Entendendo o básico do Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta que a Google disponibiliza e  que permite analisar o fluxo de acesso ao seu site. Através de um script que é gerado no cadastro, e que deve estar em todas as páginas dentro das tags <head></head> do site, são fornecidos dados diários que auxiliam no tratamento do perfil de acesso ao site. A partir desses dados é possível traçar um perfil dos seus usuários e também analisar as visitas quantitativa e qualitativamente.

A seguir trabalharei alguns aspectos que considero fundamentais sobre a ferramenta. Iniciaremos informações sobre o seu uso e faremos um estudo de caso em um perfil que a utiliza a mais tempo, para que possamos chegar a algumas conclusões e traçar uma análise simples de perfil de visitantes.

Entre no endereço: https://www.google.com/analytics/. Para acessar é necessário que você tenha cadastrado uma conta Google. Você usará o mesmo login e senha dessa conta. É possível criar perfis de vários sites. Quando você loga, é exibida uma página inicial, como a da imagem abaixo, lhe mostrando os sites(ou contas) disponíveis. Clique na conta desejada para que as informações sejam exibidas.

Ao acessar o link será exibido um gráfico com uma visão geral sobre quantidade de visitas diárias no período de 30 dias. Com esse gráfico podemos traçar uma média de visitas diárias e também observar picos e declínios de acesso. Esses extremos devem ser estudados para que o seu site atenda da melhor forma possível o público ao que é dirigido. Se no dia X você obteve um pico de acessos provenientes de fonte A, ou um grande número de visitas ao post B, pode ser interessante investir nesses dois tópicos!

É importante ainda entender que Visitas é diferente de Visualizações. Uma visita pode lhe gerar uma ou mais visualização. As visualizações contam o acesso a páginas ou postagens de seu site, enquanto a visita faz menção ao acesso do usuário, desde o momento em que esse entra em seu site, ao momento em que a última aba aberta pelo mesmo foi finalizada. Um usuário pode realizar mais de uma visita ao seu site; portanto o número de visitantes únicos está relacionado a esse número de visitantes.

É ainda importante ressaltar que qualidade é melhor que quantidade! Ou seja, o tempo médio em que um usuário passa em seu site é mais importante do que uma grande quantidade de acessos que não encontrará o que busca em seu endereço e abandonará a busca. A taxa de rejeição (ou bounce rate) é medida com base nesses aspectos. Sites bem posicionados mostram que essa taxa oscila entre 40 e 60%. Ou seja, se você se encontra nesse intervalo, provavelmente está atendendo bem o seu público. Agora caso esse número suba a 75% ou mais, é bom tomar cuidado: Seus visitantes não estão gostando do que estão encontrando!

Tutorial Google Analytics

Na figura acima podemos ver que o site tem uma média de 250 visitas diárias e que nos fins de semana a quantidade de acessos tende a diminuir. Assim, pode ser mais interessante investir em conteúdo durante a semana do que em um sábado, por exemplo.

Logo abaixo desse gráfico há uma série de links que lhe mostrarão dados de acesso separados por área específicas (como o sistema operacional do usuário, seu navegador e território). Não tenha medo de explorar todos esses links e pensar em estratégias que possam aproximar o seu público do que você faz! Em muitos casos é possível adaptar melhor até o layout e design de acordo com o perfil de acesso – Se o seu site tem muitas visitas pelo Internet Explorer, por exemplo, não é viável trabalhar com tecnologias como jQuery e HTML5, que apesar de atuais e fornecerem belos efeitos visuais, nem sempre são compatíveis com esse navegador.

No menu lateral temos um gráfico com a Visão Geral das fontes de tráfego, ou seja, de onde vem os acessos antes de chegarem até você. Esse é um dos pontos principais, na minha opinião. Uma grande porcentagem de tráfego direto indica que grande parte dos seus acessos é fiel, ou seja, digita diretamente o endereço do site na barra de navegação. O tráfego de pesquisa está relacionado aos links que chegaram até você através de mecanismos de busca – como o Google. Analise as palavras-chave que foram pesquisadas juntamente com a taxa de rejeição de cada uma. Assim você verá sobre quais assuntos deverá investir e quais não lhe rendem tanta visualização assim. Através do Tráfego de Referência você poderá analisar quais são os sites que estão diretamente ligados a você e que lhe renderam visitas. Dessa forma é possível fechar parcerias que realmente dão certo e ainda trabalhar com as redes sociais como Facebook e Twitter, já que podemos analisar fontes de acesso provenientes também dessas redes.

Tutorial Google Analytics

Bom, basicamente é isso. Mas realmente, basicamente! O Analytics é uma ferramenta fantástica que cumpre muito bem o seu papel e tem um leque de configurações que podem ser exploradas. Fuce bastante e encontrará resultados incríveis para o seu negócio!

Postado originalmente em Eu Faço Programas

Gabii Fonseca

Mais artigos deste autor »

Gabriella Fonseca Ribeiro tem 21 anos e cursa Sistemas de Informação. Trabalha com desenvolvimento, pesquisa e otimização de websites - SEO, marketing digital, redes sociais e comunicação interativa. || www.eufacoprogramas.com

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!


+ 5 = catorze

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>