Seguir na carreira técnica ou migrar para gestão?

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Bom, essa pergunta é inevitável a todos nós da área de Exatas. Eu já me perguntei isso, conheço outros profissionais que também fizeram essa pergunta, e acho que sempre haverá alguém passando por esse questionamento, em algum momento de sua carreira.

Normalmente, depois dos dez anos de carreira, começamos a nos questionar sobre qual rumo seguir no futuro. E, sinceramente, acho que todos deveriam pensar muito bem antes de escolher um caminho. Se você está com muitas questões, já conversou com seus amigos, pesquisou, e, mesmo assim, continua mergulhado em uma piscina de dúvidas, sugiro fortemente o trabalho de um coaching executivo.

Imagem via Shutterstock

Imagem via Shutterstock

O maior problema que vejo no mercado é que as pessoas confundem o papel de gestão no âmbito administrativo com o da gestão técnica. São áreas distintas, onde as competências e habilidades necessárias são bem diferentes. O profissional técnico, que possui mais de dez anos de experiência, considerado um nível Sênior na sua área, pode optar por seguir uma vertente de liderança dentro do seu segmento técnico, por exemplo, um Desenvolvedor de software pode se tornar um líder técnico, onde coordenará os demais desenvolvedores, apoiará o Arquiteto e o Gerente do Projeto na tomada de decisões técnicas sobre o projeto. Com isso, ele continua no caminho que ele conhece (e aparentemente gosta) ampliando suas responsabilidades liderando outros técnicos. Entretanto, ele não precisará se envolver em questões como controlar os custos do projeto, elaborar proposta comercial, avaliar fornecedores, contratos e nem lidar com à área executiva da sua empresa dentre outras responsabilidades.

Ao passo que, seguir para o rumo de gerência, no âmbito administrativo, acarretará em desenvolver/aprimorar habilidades como comunicação, resolução de conflitos, técnicas de motivação, controle de custos, aquisições, recursos humanos e deverá lidar com as exigências da área executiva da sua empresa, da empresa do cliente, com os usuários, com a sua equipe técnica, com fornecedores e tantas outras partes interessadas no projeto.

Fora isso, o que considero o maior diferencial entre elas: ele deverá trocar sua perspectiva de “quem executa” para “quem motiva os outros a executarem”. E, sinceramente, se despir da persona de executor não é algo simples. É preciso desejar, se engajar e gostar, de verdade, em se reinventar em ser o responsável por orquestrar a execução do trabalho.

comparison_crop380wConheço uma profissional excelente, com mais de vinte anos de experiência, na área de Engenharia de Requisitos que se fez essa pergunta e optou por continuar na área técnica, justamente, por não querer/gostar de ser quem impulsiona os demais a executarem e de ter que lidar com pressões de esferas acima que trariam muito desgaste emocional a ela. Hoje, ela continua atuando na sua área técnica, supervisionando outros analistas, mantendo suas competências técnicas e sem precisar se reinventar em algo que não lhe faria feliz.

Por outro lado, também conheço excelentes desenvolvedores, que após aceitarem a posição de gerente de projetos foram um fracasso. Mantiveram as suas habilidades técnicas e não conseguiram se comunicar com todas as partes interessadas do projeto, sofreram com as pressões da área executiva e acabaram levando ao insucesso seus projetos.

Mediante essa minha experiência, por ser uma profissional com origem técnica, alguém que naturalmente migrou para à área de gestão, pelo fato de gostar disto, posso dizer que sou contrária a essa máxima: “Todo bom técnico será um bom gerente.” – mentira! As pessoas se deixam influenciar por um falso glamour em se intitular como “Gerente” e acabam fracassando. E o que é ainda pior: fracassa com todos que estão sob sua gestão e fracassam o projeto.

Se você realmente se vê como gerente e deseja mudar de área, estude. Procure apoiar seu gestor atuando como um assistente de projetos, busque se envolver em problemas fora do seu mundo técnico, observe como seu gerente soluciona os problemas, como e com quem ele se comunica, faça um coaching executivo. E, se após tudo isso, nascer em você a certeza que é esse o caminho que deseja seguir. Vá em frente!

Caso contrário, busque perpetuar seu conhecimento, sua experiência como um líder técnico. Ou talvez possa atuar na área comercial, onde você poderá atuar dando apoio nas vendas dos produtos, na análise das propostas, na elaboração dos contratos e outras atividades. Só lembre-se de não desperdiçar seu talento, conhecimento e suas competências naquilo que, talvez, possa lhe trazer um retorno financeiro maior, porém, tirará sua satisfação pessoal e profissional. E, não há dinheiro no mundo que pague o preço de sermos infelizes na nossa profissão.

Pense nisso. Boa Sorte!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Carolina Souza

Mais artigos deste autor »

Especialista em Gestão de Carreira Empresarial, em Gerenciamento de Projetos [PMP] e Engenharia de Requisitos [CPRE-FL] com 14 anos de vivência no mundo corporativo, atua como consultora, palestrante e mentora nas áreas de gestão, liderança, processos operacionais e desempenho de equipes. Colunista de revista e site especializados em TI.


22 Comentários

Fernando
2

Muito bom o post. esclarecedor! Realmente é muito difícil entendermos e fazermos outras pessoas entenderem a diferença de um gerente administrativo e técnico. Muitas vezes os gerentes técnicos são cobrados por habilidades pertinentes aos gerentes administrativos, empresas que não possuem essa maturidade (infelizmente são muitas) acabam frustrando e posteriormente “gilhotinando” ótimos profissionais, que desempenhavam com excelência suas funções técnicas.

Nelson Jhone
11

ótimo artigo. estou começando a questionar qual área seguir. continuar na técnica ou migrar para gestão.

Reginaldo Velasquez
12

Parabéns ao portal e toda a sua equipe, pelo excelente conteúdo. Assunto totalmente atualizado, questões que convivemos diariamente. “O gestor líder nem sempre é aquele que detém maior conhecimento, mas o que dentro da sua área consegue influenciar o maior número de pessoas a realizar o seu projeto” daí a razão de eu acreditar que “um excelente profissional nem sempre será um bom Gestor, mas… Um bom Gestor sempre será um excelente profissional”, porque a liderança sempre estará ligada à uma excelente gestão e domínio de conhecimento.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
14

A todos,

Sou muito grata pelos comentários.
Caso queiram explorar o assunto novas questões são sempre bem-vindas :)
Por aqui ou pelo meu perfil no Linkedin.

Abraços!

Diego Mattos
15

Excelente artigo, Carolina! Parabéns!

Estou vivenciando tudo o que foi dito no texto no dia-a-dia, pois estou assumindo o cargo de liderança numa equipe com mais de 10 programadores em uma empresa multinacional. Realmente, eu conversei com meu gerente e escolhi liderar “para dentro da equipe”, focando na parte técnica. Tive receio de assumir funções administrativas e não conseguir lidar com as cobranças executivas, até porquê meses atrás eu nem me via como gestor de pessoas.

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
16

Olá Diego.

Obrigada pelo comentário.

Acho que você fez uma ótima escolha, optando por iniciar nessa área de liderança a partir da área técnica. Assim poderá ir se acostumando aos poucos e, no futuro, caso venha se sentir confortável nessa função poderá se especializar para assumir a gestão administrativa, quem sabe, não é mesmo?

Abraços.
Sucesso e Boa sorte nessa nova jornada que está iniciando em sua carreira.

Fabio Raimundo
17

Excelente artigo! Me ajudou a esclarecer muitas dúvidas e vou utilizar como base para minha tomada de decisão de que rumo seguir.

Parabéns!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
18

Olá Fabio,

Que bom que consegui lhe ajudar em sua tomada de decisão.

Muito obrigada pelo comentário.

Sucesso e sorte na decisão!

Abraços.

Henrique Ito
19

Olá Carolina,

Parabéns pelo texto bastante claro e esclarecedor! Atualmente me encontro exatamente nessa “encruzilhada” profissional. Apesar de ter iniciado minha carreira na área técnica e depois de 10 anos ainda continuar nela, receio que daqui pra frente para eu conseguir cargos melhores serei obrigado a me qualificar e adquirir conhecimentos da área de gestão pois, caso contrário, vejo que não terei muitas oportunidades de crescimento.

Grande abraço e sucesso!

Carolina SouzaCarolina Souza Autor do Post
20

Olá Henrique,

É importante destacar que atuar como gestor requer o gosto pela área, por lidar com pessoas, por desenvolvê-las, por entender que você passa a orquestrar a música (e não mais a tocá-la) e nem todo mundo desenvolve esse gostar pela gestão. Então, se eu pudesse lhe sugerir um começo seria para investir em um processo de desenvolvimento pessoal a fim de estimular o seu conhecimento mais profundo sobre o ‘ser gestor’ ampliando o conhecimento de si e também sobre os desafios dessa nova área. E, tendo a clareza que é possível mudar e, o mais importante, que você quer essa mudança por si próprio (e não por ser uma necessidade externa) o fará aumentar as chances de sucesso e também a diminuir os riscos de se decepcionar com a realidade dessa nova área.

Investir na nossa evolução pessoal nunca é demais e sempre nos traz felicidade.

Sucesso.
Siga em frente.

Abraços.

Eduardo
21

Estou me formando em Design Gráfico, já trabalhei em agencia, mas eu gosto de tecnologia. Minha dúvida é: Vou fazer 40 anos, ainda tenho tempo para ingressar numa área técnica?Conseguirei emprego com facilidade com esta idade? Ou devo investir mais na área de Design?

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">