abriram espaço para uma abordagem mais integrada e automatizada das práticas desenvolvidas no segmento de tecnologia da Informação. O DevOps, por exemplo, é um termo que se popularizou nas companhias e impulsionou novos modelos de integrar operações com outros times de uma empresa. 

No entanto, várias outras metodologias nasceram a partir disso, como DataOps, BizOps, MLOps, AIOps, entre outras. Assim, como as corporações necessitam cada vez mais das vantagens proporcionadas pelos diferentes tipos de operações, um conceito fundamental para o desenvolvimento dos negócios é se tornar XOps. 

Neste artigo, veremos quais as funções de operações de XOps categorizadas em gerenciamento e governança em nuvem, além de analisar se esse conceito se tornará uma tendência como método operacional na TI. Continue lendo!

Como surgiu o XOps?

As ações de desenvolvimento ágil de programas estão em constante crescimento nos negócios há bastante tempo. Desde o início dos anos 2000, os gestores empresariais têm percebido que seus negócios necessitam ser mais ágeis com o intuito de se tornarem mais competitivos.

Enquanto isso, diversas equipes de desenvolvimento de softwares adotaram o DevOps, permitindo que eles possam, cada vez mais, avançarem ao aliar a integração com a entrega contínua que é capaz de automatizar atividades a fim de possibilitar um pipeline de ponta a ponta. 

Isso faz com que haja uma melhor visibilidade em todos a fluxos de processos, já que, por exemplo: DevOps, MLOps, DataOps e AIOps são metodologias multifuncionais com foco na otimização constante, eficiência e melhoria de processos.

Hoje em dia, com o aumento do trabalho remoto, times geograficamente distribuídos e a transformação digital incentiva que as empresas tenham que se adaptar a uma cultura de trabalho mais contemporânea e flexível. 

Quando se fala no setor de TI, há uma tendência de que seus profissionais trabalhem mais de forma remota por conta do surgimento de infraestruturas e ferramentas baseadas em nuvem. Sendo assim, as equipes distribuídas devem encontrar meios para otimizar a forma como atuam. 

Enfim, tudo isso pavimentou o caminho para XOps, um termo genérico que está sendo amplamente utilizado para descrever como as operações de negócios e as experiências do cliente podem ser otimizadas, possibilitando que ocorra uma melhor comunicação e colaboração de todos os envolvidos, ao mesmo tempo em que estimulam técnicas de automação para construir uma equipe de TI eficaz e competente. 

As corporações estão passando por uma grande transformação cultural, que se reduz a times de operações que utilizam funções claramente determinadas, comunicação transparente e funções integradas à nuvem.

Quais são as principais funções operacionais ligadas ao XOps?

O termo XOps foi formulado a partir de quatro operações principais em nuvem que podem se amplamente classificadas em duas categorias. Veja quais são elas a seguir. 

DevOps

Trata-se de um modelo que permite que o desenvolvimento e as operações de TI trabalhem simultaneamente em todo o ciclo de vida de desenvolvimento de um programa. Sua meta é reduzir o processo de desenvolvimento de aplicativos e, ao mesmo tempo, garantir a entrega contínua e de alta qualidade do software. 

Seu objetivo principal é construir um ambiente ágil de comunicação, colaboração e confiança entre as equipes de TI e proprietários de aplicações. 

SecOps

SecOps é o esforço mútuo entre a segurança e as operações de TI para integrar tecnologia e processos que reduzem os riscos, mantêm os dados seguros e aumentam a agilidade dos negócios. 

Conforme as operações de TI aumentam com a rápida inovação, as equipes de segurança devem se preocupar com a identificação de vulnerabilidades e problemas de conformidade. Se houver alguma invasão, as empresas correm o risco de perder clientes, além de manchar a imagem de sua marca. 

Assim, para que haja uma segurança mais efetiva, o processo SecOps deve integrar equipes de segurança e operações para proteger as operações de negócios corrigindo falhas ao mesmo tempo em que auxiliam a infraestrutura. 

FinOps

FinOps, uma abreviatura de Cloud Financial Management, é o conjunto das equipes de finanças e operações. Trata-se do procedimento de gerir operações financeiras ligando pessoas, processos e tecnologia. FinOps endossa uma estrutura segura para gerenciar despesas operacionais de negócios na nuvem. 

Essa metodologia traz flexibilidade nas operações, cria responsabilidades financeiras para os gastos variáveis da nuvem e ajuda no desenvolvimento de melhores ações para compreender melhor os custos da nuvem. 

CloudOps

CloudOps é o processo de identificação e de definição dos procedimentos operacionais corretos para melhorar os serviços de TI no ambiente de nuvem. Quando os aplicativos migram para a cloud, eles podem precisar de assistência para gerenciar todos os produtos e serviços existentes.

Portanto, as operações em nuvem é o resultado de DevOps e operações de TI tradicionais que permitem que plataformas, aplicativos e dados baseados em cloud se fortaleçam tecnicamente enquanto unem os processos e as pessoas que mantêm os serviços.

XOps é somente um termo de TI ou uma tendência?

Uma das razões para não buscar várias formas de operações é pelo fato de que elas contradizem as tendências da tecnologia. Geralmente, a especialização era considerada uma excelente opção, porém, de uma perspectiva mais moderna, as funções de TI estão se tornando cada vez mais complexas e as empresas esperam que seus colaboradores desempenhem diversas funções.

Na realidade, as equipes de TI modernas preferem a combinação de certas habilidades em vez de métodos comuns no setor. Ter as funções corretas é mais importante do que como elas são praticadas geralmente. Dessa forma, assim como o DevOps, o XOps é expressivo e importante para o setor de TI. 

Enfim, o XOps reforça a ideia de que diferentes equipes de desenvolvimento são multifuncionais e trabalham umas com as outras. Esse conceito se assimila com a adoção de princípios Agile em um ambiente DevOps, o que auxilia uma empresa a escalar e a produzir com maior eficiência. Essa infraestrutura pode ajudar os negócios a formalizarem processos em que já estão engajados a fim de otimizar a escalabilidade e a automação de seus fluxos de trabalho. 

Redação PTI

Mais artigos deste autor »

Portal dedicado ao compartilhamento de conteúdos relacionados a carreira em Tecnologia da Informação. Siga-nos nas redes sociais acima e acompanhe publicações diariamente :)


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">