FBI pretende violar legalmente a privacidade de internautas do mundo inteiro

O FBI exige o acesso ilimitado ao Facebook, ao Skype e às mensagens instantâneas que trocamos na web. O que pouca gente sabe é que o governo americano vem pressionando diversas empresas de internet nos últimos meses para forçarem as mesmas a apoiarem uma proposta que, basicamente, retalha a privacidade dos bilhões de internautas no mundo inteiro. De acordo com a CNET, empresas que estão no topo, como o Google e Yahoo, têm sido muito pressionadas pelo FBI para oferecer “backdoors” à vigilância do governo dos Estados Unidos.

Recentemente a Microsoft, o Facebook e outras empresas se reuniram de forma discreta para discutirem uma proposta legislativa, elaborada evidentemente pelo FBI, a qual exigia que sites de redes sociais eVOIP, prestadores de mensagens instantâneas e e-mails alterassem, seu código para tornar seus produtos possíveis de serem legalmente monitoradas pelo governo.

O FBI já se queixou várias vezes ao congresso sobre a dificuldade de fazer uma vigilância de escuta eficaz desde que as comunicações deixaram de usar serviços telefônicos tradicionais e adotaram produtos oferecidos por empresas de serviços on-line. Sob uma lei (chamada CALEA) aprovada em 1994, os provedores seriam obrigadas a cooperar com o FBI, disponibilizando os dados dos usuários, assim como as mensagens enviadas. Mas a lei é especificamente para faculdades e provedores, incluindo os de banda larga como o ISPs, o que não inclui as empresas da web. Agora, a Comissão Federal de Comunicações (Federal Communications Commission) pretende reinterpretar os artigos da CALEA para exigir que produtos tais como, Skype, XBox e outros, tenham uma porta secreta que permita a vigilância irrestrita do FBI.

Não é a primeira vez que este tipo de pedido acontece. Em meados de 2010, o FBI exigiu o monitoramento em sistemas de comunicação codificados e, embora não tenha conseguido o apoio necessário, toda essa história causou uma grande polêmica na mídia. No começo deste ano parlamentares americanos também exigiram que o governo monitorasse mais de perto o Twitter, o Facebook, o Google+ e outros serviços do gênero.

Para mim, a grande questão de toda essa discussão vai além da segurança nacional dos Estados Unidos e atinge um direito essencial a todos nós: o da privacidade!

O que acham sobre o assunto?

Com informações de Wired


3 Comentários

Will
1

Sei. Grande. Eles abrem uma brecha e o pessoal vai começar a se tornar mais cauteloso. Os programas de esteganografia e encriptação vão passar a fazer mais sucesso. O pessoal vai começar a usar meios de não terem sua privacidade garantida. Sem contar que o povo dos USA são os maiores defensores da privacidade. E nunca vão aceitar isso.

m1n3ro
3

Quem vê pensa. Ia ser ótimo esses “backdoors” caindo na mão de especialistas. Ai quem teria a privacidade violada seriam os poderosos.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

*

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>