O Técnico em Informática e a Ética Profissional

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Mesmo com a maioria dos profissionais de TI associando esse termo àqueles que possuem uma graduação ou uma certificação, não podemos nos esquecer de que o técnico em informática, que por muitas vezes é criticado e tido como um mero formatador sem um conhecimento sólido e mais aguçado, também é um profissional do campo da tecnologia da informação e, portanto, deve ser respeitado.

Muito da má fama que esse profissional recebe advém da má qualidade dos cursos técnicos que, não raras vezes, ensinam os conteúdos apenas de forma superficial e de maneira incompleta, bem como do próprio profissional que, por geralmente ser jovem e lidar com um campo de trabalho relativamente mais novo do que os mais “clássicos” – como Mecânica, Eletrônica ou Engenharia -, não está preparado para o famigerado mercado de trabalho, não sabendo como se vestir ou se portar na empresa ou diante de um cliente.

tecnico-informatica-etica-profissional

Este artigo é inteiramente dedicado a esse profissional tão essencial à vida de milhares de usuários finais. Aqui, coloco algumas dicas sobre éticacomportamento que, se seguidas, ajudarão esse trabalhador a progredir em sua carreira. Aos que tem formação superior, peço consideração e auxílio para os que estão começando.

O Técnico em Informática deve sempre atualizar-se sobre o assunto

Conforme já foi dito, muitos cursinhos técnicos de informática não possuem um nível aceitável de qualidade no tocante ao conteúdo ensinado. Pior ainda, não são todas as universidades que possuem um curso de Licenciatura em Informática o que, muitas vezes, faz com que o professor tenha uma formação de cientista ou de engenheiro – ou, até mesmo, de técnico – e não tenha base curricular para lecionar.

É fato conhecido de que todas as profissões – médico, engenheiro, arquiteto, professor – precisam se atualizar constantemente e, para quem lida com um campo tão dinâmico quanto a informática, essa exigência possui um peso maior, afinal, o que você aprendeu hoje em seu curso pode não valer mais no mês que vem.

O técnico em informática não deve considerar suficiente apenas o que aprende em sala de aula: deve pesquisar constantemente em fóruns, em livros e em sites especializados para nunca ficar para trás.

O Técnico em Informática deve cuidar da sua aparência profissional

Por ser um campo de trabalho relativamente recente, muitos profissionais e empresas de informática trabalham em um ambiente informal, o que de certa maneira é bom, mas que, se exagerado, pode causar uma péssima impressão para o cliente.

Apenas para citar um exemplo, semana passada eu passei em frente a uma empresa que vendia antenas de TV por assinatura de uma famosa marca nacional em minha cidade. Os trabalhadores da empresa, devidamente uniformizados, estavam colocando caixas em um veículo e, perto deles, um carro adesivado com o logotipo da operadora estava com o rádio no último volume tocando um funk com letra de duplo sentido. Mesmo que esse fosse o estilo musical preferido daqueles funcionários, eles involuntariamente associaram uma marca nacional a um estilo de música que nem todos gostam, o que poderia fazer com que alguns potenciais clientes que estivessem passando pelo local procurassem um serviço concorrente.

Com o técnico ou a empresa de informática, é a mesma coisa – principalmente se o trabalho for a domicílio. Como profissional, evite trabalhar usando boné, bermuda, corrente, física ou regata, pois isso poderá causar uma má impressão. Se possível, vista uma roupa social e trate seu cliente com cortesia. Caso a empresa dispense formalidades, pergunte ao seu empregador quais seriam os trajes adequados.

Formatação e pirataria

Esse é, talvez, o ponto mais polêmico do trabalho do técnico em informática. Ambas as questões são bastante delicadas.

Por um lado, profissionais de formação acadêmica acusam os técnicos em informática de serem reles formatadores, recorrendo à medida extrema, muitas vezes de forma incorreta e precipitada, a fim de resolver quaisquer problemas, de uma infecção por vírus até uma mensagem de erro misteriosa. Por outro, devemos nos colocar no lugar desse profissional. Mesmo sabendo que, hoje, existem ferramentas apropriadas para detectar e remover infecções, como HijackThis! e ComboFix, precisamos considerar que, muitas vezes, o empregador entrega ao técnico uma grande quantidade de máquinas com diversos problemas para serem resolvidos até o final do expediente e, dessa forma, o técnico fica sem tempo para pesquisar uma solução mais adequada aos problemas apresentados, recorrendo à extrema medida.

Isso poderia ser resolvido com capacitação profissional e recai sobre o primeiro item dessa lista, o qual diz que o técnico deve sempre procurar se atualizar.

A falta de atualização é, também, uma das grandes responsáveis pela pirataria de software, a qual parece rolar solta nas oficinas de manutenção. Muitos técnicos, ao receberem um micro para formatar, logo tratam de enfiar o CD do Windows Ultimate no drive e excluir tudo que exista no disco. A maioria não deve saber que os computadores atuais possuem partições de recuperação, as quais permitem reinstalar o sistema original de fábrica em poucos minutos mediante o pressionar de uma combinação de teclas durante o boot, sem a necessidade de discos ou de drivers adicionais. A partição de recuperação deve ser o método de formatação preferido, a menos que o cliente tenha solicitado a mudança do sistema operacional.

Quando o cliente solicita a mudança ou a instalação do sistema operacional, caímos em um ponto delicado pois, como todos nós sabemos, o Windows é um sistema caro e, embora existam versões mais em conta para usuários domésticos, como a Home Premium, muitos simplesmente as ignoram, procurando instalar logo a famigerada versão Ultimate, pensando que ela seja a melhor, mesmo que o usuário não aproveite sequer um décimo dos recursos oferecidos.

Pirataria de software é crime tanto para quem instala quanto para quem usa. O técnico ou a loja devem ter uma política clara quanto a isso e conscientizar os clientes sobre alternativas disponíveis como, por exemplo, sistemas baseados em Linux.

Zelar pelos dados do cliente

O Técnico em Informática não está autorizado a, de qualquer forma, acessar, copiar, visualizar ou excluir os dados do equipamento do cliente. Esse é um princípio básico mas que, muitas vezes, passa batido por várias lojas e profissionais.

Foi-se o tempo em que o computador era apenas um eletroeletrônico comum; Hoje em dia, principalmente com a ascensão dos notebooks e demais equipamentos portáteis, eles se tornaram uma extensão de nossas vidas pessoal e profissional. Graças aos HDs cada vez maiores, médicos podem armazenar prontuários e receitas em seus notebooks, assim como professores podem guardar provas e conceitos, advogados podem colocar arquivos com processos civis e criminais ou uma simples família coloque fotos de seu final de semana na praia. Tudo isso agrega valor ao equipamento, fazendo-o valer muito mais do que o preço pelo qual ele foi comprado.

Músicas, filmes, documentos, fotos, programas originais… o técnico não pode tomar para si o que é do cliente. Por mais que sejamos humanos, passíveis ao erro, devemos tratar os dados do computador do cliente com o máximo de respeito e profissionalismo. Recentemente a prática de apoderar-se e compartilhar informações sem permissão virou crime com “duras penalizações”, portanto, um motivo a mais para manter a integridade das informações de clientes.

Da mesma forma, o profissional ou a empresa deve ter uma política clara de backup. No caso de o disco rígido precisar ser formatado, o que vai acontecer com os arquivos pessoais? A loja vai gravá-los em outra mídia e entregá-la ao cliente? Ela vai armazená-la em outro dispositivo e, depois recolocá-los em seu lugar original? O que vai acontecer com esse dispositivo? Ou será que o backup é de responsabilidade do cliente e a loja não quer nem saber? São questões a se pensar bem.

O Técnico em Informática não deve agir de má-fé

É sabido que a maioria dos usuários mal sabe ligar o computador – e é justamente por isso que eles recorrem ao técnico em informática quando tem problemas. Infelizmente, porém, muitos técnicos se aproveitam desse fato conhecido para extorquir dinheiro de seus clientes de maneira fraudulenta. São defeitos que não existem, peças trocadas que não precisavam ser substituídas ou, até mesmo, a criação proposital de “bombas relógio”, ou seja, a plantação de um problema que vai acontecer em determinado tempo para que o cliente retorne àquela assistência.

Um bom profissional trata o cliente com respeito, seja qual área for. Jamais deve-se aproveitar da ignorância do cliente para lhe empurrar um produto ou serviço desnecessário e sempre deve-se consultar o dono do equipamento antes de instalar ou remover qualquer peça ou programa.

Enfim, esse artigo não tem por intenção esgotar o assunto ética profissional, mas servir de guia básico àqueles que escolheram a computação como sua opção de vida. Bem-vindo ao time!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

35 Comentários

Paulo
1

Gostei do texto, fiz curso técnico em escola estadual e acredito q a grade é muito boa sim mas é como vc disse; é mais introdução, os técnicos na verdade são meio “generalistas”; sabem um pouco de tudo e qdo seguem o q vc disse no texto certamente terão sucesso. Estou parado há 6 meses, trabalhei por 2 anos em uma loja e estou ainda pensando se tenho a minha própria assitencia. Tenho um pouco de medo, mas não sei de que…rs alguma dica?

Anderson Franco dos Santos
2

Eu também tinha vontade de montar uma assistência, mas acho que a profissão de Técnico em Informática está muito desvalorizada, acho que culpa disso é que várias pessoas saem para o mercado muito cruas, sem saber o que fazer, e geralmente são sim meros formatadores de computadores. Prejudicando assim, os que se dedicam a área e gostam do que fazem.
Trabalho como Técnico há pelo menos 10 anos, por que gosto de Hardware, mas o que vejo é que hoje praticamente qualquer um monta um micro.
Acho que o lance é se especializar e ir para áreas maiores por o mercado Técnico está saturado!

leonel
4

Pretendo abrir a minha propria técnica e esse dias um dono de uma loja de mantenção e venda de peças de microcomputadores me chamou para trabalhar, o que vou dizer aqui vai contra a etica e a moral.
o senhor disse que pagaria 700 reais por mês (risos), então fiquei o 1º dia e vi muita coisa errada windows xp modificado o que já está mais que provado que causa lentidão, e o cliente se vera obrigado a voltar com 3 ou 4 meses depois, não voltei mais pelo salario.
agora referente a pirataria é uma faca de 2 gumes, de um lado sua etica, do outro a vontade do cliente ter o seu windows de graça e mais serio ainda se você instala uma distro gratuita você é tratado como desonesto aos olhosa do leigo cliente, pior ainda se você não faz os “teco” fazem. ai fica a pergunta, você passaria fome se fosse em nome da etica?
outra questão façamos um orçamento de uma simples formatação de u m PC novo~com uma ditro gratuita que chega até você com o cliente lhe pedindo para formatar e colocar o windows, vamos a somatoria, supondo que você cobre 50 por formatar e instalar windows:
windows 100% confiavel e legitimo lá se vão 300 reais, office mais uns 150 e ai como fica relação tecnico e cliente? com esse preço extorsivo, que aos olhos do cliente é você que está roubando ele .

Ruth
5

Gostei deste artigo. Estou começando um curso de Técnico em Informática e a primeira coisa que os professores disseram foi sobre isso mesmo. Enquanto eu lia, lembrei de tudo o que eles falaram. Ótimo artigo. Sempre que posso, dou uma passadinha por aqui. :)

Jomar
6

Ola amigos. A verdade e que eu costumo dizer, eu estou sempre me pondo a frente de meus problemas, 90% dos meus clientes voltam depois de um tempo a pedir o meu serviço pois alguns formatadores fizeram algum tipo de (merda) e que cobro de acordo com o que eu acho que vale o que eu faço, ou seja dependendo a região 60 a 80 reais, estudo muito lendo sempre e como disse me antecipando ao problema. Logico que deixo tudo bem claro aos meus clientes, transparência é muito bem vista pelos meus clientes. Tenho que dar meu parabéns pela matéria. Quando nem sempre a internet ou blogs vão te dar a resposta de um problema, então eu corro atras das minhas soluções OFF-LINE, e isso infelizmente não posso compartilhar essas informações com ninguém pois esse é o meu diferencial diante de tantos ( formatadores). E o exemplo que coloco, se você é um taxitas e empresta seu carro pra alguém ir a algum lugar, você vai deixar de ganhar dinheiro e sua família depende muito de você, então não dá pra fazer certos tipos de favores.

John Cley
7

Sou técnico em informática, e tive como base na empresa aonde trabalhei que FORMATAÇÃO SÓ EM ÚLTIMOS CASOS, sem falar da rigorosa politica de Backup.
Com isso aprendi muito e continuo aprendendo até hoje mesmo sem graduação ou certificação.

Demetrius Gonçalves
8

Ótima matéria. Realmente concordo com tudo que você explicou e me esforço para fazer exatamente isso, aprender mais, se vestir bem e ser honesto. Parabéns. Com sua permissão vou postar no meu Facebook, Twitter e Blogger. Valeu.

Wagner Arestides
9

Eu sempre esbarro em problemas como soluções erradas apresentadas por outros “técnicos” que empurram para o cliente uma instalação do Windows pirata seguido de seu crack. Eu sempre alerto que além de ilegal a instalação de um software pirata pois a segurança do cliente será fatalmente afetada ao instalar um crack para liberar ilegalmente um software proprietário. Geralmente estes cracks se instalam no sistema abrindo portas, se apossando de toda a parte administrativa do sistema e enviando informações para o cracker que criou esse software malicioso. Por isso sempre informo da necessidade de se pagar pela licença do Windows e demais softwares proprietários para que se evite quaisquer transtornos futuros. Quando fica encarecido o pagamento da licença de tais software eu sempre indico uma alternativa gratuita e livre com os softwares de código aberto como exemplo as distribuições Linux. Tem cliente meu que opta por essa solução mas tem clientes que insistem em usar o Windows mas só que licenciado. Até agora não houve um cliente meu que optasse por usar ilegalmente um software. Um outro problema que enfrento é a das instalações de softwares spywares invasivos que sequestram o navegador, impedindo que você consiga usar normalmente o mesmo. É quase que inevitável que isso ocorra a medida que o cliente não é nem o mínimo cauteloso e pra piorar a situação outras pessoas incautas ainda utilizam o computador. Muitas vezes me chamam pra resolver um problema que outro “técnico” ajudou a atrapalhar que desfez o meu trabalho anterior e inviabilizando qualquer garantia do serviço que fiz. Mas dou os meus parabéns ao André Machado por essa matéria tão completa e abrangente sobre a área do profissional de TI de infraestrutura. Recomendo a leitura de todos os técnicos que estão começando e os mais experientes também. ;-)

Vagnerlandio Nunes
10

Muito bom o texto, falando de minha pessoa. De 100 computadores que peguei 10 eu formatei usando o sistema de recuperação e os outros foi usando meu conhecimento para remover os virus e que muitas vezes era só um probleminha que deixava o PC lento eu ia e corrigia, já os outros na minha cidade sempre dizia que tinha que formatar, uso o Windows 7 a mais de um ano sem formatar ele, e o melhor antivirus que tenho aqui sou eu mesmo (E o Microsoft ES)

Tialisson
11

Olá! Estava lendo a matéria “O Técnico em Informática e a Ética Profissional” dai achei interessante mencionarem que pode-se reinstalar o Windows sem discos, apenas com a partição de recuperação que já vem no sistema. Teria como vocês publicarem uma matéria ensinando esse processo?

Obrigado!

glailson de sousa pereira nogueira
12

Tudo isso descrito no artigo e muito mais os alunos do curso Técnico de Informática do Cepep nem sonham que existem.A pirataria rola solta lá e de forma descarada, o conteúdo do curso é extremamente pobre e ética anda longe.

Marcio
13

O grande problema hoje é o valor dos serviços prestados, a concorrência fez com que muitos colocassem o valor muito abaixo, e tudo que não tem valor logicamente acaba desvalorizado até a profissão, as pessoas tem que dar mais valor a suas profissões, tá que o problema era uma simples pilha na Placa mãe, ou um correção no sistema por falha de inicialização etc, mais tem que se estudar para saber isso, e não é porque levou 5 minutos para fazer que pode-se comprar pouco, nós trabalhamos por valores consideráveis a nossas profissões e não por gorjetas, eu garanto meu trabalho e quero receber bem por ele.

Leandro
14

Considero um bom texto, só julgo que deveria ter mais cuidado quando fala de ferramentas, principalmente o ComboFix. Muita gente julga q é uma ferramenta de remoção de vírus e acaba danificando todo o sistema.

Edison
15

Olá,pessoal muito bom o texto mesmo gostei muito!! Fiz um curso de montagem e manutenção em computadores. Mais é como os amigos ai falarão no texto e nos comentários, muitas escolas que dão curso de montagem e até mesmo de informática tem o belo costume de dar os conteúdos tudo pela metade….Hoje eu confesso que eu estou aprendendo mais na internet ,vendo video,forums, video aulas, do que frequentando aulas mesmo. pessoas que levarão seus pcs em lojas especializadas em manutenção estão me procurando hoje pelo belo trabalho que estou fazendo semple valorizando o cliente. ai esta uma prova que com força e vontade agente consegue.
valeu ai galera! um forte abraço

Marcos
16

bom sou técnico formado ha 1 maios ou menos, atualmente leciono aulas de informática para iniciantes e até mesmo pessoas que querem um conhecimento a mais em seu curriculo, posso garantir que meu curso técnico deixou muito a desejar, mais como todo bom brasileiro sou persistente e busquei por conta própria mais conteudos, através de livros, sites e foruns, digo para os meus alunos que eles não devem parar somente no curso básico, devem procurar sempre mais…o artigo em si é muito bom e tem uma explicação ampla do que o mercado de trabalho para técnicos em informática..Parabéns…ganhou mais um seguidor no site…

Gilson de souza
17

Fazemos o curso e nos formamos, la fora nada do que vimos iremos usar, pois os problemas e dificuldades muitas vezes são outros. Não depende muito da qualidade do curso técnico que é feito e sim de cada aluno que tem a disponibilidade de aprender e se aperfeiçoar. O curso nos coloca nos trilhos do caminho da profissão que escolhemos, fica a critério de cada um, pois as atualizações não param a cada segundo há um novo software sendo criado desenvolvido e devemos estar preparados a entender e se aperfeiçoar nas novas atualizações.

marcos
18

Só elogios a essa publicação parabens por outro lado gostaria saber onde tem cursos de atualização
para essa area tão importante como todas as areas são importante.

Toivo Gomes
19

Creio que com esse texto, o autor mudará mente e tornará muitos I.T em sério profissionais. Parabéns e valeu a partilha.

Dinho
20

Esse texto para mim é feito apenas para técnico iniciante,na verdade a formação técnica não tem uma padronização,na verdade não tem nada com isso aí que o autor do texto falou (Formatação),infelizmente tem cursinhos de informática com 3 módulos fazem formação de técnicos em informática…,oque ocorre é que na formação séria,colocaria aí… as escolas públicas técnicas que dão uma base, muito forte sim!…,tanto é que se pegar qualquer graduando no 5º ou 6º período de faculdade,ainda nem sabem programar,pois viveram apenas a parte teórica e matemática da área e é ridículo escutar um grupinho da UFRJ,UERJ e Estácio e entre outras faculdades, vislumbrando em ter feito uma macro em excel e achando que o mercado está pagando R$16000 para profissionais que apenas fazem isso(fora da realidade)….,aff,eu como técnico me contive de falar algo e sinceramente,nível superior só te dá base depois que o cara rala muitos anos e convive com gente da área,maioria de graduandos são meus subordinados,sou técnico em informática e assumo cargo de chefia,não faço diferença entre eles,mas com certeza técnicos trazem uma bagagem maior do que graduandos,por isso eu prezo mais em dar serviços a esse pessoal do que os próprios técnicos …

Gabriel
21

Adorei o texto e concordo totalmente com suas palavras! Apenas acho que a profissão de técnicos em TI, sejam eles, informática, informática p/ internet, redes e manutenção estão desvalorizados, pois existem muitas pessoas exercendo um cargo de técnico sem ao menos ter o diploma do verdadeiro técnico, o que estuda 3 ou 4 semestres para adquirir uma profissão antes da graduação.
No momento estou no 2º semestre de Técnico em Informática para Internet e já consigo perceber o quanto estamos desvalorizados pelo cargo ”técnico”, e na verdade, temos um conhecimento que pode até ultrapassar os superiores.

Alex
23

É graças aos “formatadores” que ser tecnico em informatica não se tem valor quando se procura um novo emprego e apenas encontramos como oferta salários ridiculos.

Júlio C.
24

Não trabalho com suporte mas percebi claramente que os diversos pontos tocados no texto se aplicam à minha área de atuação. Mas há um agravante: se o usuário mal sabe ligar um computador, que dirá o que é um sistema de gestão? E é aí que entram diversos picaretas aproveitadores. Já conheci pessoas que sequer sabiam fazer um If..Else vendendo sistemas porcos e cobrando um valor muito alto por isso e, pior ainda, sem resolver em absolutamente nada o problema do cliente. Como programador fico extremamente enfurecido ao saber que exista essa corja solta por aí praticamente assaltando clientes leigos.

Sei que muitos não concordam com isso, mas deveria existir algum órgão responsável por verificar a idoneidade e qualidade de alguns prestadores de serviço em T.I . Mas, claro, isso não convém ao nosso querido governo. Para te processar por sonegação de imposto é rapidinho, mas para brecarem os safados que causam prejuízos financeiros aos seus clientes ninguém está nem aí.

Carlos Gonçalves.
25

Tópico interessante, lembro de ter pago cadeira de ética da informação ( na Graduação), e um dos principais problemas que percebo na area de tecnologia, é o respeito do próprio profissional de TI com outro da mesma área, se observarmos, isso não acontece com quem é do ramo de direito, engenharia ou medicina, e por que? Por conta de um Organização reguladora, que infelizmente ainda não temos ( digo no estilo OAB, CREA), isso seria um verdadeiro “peneirão”. É um ramo, que exige muito, e na maioria das vezes pagasse pouco. Mas isso não quer dizer que devemos prostituir esse ramo. Outra coisa, lembre-se que nunca sabemos de tudo, o respeito pelo profissional de TI, tem que partir dos próprios profissionais, isso é Ética!

WASHINGTON
26

Trabalho com assistência há mais de 8 anos, comecei com celular e depois parti para a informática,
hoje sou formado em Redes de Computadores, sou eletricista há mais de 20 anos, comecei com a informática num curso de 60 horas no Senac-Go, depois fiz um curso no Senai-To de 160 horas de instalação e manutenção em redes de computadores, isso foi só o começo, sempre busquei aprimorar meus conhecimentos e desenvolver meu trabalho com eficiência e qualidade, hoje tenho minha assistência técnica, trabalho em casa mesmo, tenho outros cursos na área. Muitos técnicos se limitam a um tipo de trabalho digamos mais facilitado, e isso o torna com dito um mero formatador. Não me julgo como o melhor, mas sim como uma pessoa que procura aprender e ensinar tudo que sei. Como podem ver meus conhecimentos estão interligados a uma sequência de profissões, uma depende da outra.

marcio
27

nossa,é muito bom saber que têm profissionais praticando essa ética, pois sei que muitos colegas de profissão não pensão assim.
valeu pelo texto amigo……

Marcos E. Rocha
28

A questão é a seguinte: No Brasil o profissional de TI hoje é o profissional número 1 nas corporações, e as vezes é tratado como lixo. Sem ele nenhuma empresa consegue rodar, mas insistem em maltratar esse profissional. Mas vamos ponderar alguns pontos: para que as coisas estejam como estão, existe culpa de todos os lados, a começar pelo próprio profissional que se prostitui até chegar no governo que nunca regulamenta a atividade. Está quase regulamentando a profissão de diarista e o setor de TI nem cogita tal hipótese. Nós os profissionais de TI temos acesso livre desde a portaria até a sala da presidência de uma empresa. Só por esta, já é um super motivo para a rápida regulamentação da atividade. Sou técnico em eletrônica de formação, com regulamentação no CREA a 23 anos e atuo no setor de informática a 22, e em todo esse período escuto a mesma coisa. Uma outra questão que com certeza daria maior valor e aumentaria os ganhos para a classe seria se houvesse uma verdadeira cruzada contra a pirataria. Entendo que a parte mais cara de um sistema de informatica está no software. Se um cliente ou mesmo um projeto de técnico tivesse noção da complexidade que é fazer um programa, teria pavor da pirataria. O cliente só não pirateia a máquina porque ainda não tem como porque senão o faria. Se todos comprasse os softwares, o mercado teria um volume de negócios umas quatro vezes maior e todos os profissionais estaria com 50% da questão ética resolvida. Outra coisa que se falou muito foi com relação ao tempo dos cursos técnicos, de conteúdo resumido; o que tenho a dizer sobre é o seguinte. Atuei como professor de cursos no setor durante 12 anos, e posso dizer com todas as letras.. curso de conteúdo extendido que permite qualificar de forma correta o cidadão, não vende. As pessoas querem cursinhos rápidos, ou seja, querem apenas uma chave de venda e aprender abrir e fechar um gabinete e sair falando que já é técnico. Quando eu como professor apertava a turma para aprender, simplesmente o aluno abandonava o curso, e ou muitos nem matriculava. Não culpo as escola por oferecer cursos rápidos. Culpo o aluno em não procurar escola com carga horária maior e de conteúdo de peso. Mas se o cara quer ser o melhor, escola pra isso tem, e se quer fazer parte da lista de prostituto sem valor, também tem escolas para isso… E na relação escola/aluno, neste campo, o mais errado é o aluno assim como na esfera das assistência, o mais errado é o cliente que força os profissionais a serem ati-éticos em aceitar profissionais despreparado e biscar prataria para não pagar o valor devido. Pontos de reflexão…..

Jonas Teixeira
30

Bom dia,

Gostaria de saber qual é o preço médio justo para formatar um computador/notebook. Já vi valores entre R$ 40,00 e até R$100,00. Qual seria o preço justo e bem remunerado por essa tarefa?

Tiago B.
31

Eu entrei neste ramo a pouco tempo, apenas com conhecimentos adquiridos por mim mesmo, a cada dia que passa aprendo coisas novas, a melhor forma de se aprender é praticando, você nunca sabe o que pode aparecer, cada dia surgem novos desafios, novos problemas, novas soluções. Eu sou inciante no assunto ainda, porém sempre tem alguém experiente disponível para me auxiliar quando necessário o que me da mais segurança e me ajuda muito!

Felipe
32

Excelente, Parabéns ANDRÉ MACHADO, artigos como esse lidos ajudam formar profissionais de melhor qualidade e assim melhorando a imagem dessa área que somos apaixonados.

Douglas Scheffler
34

Hoje, com as novas versões do Windows nem sempre é preciso formatar a maquina e colocar um Windows pirata. Existe maneiras corretas de fazer a recuperação do sistema e redefinir para as configurações de fábrica, assim como o windows 7, sempre usar o serial do Windows que vêm na parte de baixo do equipamento. Recebo muitas vezes maquinas com Windows 7 Ultimate sem necessidade(usuário comum não precisa dessa versão). E quando faço a configuração do Sistema eu faço questão de dizer que o Windows que foi instalado foi o sistema original do equipamento.

MARCIO MEDEIROS DE SOUZA
35

Dificilmente um profissional de TI ou outra área conseguirá mudar uma cultura dos brasileiros que é desconsiderar o valor do serviço ou da mercadoria alheia. Muita gente sequer considera pagar uma licença de software, seja do windows, do word, da corel e por ai vai. Nessa mesma linha digamos de exploração, encaram o serviço do profissional de TI. Posso afirmar com certeza que se um TI oferecer instalar o Linux no lugar do windows pirata irá perder o cliente e absurdamente a credibilidade. Na prática (na vida real mesmo) o mais seguro juridicamente que encaro é mencionar na ordem de serviço e explicar para o cliente, que esta sendo instalada uma versao que necessita efetuar a licença e que, essa demanda é por conta dele. Recomendo a fugir de instalar ativadores. Se o cliente não licenciar o problema ja passa a ser dele. Outra consideração importante é que a maioria das cópias piratas estão recheadas de toda sorte de software mal intencionado. É absurdo o desempenho de uma máquina com uma instalação genuína comparada a uma outra com aquelas cópias piratas que recebemos de um colega ou baixamos na internet.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">