Servidor DNS: Por que o serviço de DNS 1.1.1.1 é um diferencial? (Parte 5/6)

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Leia também o primeirosegundoterceiro, quarto artigo desta série!

Em linhas gerais, os principais motivos para alternar para um resolvedor de DNS de terceiros, como o 1.1.1.1, são segurança e o desempenho. Os ISPs nem sempre usam criptografia forte em seu DNS ou oferecem suporte a DNSSEC, o que torna suas consultas DNS vulneráveis ​​a violações de dados e expõe os usuários a ameaças como ataques man-in-the-middle. Além disso, os ISPs costumam usar registros de DNS para rastrear a atividade e o comportamento de seus usuários. Esses resolvedores nem sempre têm grandes velocidades e, quando ficam sobrecarregados pelo uso pesado, ficam ainda mais lentos, além de, caso haja tráfego suficiente na rede, o recurso de um provedor de serviços de Internet poder parar totalmente de responder às solicitações. Em alguns casos, os invasores sobrecarregam(DDoS) deliberadamente os recursos de um ISP, resultando em uma negação de serviço.

Essas desvantagens e riscos dos recursos de ISP podem ser mitigados com um serviço DNS recursivo seguro como 1.1.1.1. Com recursos de segurança como criptografia de ponta e velocidades de resolução mais rápidas.

Segurança/Privacidade

 Conforme informação pública e oficial veiculada pela Cloudflare, há uma garantia da própria Cloudflare em não registrar endereços IP, não vender dados, não utilizar para publicidade e não manter nenhum log após 24h e isto não fica somente nas palavras da empresa, pois esta, é auditada periodicamente pela KPMG que, por sua vez, garantirá que o oferecido é exatamente o que realmente ocorre.  O discurso da Cloudflare é justamente em manter a segurança, a privacidade e a neutralidade da rede, ou seja, não é necessário saber o que de fato alguém faz na internet para que possa oferecer um serviço DNS rápido e seguro, por este motivo se compromete com a não violação destes princípios ao eliminar os registros de log do usuário a cada 24 horas e não coletar dados referentes a hábitos de navegação que poderiam ser repassados a terceiros.

Velocidade

 Matthew Prince, CEO da Cloudflare, explica que o novo serviço é resultado de uma parceria com a APNIC, organização sem fins lucrativos que tem entre suas funções gerenciar IPs na Ásia Pacífico. A parceria esteve focada desde o início no desempenho e segurança, de acordo com o executivo, além do serviço constar com os  recursos complementares estão suporte a DNS-over-TLS e DNS-over-TLS. Matthew também postou em seu blog a seguinte mensagem:

 “A missão da Cloudflare é ajudar a construir uma Internet melhor. Estamos empolgados hoje em dar mais um passo em direção a essa missão com o lançamento do 1.1.1.1 – o serviço de DNS do consumidor mais rápido e com privacidade em primeiro lugar da Internet.”

Ao anunciar o serviço, a Cloudflare lembrou também que os resolvedores de DNS convencionais podem ser facilmente bloqueados para a prática de censura online. Em 2014, por exemplo, o governo da Turquia ordenou que todas as operadoras do país impedissem o acesso ao Twitter, o que obrigou os protestantes a picharem os endereços do DNS Público da Google (8.8.8.8 e 8.8.4.4) em paredes para burlar essa censura.

Vale citar ainda informações veiculas oficialmente pela Clouflare:

“Criamos o 1.1.1.1 para ser o diretório DNS mais rápido da Internet. Não tome nossa palavra para isso. O DNSPerf, um monitor DNS independente, classifica 1.1.1.1 o serviço DNS mais rápido do mundo.”

Verificando a performance do DNS 1.1.1.1 em 08/04/2018 obtivemos o seguinte resultado:

veloc

Teste aqui

Pode-se concluir que o DNS 1.1.1.1 atualmente é o serviço de DNS público mais rápido do mundo com impressionantes 13.2 milissegundos para resposta. Como quase tudo que você faz na Internet começa com uma solicitação de DNS, escolher o DNS mais rápido em todos os seus dispositivos acelera quase tudo que você faz on-line.

Tem mais? Sim!

Ao usar o DNS sobre HTTPS (DoH), você pode oferecer transparência aprimorada aos seus clientes, melhorando a velocidade de seus dispositivos. Ainda melhor, você pode fazer isso sem custo, tanto em termos de licenciamento quanto de privacidade do cliente. Para mais detalhes relacionados ao DNS sobre HTTPS (DoH) verifique nos Documentos do desenvolvedor.

Agora finalizamos as questões teóricas e se você se convenceu aguarde a última parte com um tutorial para configuração do DNS 1.1.1.1 nos seus dispositivos Android, IOS, MacOs, Windows e roteador da sua casa. 

Leia também o primeirosegundoterceiroquarto artigo desta série!

AGRADEÇA AO AUTOR COMPARTILHE!

Renan Saisse

Mais artigos deste autor »

Cientista de Dados atuante na área de desenvolvimento de canal varejo na Oi S.A, Pesquisador Blockchain na Comunidade Blockchain Brasil, Membro do Grupo de Estudos em Aplicações Blockchain de Interesse Público do ITS Rio e IRIS BH, tendo atuado anteriormente como Analista de Sistemas, Auditor de Tecnologia/Operações e Gerente de Projetos de Tecnologia nas áreas de Faturamento/Co-Faturamento, Fraude, Revenue Assurance e Roaming Internacional. Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (UniverCidade); Pós-Graduado em CiberCrime, CberSegurança e em Perícia Forense Aplicada à Informática (ambas pela Faculdade Unyleya); Acadêmico do curso de Bacharel em Direito (UFRJ); Possui cursos de Extensão em Ciência Política (USP), Direito Digital (EMERJ) e Linguagem de Programação Python (Harvard); Certificado em ITILV3 e Cobit V4.1.


Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos com * são obrigatórios!

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">